B2B e-commerce: o novo normal para indústrias e varejistas

Os líderes de vendas precisam se adaptar, a nova realidade pós Covid-19. O mercado requer uma mudança rápida, porque o novo normal para indústria será o e-commerce B2B.

A tendência de transformação digital já acontecia antes da pandemia, mas agora não é mais uma questão somente de transformar, e sim de acelerar. Porque como já dizia o autor da Teoria da Evolução: “Não é a mais forte das espécies que sobrevive, nem a mais inteligente, mas a que melhor responde às mudanças”.

5 fatores que devemos priorizar neste momento

  • A saúde e bem-estar de funcionários e clientes.
  • Reduzir gastos desnecessários, neste caso com viagens para compras, feiras e showroom off-line.
  • Digitalizar todos os processos da empresa, com automação através de ERP’s, Hubs, Meio de pagamento seguro, e etc.
  • Mudar a forma tradicional de comunicação, humanizando o digital e transformando seu time de vendas em verdadeiros representantes digitas da sua marca.
  • Utilizar uma plataforma robusta, com as parametrizações necessárias para as politicas comerciais do atacado, com tecnologia moderna e intuitiva.

Reagindo à crise

É hora de investir em OPEX. Delegue os processos de desenvolvimento e implementação do sistema para fornecedores com experiência. Ganhe tempo sem elevar os custos operacionais ao terceirizar o projeto de desenvolvimento de software. Dessa forma, reduzirá as despesas com CAPEX e aumentará o ROI do sistema, mantendo o foco dos gestores na expansão e na evolução do negócio.

Reaja à crise com determinação, resiliência e planejamento estratégico com foco no negócio multicanal. E prepare a sua empresa para a retomada das vendas, seja esta no online ou offline. É muito importante estar atento ao mercado e possíveis parcerias com outros canais de vendas — como os diversos marketplaces com o perfil do seu produto.

Os tomadores de decisão devem responder às novas expectativas com otimismo, mas trabalhar nas inovações com urgência. Porque mesmo que 45% da população mundial acredite que a economia se recuperará em 3 meses, globalmente o e-commerce aumentou as vendas em 43%, e já cresceu 39% à mais em relação a março.

(Fonte: Emarketer, por Klaviyo)

Como fazer o seu e-commerce B2B com sucesso

Ofereça um excelente atendimento, mas não basta oferecer aos clientes várias opções de autoatendimento. Porque as três coisas que os compradores mais valorizam são: agilidade, transparência e experiência. Se sua empresa consegue propiciar tudo isso, num bate papo ao vivo melhor ainda — para incentivar a lealdade do cliente.

Os fatores que mais frustram o comprador são:

  • 36% a duração do processo de compra;
  • 34% a dificuldade de encontrar produtos;
  • e 33% de falhas técnicas de compra.

Outras preocupações comuns são sites confusos, falta de informações sobre entrega e suporte técnico e dificuldade em configurar pagamentos.

Como engajar seus vendedores e representantes no digital

  • Proporcione treinamentos constantes e apresente soluções de ferramentas digitais para utilizarem nas conferências remotas.
  • Monitore a importância de manter o tom de voz que represente a empresa e seus valores, ou seja, a mesma linguagem em todos os canais e redes sociais.
  • Remunere por seus resultados de forma justa, pois o valor do relacionamento comercial destes profissionais precisa ser respeitado.

As interações pessoais deram lugar ao suporte de vendas e serviços por videoconferência, webinar, telefone, chat, redes sociais e outros meios. Neste mundo remoto e digital, no entanto, o papel humano no processo é fundamental.

Pontos muito importantes para serem considerados: antes de fechar com qualquer fornecedor, certifique se oferece a automação necessária para dar escala ao seu e-commerce B2B.

Segue um check list para sua operação:

Plataforma e ERP

  • Configurar de políticas comerciais de atacado
  • Permitir recebimento de produtos por HUB com validação, para evitar erros de importação
  • Sincronizar estoque e preço em tempo real originados das principais plataformas e ERP’s do varejo offline e online
  • Sincronizar pedidos e status de pedidos nas principais plataformas e ERP’s do varejo offline e online
  • Disponibilizar diversos formatos de arquivos para facilitar o processo de importação e exportação de dados

Meio de pagamento

  • Aceitar todas as bandeiras e métodos de pagamento;
  • Esta integrado à CIP e em acordo com o BACEN;
  • Ter split para gerenciar pagamentos;
  • Gestão de risco e antifraude;
  • Compra por 1 clique;
  • Retentativa automática;
  • Checkout transparente;
  • Pré-autorização de débito no cartão;
  • Conciliação facilitada e controle financeiro em uma interface intuitiva.

Logística

  • Previsibilidade dos custos de frete;
  • Maior eficiência e agilidade de expedição;
  • Visibilidade em tempo real de todas as remessas;
  • Automação da comunicação com operadoras.

Comece logo este novo ciclo e reinvente a forma tradicional de comércio atacadista!

O post B2B e-commerce: o novo normal para indústrias e varejistas apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre B2B e-commerce: o novo normal para indústrias e varejistas. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Guia da Pesquisa de Palavras-Chave

5 desafios enfrentados pelos CIOS neste momento

Como excluir conta do Facebook: passo-a-passo