Ads Top

O que é CTA (Call to Action), como criar a sua e exemplos

Um único elemento pode aumentar exponencialmente a taxa de conversão das suas páginas e emails: a CTA ou call to action.

Mas o que exatamente é isso?

Eu já te explico. 

Mas primeiro eu queria te alertar para o fato de que neste momento você pode ser parte de um grupo que está perdendo vendas e potenciais clientes por não prestar atenção a esse único elemento.

Cerca de 53% dos sites não tem uma CTA clara que o visitante possa identificar em poucos segundos.

Isso significa que mais da metade dos sites podem estar perdendo vendas e conversões por não saber como se comunicar adequadamente com o público.

Porque é esse o resultado de não ter uma CTA clara.

E mesmo que você tenha uma call to action, isso não significa que ela é ideal para a sua audiência.

Por isso, neste artigo, eu vou te mostrar:

  • o que é CTA;

  • por que é importante;

  • tipos de call to action;

  • como construir a call to action ideal;

  • onde colocar sua CTA;

  • exemplos;

  • e como mensurar os resultados.

Bora lá?

O que é CTA (call to action)?

CTA é a sigla de Call to Action, uma expressão em inglês que significa “chamada para ação”. 

Sua função é convidar o usuário para dar um próximo passo, que pode ser tanto uma interação simples quanto realizar uma compra. 

Esse é um recurso indispensável no marketing digital, pois faz parte da estratégia de conversão de qualquer projeto.

Existem vários tipos de CTAs, que se adaptam conforme o objetivo da ação desejada e o público-alvo dela, entre outros fatores.

Por exemplo, você pode fazer um convite ao leitor do seu blog, ao visitante do seu site ou ao usuário de suas redes sociais para se inscrever na sua newsletter.

É por meio da CTA que você conduz o seu público para realizar a conversão que você deseja.

Mas por que você deve se preocupar em criar boas call to actions?

Esse é o assunto do próximo tópico.

Por que a CTA é importante?

Uma CTA cumpre uma função fundamental na sua estratégia de marketing para gerar conversões

Ela é importante porque a tomada de ação do usuário do usuário depende fortemente desse recurso.

Dificilmente o seu potencial cliente vai adivinhar o que você deseja que ele faça, a menos que você fale.

E mesmo quando ele tem uma noção, essa chamada para ação dá o empurrão e a certeza que são necessários para ele saber que está fazendo a coisa certa. 

Imagine, por exemplo, que você queira lançar um e-book como isca digital para captar o e-mail do visitante de seu site ou blog.

Qual a chance de sucesso das seguintes alternativas:

  1. Colocar um link para o material sobre uma palavra qualquer em meio ao texto

  2. Criar um texto convidativo, curto e objetivo, instigando o usuário a clicar em determinado link

  3. Inserir uma imagem ilustrativa em meio ao texto, com um link sobre ela, indicando o download do material ali.

Apesar de serem dois formatos diferentes, as duas últimas opções têm maiores chances de sucesso, justamente porque convidam o usuário a tomar uma ação.

Se esse convite não estiver claro, como no caso de um link “escondido” em meio ao texto, você pode perder a oportunidade de conduzir o seu potencial cliente a realizar a conversão que você tanto deseja.

Agora, se você se pergunta como construir a CTA ideal, saiba que isso depende de algumas variáveis.

A primeira e mais importante delas é o objetivo, mas não sem considerar ainda características do seu público, é claro.

Mais à frente, eu vou te falar com detalhes como definir a call to action ideal.

Mas, antes disso, eu vou te mostrar quais são os tipos de CTAs que você pode utilizar na sua estratégia digital. 

Tipos de call to action

Há quem defina uma call to action como um link. Não está completamente errado, mas é uma visão simplista e incompleta sobre o que é a CTA.

É verdade que o link aparece na imensa maioria dos casos de convite à ação do usuário, mas ao conhecer os tipos de CTAs, você vai perceber que eles vão muito além disso.

Botão

Os botões são uma forma mais destacada de fazer uma chamada para ação. 

Até mesmo as pessoas que só passam escaneando o texto, sem ler palavra por palavra, podem ser impactadas por um botão de CTA porque ele é mais chamativo.

Geralmente, o texto é curto e direto e a cor principal do botão é diferente e tem contraste com os outros elementos da página justamente para atrair a atenção do visitante.

Um exemplo são as chamadas para ação que são utilizadas aqui no blog do KP para divulgar as ferramentas Klickpages e Klicksend:

Clique aqui para saber mais sobre o Klickpages

Banner

Um banner pode aparecer em seu site, blog ou mesmo em redes sociais. 

Ele é ligeiramente mais denso que um botão, pois traz mais conteúdo, geralmente atrelado a imagens.

Um fato interessante do banner é que ele não possui posição e nem formato fixos. Pode estar na forma de anúncio na área lateral do site, por exemplo.

Também pode ser inserido em meio ao texto de um post.

Um banner utilizado como CTA sempre traz a sua própria contextualização, ou seja, você não precisa fazer uma introdução para colocá-lo porque ele já é autoexplicativo. 

Em geral, isso se dá através de uma frase convidativa e uma breve descrição do que está sendo oferecido.

Ao clicar em qualquer área do banner, o usuário é direcionado à uma página de destino, que pode ser, por exemplo, uma página de compra, um formulário de inscrição ou um material rico para download.

Texto

O CTA em formato de texto costuma aparecer no fechamento de um post, quando o convite à ação do usuário aparece de forma mais clara.

Os exemplos mais comuns são aqueles nos quais se estimula o leitor a deixar um comentário sobre o artigo ou mesmo compartilhar o material em suas redes sociais.

Repare que, para isso, você usa apenas as palavras como poder de convencimento.

Não há link algum, mas nem por isso a estratégia deixa de valer como uma call to action.

Esse formato também é bem comum em vídeos, quando o “apresentador” pede para você se inscrever no canal, deixar um like ou um comentário.

Links em texto

Já quando o texto apresenta links, aí se trata deste outro tipo de CTA.

Basicamente, ele é construído da mesma forma que o anterior, com uma linguagem persuasiva, instigando o público.

Mas a ação propriamente dita, nesses casos, se dá a partir da inserção de links.

Pode ser algo no sentido de “clique aqui” para baixar um determinado material, para conhecer uma seção do site, para assinar uma newsletter, para solicitar orçamento, entre outras ações.

Um aspecto interessante sobre essa estratégia é que ela pode ser utilizada em qualquer ponto de um artigo de blog, e não apenas no fechamento dele.

Sempre que surgiu a oportunidade de convidar o leitor à ação, lá pode estar uma CTA através de um link.

Como construir a call to action ideal

Texto, links, botões, banners… As opções estão aí, são variadas e se aplicam de diferentes formas a estratégias variadas.

Se você não sabe bem como definir o CTA ideal para cada situação, não se preocupe.

Porque é justamente isso que eu vou te explicar agora.

1. Considere o estágio do funil de vendas

Caso não conheça o termo funil de vendas, visualize a imagem de um funil, literalmente. O topo maior e o fundo estreito, com uma pequena passagem.

Essa imagem é utilizada para explicar como funciona a jornada do cliente até o fechamento da compra. 

No topo do funil, está o seu público-alvo.  

Abaixo, vêm as leads, que correspondem a parte do público que já o conhece e tem algum interesse em seus produtos ou serviços.

Depois, aparecem as leads qualificadas, que estão em estágio avançado para concretizar o processo de compra e precisam, geralmente, apenas de um “empurrão” ou da oportunidade perfeita para isso.

Por fim, na base do funil, estão aqueles que já fazem parte da sua carteira de clientes e cuja necessidade é de manutenção e fidelização.

Pronto: esses são os quatro estágios básicos do funil de venda.

Para cada uma dessas etapas você vai precisar de uma chamada para ação diferente para conduzir o seu potencial cliente até o próximo estágio da jornada.

Por exemplo, não dá para usar uma CTA no estilo “conheça nossa empresa” para quem já comprou de você.

Cada etapa do funil pede um tratamento específico.

Por isso a primeira coisa que você deve fazer é considerar com qual estágio do seu funil de vendas você está lidando.

2. Saiba quem é seu público

A persona é um termo utilizado no marketing digital para identificar um perfil (ou perfis) de clientes, conforme suas características.

Entre elas, estão gênero, idade, escolaridade, faixa de renda, hábitos e interesses.

Tudo isso ajuda a entender não só quem é o seu público e em quem você deve focar, mas também o que ele deseja.

Conhecer essas informações é imprescindível para criar uma CTA eficiente.

Pois isso te ajudará a utilizar uma linguagem adequada, o melhor formato e também a definir a ação ideal para levar o seu público para o próximo estágio do funil.

3. Saiba qual é o nível de consciência do seu público

O nível de consciência tem tudo a ver com o estágio do funil e com quem é a sua persona.

Ele indica o quanto a pessoa já sabe que tem um problema que precisa ser resolvido e enxerga o seu produto ou serviço como solução.

Geralmente, os indivíduos que estão no topo do funil ainda não identificaram que tem algo na vida deles que os está impedindo de chegar onde eles gostariam.

Por exemplo, alguém que não consegue se recolocar no mercado de trabalho e não sabe que isso está acontecendo porque não tem o nível de inglês desejado pelas empresas.

Conforme a pessoa vai descendo no funil de vendas a tendência é que o nível de consciência dela com relação ao problema seja maior, então o seu desafio é apresentar o seu produto ou serviço como a solução ideal.

Assim como o estágio do funil e a definição do público, essa etapa vai te ajudar a construir uma CTA que atue diretamente no que o seu público precisa saber no momento para aumentar o nível de consciência.

Retomando o exemplo da pessoa que não consegue se recolocar no mercado de trabalho. 

Enquanto ela está nos níveis mais baixos de consciência as calls to action devem ser voltadas para ela descobrir qual é o elemento que a está impedindo de conseguir um emprego.

Pode ser, por exemplo, um convite para ler um ebook com o título “O fator #1 que te impede de conseguir seu emprego dos sonhos”.

À medida que a pessoa vai progredindo no nível de consciência, você pode chamá-la para participar de um mini-curso online seu que vai mostrar como o seu método de ensinar inglês é a solução ideal para quem precisa aprender inglês rápido para se inserir no mercado de trabalho.

Depois que ela já está familiarizada com o seu negócio, aí sim é o momento de fazer uma CTA para ela comprar o seu produto. 

4. Defina o objetivo da call to action

Agora que você já sabe com quem você está falando, quais são as características dessa pessoa, em qual estágio de consciência e da jornada de compras ela se encontra…

É o momento de definir qual é o objetivo da sua call to action, ou seja, qual é a ação que o seu potencial cliente precisa realizar para dar um passo na direção da próxima etapa do funil de vendas.

O que você deseja que o usuário faça?

Eu vou te mostrar algumas possibilidades de ações que você pode utilizar nas suas CTAs.

Gerar tráfego

No marketing de conteúdo, uma estratégia importante é o uso de links internos.

Isso quer dizer links que levam para outras páginas do seu site ou outros artigos do seu blog.

Esse objetivo de CTA é ideal para quando você quer manter os usuários envolvidos com os seus conteúdos para que eles possam conhecer melhor o seu negócio e o que você tem a oferecer.

Inscrições em uma newsletter

Uma boa maneira de nutrir leads é mantê-las informadas sobre novidades a respeito da sua marca ou empresa. Para isso, convidá-las a assinar uma newsletter é opção interessante.

Fazer um download

A oferta de conteúdo grátis é uma das mais poderosas formas de capturar leads ou qualificar uma lead. 

Use CTAs convidando para o download de materiais ricos, como infográficos, guias e e-books focados em resolver ou identificar o problema dos seus potenciais clientes.

Direcionar para uma landing page

A landing page é uma página totalmente focada em conversão. Ela serve para que o visitante tome justamente a ação que vai levá-lo para o próximo estágio do funil de vendas.

Quando você oferece, por exemplo, um material rico para download através de um anúncio no Facebook, dificilmente você conseguirá fazer a captura do email do seu potencial cliente  por lá.

Nesses casos, geralmente a CTA tem o objetivo de direcionar o usuário para uma landing page onde ele concluirá a ação.

Compartilhamentos, curtidas e comentários nas redes sociais

Toda forma de interação é válida, especialmente quando positiva para a sua empresa.

Sempre que o usuário demonstra engajamento, ele “anuncia” a pessoas da sua rede o valor da sua marca. 

Especialmente porque em algumas plataformas, como o Facebook, aparece no feed os  posts que os amigos curtiram ou comentaram, além dos compartilhamentos.

Esse objetivo de CTA é uma boa forma de incentivar a divulgação boca a boca do seu conteúdo e a sua marca pela internet.

Seguidores nas redes sociais

Um seguidor nas redes sociais não é tão valioso quanto uma lead (um potencial cliente que você tem o endereço de email).

Porque as redes sociais limitam a distribuição do seu conteúdo. Isso significa que nem tudo o que você publica chega a todos os seus seguidores.

Diferentemente, no email, a entrega é maior. A menos que ocorra algum erro no caminho, as suas mensagens vão chegar para os destinatários.

Mas se o seu público ainda não está preparado para compartilhar o endereço de email com você, um primeiro passo pode ser pedir que eles te sigam nas redes sociais como forma de ir mantendo o contato.

Assistir a um vídeo

Pode ser para sedimentar o aprendizado, complementar um conteúdo, fazer um lançamento, uma apresentação ou demonstração

O vídeo é uma excelente maneira de nutrir e educar as suas leads para que elas sejam preparadas para fazer a compra.

Você pode usar a CTA com o objetivo de assistir a um vídeo em diversos lugares: no email marketing, nos artigos do seu blog, em um vídeo ou até mesmo em anúncios nas redes sociais.

Participar de um evento

Um evento não necessariamente significa um seminário ou palestra presencial, por exemplo. 

Pode ser um webinar, uma espécie de videoconferência que reforça a sua autoridade em determinado assunto.

Esse tipo de ação é muito boa principalmente nos estágios finais do funil de vendas, quando você precisa demonstrar que seu produto ou serviço é a solução ideal para resolver o problema do seu público.

Dessa forma, você consegue estar mais próximo dos seus potenciais clientes, coletar e responder dúvidas, quebrar objeções e reforçar a autoridade da sua marca.

Responder uma pesquisa

É muito importante conhecer o seu público e seguir monitorando seus hábitos e interesses. 

Isso irá servir tanto de material para você qualificar as suas leads, como para melhorar a experiência do seu produto ou serviço.

Então, que tal convidá-las a responder uma pesquisa para que elas mesmas compartilhem com você os interesses delas ou o que você pode melhorar?

Fazer um teste gratuito

Antes de o seu potencial cliente estar pronto para finalizar a compra, ele pode ainda ter algumas dúvidas ou objeções sobre o seu produto ou serviço.

E uma das melhores formas de resolver isso é oferecer um teste gratuito para que ele possa ver com os próprios olhos e experimentar o seu produto ou serviço para ter certeza de que aquilo é justamente o que ele precisa.

Você pode oferecer, por exemplo, um período de teste ou uma demonstração do seu produto, ou caso você venda um serviço tipo uma consultoria para negócios, você pode fazer um primeiro atendimento gratuito.

Comprar um produto

Quando um potencial cliente chega no fundo do funil de vendas, nada melhor que uma CTA para comprar um produto para estimulá-lo a finalmente se tornar um cliente.

Para que esse tipo de chamada para ação seja eficiente, é importante que ela seja feita para o público certo e no momento certo.

Depois que a sua lead tem consciência do problema que ela tem e da solução que você oferece e já existe um relacionamento entre ela e a sua marca.

5. Escolha o formato do CTA

Por último, é só você escolher qual formato de CTA vai utilizar: botão, banner, texto, link…

Isso vai depender de qual é o objetivo a ser alcançado com a sua call to action e também em qual lugar ela será inserida (tema do próximo tópico).

Porque pensa bem, se você está convidando o seu público para curtir o seu canal no YouTube, você não precisa ter o trabalho de criar um banner, falar isso durante o vídeo provavelmente será eficiente e não exigirá muitos esforços.

Agora se você quer vender um produto utilizando o email marketing, talvez um botão chame mais atenção.

Onde colocar a sua CTA

Você já sabe quem é o seu público, em qual estágio do funil de vendas ele está, definiu um objetivo e escolheu um formato.

Agora vem a pergunta:

“Mas onde eu coloco minha CTA? Como que eu vou chamar meus potenciais clientes para tomar uma ação?”

Existem alguns canais de comunicação e lugares onde você pode colocar suas CTAs de acordo com o objetivo e público que você quer alcançar.

As principais opções são:

Home do site

A página inicial do seu site é um excelente lugar para você fazer uma call to action direcionando o seu público para um conteúdo específico ou para oferecer algo em troca do contato dele.

Dependendo também do nível de consciência de quem acessa a sua homepage, você pode oferecer um teste gratuito, chamar para se inscrever na sua plataforma e até mesmo para fazer um download.

Páginas do site

Nas outras páginas do seu site, você pode inserir CTAs para te seguirem nas redes sociais (inclusive, dá até para colocar botões das redes sociais na sua própria página e facilitar a execução da ação), para se inscreverem na sua newsletter ou para baixarem um material rico voltado para topo de funil.

Por exemplo, na página de sobre do site Talking Shrimp existem diversas calls to action.

Você pode encontrar chamadas no formato link em texto para os principais artigos do blog do site, um botão para os visitantes se cadastrarem na newsletter e no final um banner com botão para download de um ebook.

Esse é um excelente exemplo de como é possível explorar o conteúdo de uma página e incluir CTAs.

Redes sociais

Você pode aproveitar as redes sociais do seu negócio e fazer chamadas para os seus seguidores curtirem e compartilharem o seu conteúdo, para os visitantes seguirem suas páginas.

E também pode incluir banners com CTAs para fazer o download de um material rico, participar de um evento, assistir a um vídeo, responder a uma pesquisa… Opções não faltam.

Email marketing

O email marketing é um dos canais mais versáteis, ele pode ser utilizado do topo ao fundo do funil para conduzir os seus potenciais clientes até o fechamento da compra.

Isso significa que você pode explorar diversos objetivos e tipos de chamadas para ação para alcançar a conversão que você deseja.

Landing pages

Como eu já te falei, as landing pages são páginas totalmente focadas em conversão.

Elas são utilizadas para capturar o email de potenciais clientes, oferecer materiais ricos, inscrições em eventos e até mesmo um produto ou serviço.

Como o objetivo aqui é a conversão, um elemento não pode faltar: uma call to action.

Os tipos mais comuns utilizados nesse tipo de página são botões e texto incentivando a realização de uma ação.

Artigos do blog

Nos artigos aqui do blog do KP, é bem comum encontrar CTAs para a leitura de outros artigos, botões para conhecer mais sobre as ferramentas Klickpages e Klicksend e também banners para download de material rico.

Além da call to action na barra lateral para se inscrever na nossa newsletter.

Essas foram as formas que a equipe aqui do blog encontrou de manter o público engajado, consumindo outros conteúdos e também de oferecer planilhas, checklists, templates… como forma de capturar o email de potenciais clientes.

Anúncios

É indispensável que os anúncios que você faz nas redes sociais ou no Google tenham chamadas para ação.

Porque é justamente esse convite que vai indicar ao usuário o que ele deve fazer se ficar interessado na sua oferta.

Geralmente, as principais plataformas de anúncio (Facebook Ads e Google Ads) oferecem opções de calls to action para você selecionar a que mais se adequa ao objetivo do seu anúncio.

Vídeos

Você não precisa ficar preso a fazer CTAs para as pessoas curtirem, compartilharem, comentarem nos seus vídeos ou se inscreverem no seu canal.

Os vídeos tem um potencial persuasivo muito grande se feitos da maneira certa, de forma que você pode utilizá-los inclusive para vender um produto.

E aí adivinha? É claro que o seu conteúdo deve conter uma call to action para os seus potenciais clientes finalizarem a compra.

Mas, além disso, você pode indicar outros vídeos, conteúdos do seu site e materiais ricos para download. 

Exemplos de CTA

Para você ver algumas aplicações práticas da CTA, eu separei exemplos de páginas de grandes negócios que utilizam diferentes formas e objetivos em suas chamadas para ação.

Olha só:

Fórmula de Lançamento

Na imagem abaixo do site da Fórmula de Lançamento tem uma CTA de lista de espera.

Que é utilizada quando um produto ou evento não se encontra mais disponível, mas o usuário pode se cadastrar para ser notificado quando houver disponibilidade.

Fórmula de Lançamento

O convite em forma de texto “cadastre-se abaixo para ser avisado da próxima turma” vem acompanhado de um botão “quero ser avisado” que complementa o chamado.

Quando o usuário clica no botão, ele completa a conversão e se torna uma lead.

Erico Rocha

Neste exemplo do blog do empreendedor digital Erico Rocha, existem duas CTAs.

A primeira em texto com link convida o leitor a se inscrever no canal Galera Raiz do Telegram, que é um dos meios que o Erico utiliza para manter contato com a audiência dele.

Já a segunda é um banner para fazer o download gratuito de um ebook.

Além disso, se você acessar o blog dele, irá reparar que na lateral tem um outro banner em formato quadrado com uma CTA de download gratuito de um ebook.

Erico Rocha

Spotify

A página na web do aplicativo de streaming de áudio Spotify é um clássico exemplo de uso da CTA através de botões.

Logo de cara, o usuário é convidado a decidir se quer usar o app em sua versão grátis ou premium, com recursos adicionais. 

Se rolar a página, ele chegará novamente a dois botões com a mesma função.

O interessante aqui é que a CTA através do botão dá duas opções para o usuário o que permite alcançar públicos em níveis diferentes da jornada.

Quem ainda não conhece o Spotify pode optar por usar a ferramenta gratuita, sem ter que informar dados de cartão de crédito ou algo do tipo.

Já o usuário que conhece a ferramenta e quer aproveitar todos os seus recursos pode escolher a versão premium e assinar o serviço.

Spotify

Netflix

A Netflix é outro serviço de streaming adepto do botão de CTA em sua página inicial.

A estratégia é clara: convidar o leitor a assinar o serviço por um mês, sem nada pagar por isso.

Essa call to action consegue instigar o leitor a experimentar o serviço e ainda dá uma garantia de flexibilidade, que é o fato de ele poder cancelar a assinatura quando quiser.

Ou seja, de cara já quebra uma objeção que o potencial cliente possa ter.

Netflix

Hotmart

A homepage do site da Hotmart é mais um exemplo de como é possível alcançar diferentes públicos utilizando CTAs específicas para cada um deles.

Você pode começar um negócio digital, aprender uma nova habilidade ou acessar o seu perfil.

O interessante é o destaque que cada uma das calls to action tem na página.

Começar um negócio digital e Aprender uma nova habilidade estão em formato de botão e tem mais destaque porque provavelmente são o tipo de público que eles querem chamar a atenção.

Já a opção para entrar no perfil é mais discreta, porque o usuário que tem uma conta na plataforma não precisa tanto de ter a atenção capturada, ao entrar no site ele provavelmente irá procurar pelo link para fazer login. 

Hotmart

Se você quiser conferir mais exemplos para se inspirar, veja o artigo 14 Exemplos de Call to Action para aumentar sua conversão.

Como saber qual o resultado da sua CTA?

Você levou em conta o estágio do funil, pesquisou mais sobre seu público, escolheu um objetivo e um formato, publicou sua CTA e, agora, como você sabe se os resultados são bons ou não?

Existem duas métricas que você deve levar em consideração.

A primeira é a taxa de cliques, que indica o percentual de pessoas que visitaram a sua página, abriram o seu email… e clicaram na sua call to action.

Com ela você consegue inferir se a sua chamada está bem posicionada e atrai a atenção do usuário. 

A segunda métrica é a taxa de conversão. Essa indica o percentual pessoas que clicaram na sua CTA e finalizaram a conversão.

E por que ela é importante?

O texto da sua chamada pode até ser atraente, mas se não está claro o que o seu potencial cliente precisa fazer para concluir a conversão, isso pode não acontecer.

Aí vale a pena voltar na call to action e entender como você pode melhorá-la para tornar claro o que você está oferecendo e como finalizar a conversão.

Isso é muito comum quando, por exemplo, a pessoa não especifica que é um produto que está sendo vendido. O usuário clica na CTA e é levado para uma página de pagamento, onde ele pode acabar desistindo caso imaginasse que fosse um material gratuito.

Agora se você ainda não publicou a sua call to action e está em dúvida entre dois modelos e não sabe qual vai dar mais resultados…

O ideal é a fazer um teste A/B, que consiste em publicar duas versões diferentes por um período de teste e analisar qual tem os melhores resultados.

Nas landing pages feitas com o Klickpages é muito fácil configurar um teste A/B, basta escolher a duração do teste e quais são as variações de página que você quer testar e a ferramenta cuida do restante por você.

Clique aqui para saber mais sobre o Klickpages

Conclusão

Neste artigo, você viu a importância da CTA e o que essa sigla significa: call to action ou, em português, chamada para ação.

Ela é indispensável se você quer conduzir os seus potenciais clientes até o fim de uma conversão.

Na hora de construir a sua CTA, você deve considerar o seu público, o estágio do funil de vendas em que ele se encontra, o nível de consciência, qual é o seu objetivo e o formato que deseja utilizar.

No final, não se esqueça de mensurar os resultados para identificar possíveis ajustes nas suas chamadas.

Gostou deste artigo? Não deixe de recomendar para um amigo empreendedor que também vai gostar de ler e me contar aqui nos comentários o que você achou do texto.

(Este artigo foi originalmente publicado em 18 de setembro de 2017 e atualizado em 14 de abril de 2020 por Angela de Oliveira para oferecer informações mais precisas e completas)

O post O que é CTA (Call to Action), como criar a sua e exemplos apareceu primeiro em Blog Klickpages.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre O que é CTA (Call to Action), como criar a sua e exemplos. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.