Ads Top

Como UX pode ajudar na conversão do e-commerce

UX não serve apenas para deixar o seu site bonito. Quem pensa que user experience se resume à estética, talvez não perceba que esse conceito tem tudo a ver com conversões. Nas lojas virtuais, investir em UX para conversão do e-commerce é imprescindível para ter melhores resultados.

A experiência do usuário no e-commerce é construída em toda a jornada de navegação do usuário pela loja virtual. Envolve desde a busca no Google, ou os posts nas redes sociais, até a finalização da compra. Em todos esses momentos, é preciso utilizar técnicas de UX que façam o usuário se sentir seguro, informado e encantado com a compra no site.

Nas lojas virtuais, investir em UX para conversão do e-commerce é imprescindível para ter melhores resultados. Confira várias dicas.

Mas não é o que acontece em grandes partes dos sites de e-commerce. O Baymard Institute estima que, em média, 70% dos carrinhos são abandonados no e-commerce. Isso significa que há algo de errado na experiência de compra.

Entre os motivos estão as taxas extras muito altas, a exigência de criar uma conta no site, a falta de confiança para inserir dados de cartão e a complexidade do processo de checkout. Tudo isso está relacionado a UX.

Por isso, é importante entender como você pode melhorar a experiência da sua loja virtual, para não perder mais clientes e ter mais conversões. Agora, veja como otimizar o UX para conversão do e-commerce!

Por que UX é importante para as conversões do e-commerce?

Clientes gostam de ser bem recebidos e atendidos em uma loja física. Eles valorizam lojas em que circulam sem obstáculos e encontram facilmente o que desejam. Ou seja, se eles têm uma boa experiência com aquela empresa, tendem a comprar lá e ainda voltar mais vezes.

O mesmo acontece nas lojas virtuais: uma boa experiência de compra online – com navegabilidade, usabilidade e conteúdo de qualidade – ganha a satisfação e a fidelização dos consumidores. Por isso, é importante investir em UX para conversão do e-commerce.

Para ajudar ainda mais nos resultados do e-commerce, o Google também favorece as páginas que oferecem bom UX. Afinal, o que o buscador quer é que o usuário tenha uma boa experiência de busca, desde digitar a pesquisa no navegador até encontrar o que deseja, sem dificuldades no caminho e sem perder tempo.

Então, se você proporciona uma boa experiência no e-commerce, também melhora o SEO para e-commerce e tende a subir posições no ranking do Google. Isso significa mais visitantes na sua loja virtual e mais chances de fechar negócio.

Como melhorar o UX para conversão do e-commerce?

Agora, vamos ver como colocar em prática o UX para conversão do e-commerce. São 16 dicas importantes que vão fazer diferença para as vendas da sua loja virtual. Confira:

1. Faça um diagnóstico da experiência no site

Comece a otimizar o UX do e-commerce com um diagnóstico. Faça uma auditoria para avaliar quais pontos precisam melhorar.

O Google Analytics pode ajudar você nessa tarefa com os relatórios dedicados ao e-commerce, em que você pode analisar todo o funil de conversão.

Além disso, vale a pena fazer uma pesquisa de mercado para analisar como está a experiência do usuário em sites de concorrentes e benchmarks.

2. Desenvolva a persona do e-commerce

Um projeto de UX também deve passar pela criação da persona do e-commerce. A persona é um usuário fictício, que representa o seu cliente ideal. Na sua descrição, você deve identificar os interesses, as dúvidas e as necessidades que a loja virtual pode atender.

Dessa forma, você já pode identificar quais conteúdos e ofertas devem constar no site, como eles devem ser organizados e quais linguagens utilizar.

3. Organize a navegação pelo site

A UX para conversão do e-commerce deve pensar na navegação do usuário pelo site. Isso envolve planejar a arquitetura da informação, ou seja, como os conteúdos são organizados e hierarquizados em menus, categorias e subcategorias.

Outros elementos de navegação são os breadcrumbs e os links de cabeçalho e rodapé do site. Os breadcrumbs mostram o caminho que leva até uma página interna, por exemplo: Home > Feminino > Blusas > Blusa Regata Cropped. Dessa maneira, o usuário pode navegar entre as páginas nesse caminho, além de se sentir situado no site.

Já os links de cabeçalho e rodapé do site, que geralmente aparecem em todas as páginas do site, permitem que o usuário acesse facilmente a página inicial, o menu e as informações importantes.

4. Personalize as vitrines da home

Muitas vezes, os usuários entram no site direto nas páginas de produto, por meio de uma pesquisa pelo item no Google ou algum post de divulgação nas redes sociais. Porém, muitos chegam pela home ou vão até lá para conferir se há alguma oferta ou atrativo na loja.

Por isso, é importante ter uma página inicial atrativa, com ofertas de destaque e, de preferência, conteúdos personalizados. Você pode utilizar aplicativos de recomendações personalizadas, com base no histórico de compras e navegação e até inteligência artificial.

5. Ofereça filtros e sugestões de pesquisa

Alguns usuários preferem pesquisar produtos pelo menu e páginas de categorias. Outros preferem usar a barra de busca interna. De qualquer forma, você deve facilitar a experiência de pesquisa dentro do site.

Para isso, ofereça filtros que ajudem a encontrar os produtos desejados, além de sugestões relevantes à medida que o usuário digita sua busca na barra de pesquisa. Além disso, ofereça opções de ordenação dos resultados – por preço, nome, desconto etc.

6. Crie páginas de categorias eficientes

As páginas de categorias também são essenciais na otimização de UX, já que muitos usuários passam por elas quando querem pesquisar e comparar opções. Isso geralmente acontece com consumidores de meio de funil, que ainda não estão decididos sobre qual item comprar.

Então, nas páginas de categorias, ofereça conteúdos de apoio (como textos descritivos, comparativos entre produtos e perguntas frequentes), além de filtros de pesquisa que otimizem a busca na categoria.

7. Detalhe a descrição dos produtos

Uma boa experiência passa também pela qualidade da informação. Afinal, durante a jornada de compra, os consumidores querem ser bem informados para tomar melhores decisões.

Por isso, as descrições dos produtos são imprescindíveis em UX para e-commerce. Assim, forneça uma descrição completa e atrativa, as especificações técnicas (tamanho, material, quantidade etc.), avaliações de clientes, além do preço e das condições de pagamento.

8. Capriche nas imagens dos produtos

Consumidores online compram à distância. Por isso, eles precisam de imagens de qualidade para conhecer melhor o produto e saber o que estão comprando. Então, capriche nas fotos e vídeos do produto:

  • Use uma boa iluminação nas imagens;
  • Dê opções de zoom e/ou 360 graus;
  • Tire fotos com fundo infinito ou em um cenário adequado;
  • Inclua imagens do produto em uso;
  • Explore vários ângulos do produto.

9. Disponibilize o cálculo do frete na página de produto

Muitos usuários desistem de comprar um produto quando chegam no carrinho por causa do frete. Eles se frustram não apenas com o preço, mas também por não saberem dessa informação antes de tomarem a sua decisão final.

Por isso, seja transparente com o consumidor: forneça o cálculo de preço e prazo do frete já na página de produto. Assim, o comprador já pode decidir se vale a pena avançar no processo de compra ou não.

10. Facilite o cadastro para a compra

Outro motivo comum para desistência da compra é exigir um cadastro antes da compra. É comum que o comprador faça login antes da aquisição, para que a loja recupere seus dados e reduza os passos para a compra.

Porém, quem ainda não tem cadastro ou tem dificuldades de fazer login (esqueceu a senha, por exemplo) pode se desmotivar a comprar.

Então, primeiramente, analise se você realmente precisa do cadastro do cliente. Algumas lojas oferecem a compra sem login, que apenas exige os dados de endereço e pagamento.

Já nas compras com login, peça um cadastro simples e com poucos campos. Você também pode integrar com o login social, por meio de uma conta no Facebook ou no Google, por exemplo.

11. Simplifique o processo de checkout

O processo de checkout é um momento determinante para a conversão. Por isso, os elementos de user experience devem ser muito bem pensados.

A ordem aqui é simplificar a finalização da compra. O usuário não deve ter qualquer dificuldade nem perder tempo ao preencher dados do formulário e seguir as etapas.

Elimine também as distrações, como os links do cabeçalho e do rodapé, que podem levar o comprador para fora do checkout. O foco é finalizar a compra.

12. Ofereça segurança para os usuários

Segurança é um elemento importante de UX para e-commerce. Os usuários precisam se sentir seguros para navegar no seu site e preencher seus dados para a compra.

Por isso, tenha um certificado SSL e utilize o protocolo HTTPS, que oferece uma navegação segura. Além disso, forneça sinais de confiança, como certificações de segurança (Site Blindado, Certisign etc.) e dados transparentes sobre o seu negócio.

13. Ofereça acessibilidade

Entre os visitantes do seu site, provavelmente existem pessoas com alguma deficiência intelectual, motora, visual ou auditiva. Um estudo da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) constatou que 95% das pessoas com deficiência costumam comprar online.

Então, garanta que toda e qualquer pessoa possa acessar o seu site sem dificuldades. Para ter um site acessível, é importante oferecer controles sobre os tamanhos da fonte, as cores do layout, o zoom das imagens. Além disso, prepare o site para os leitores de tela, com descrições de imagens e menus bem configurados.

14. Desenvolva em mobile first

Mobile first é uma perspectiva de design e desenvolvimento de sites que coloca os dispositivos móveis em primeiro lugar. É diferente do que costumam fazer designers e desenvolvedores, que pensam primeiramente no desktop, depois adaptam para o mobile.

O celular é usado pela maioria dos consumidores para fazer compras pela internet. Então, não deixe esse usuário mal atendido. Garanta que ele tenha uma experiência de compra agradável, sem falhas e obstáculos que o façam desistir.

15. Melhore a velocidade do site

A velocidade do site influencia diretamente nas conversões. Bastam alguns segundos de demora para que o usuário desista de acessar o e-commerce.

Então, verifique como está a velocidade de carregamento e de respostas às interações dos usuários. Essas métricas fazem parte do Core Web Vitals, que o Google considera como sinais vitais para a experiência do usuário.

Utilize a ferramenta PageSpeed Insights para avaliar as suas páginas e faça as correções necessárias.

16. Utilize um layout simples e intuitivo

Começamos falando que estética não é o único fator importante de UX. Mas é um deles. Por isso, não deixe de lado o layout do e-commerce. O visual do site é essencial para criar identificação com o público e facilitar a sua experiência de compra.

Invista em um layout atrativo, com a identidade da sua marca, que desperte a conexão com o usuário. Além disso, utilize padrões da web, como a localização da marca e do menu na barra superior de todas as páginas do site e os dados da empresa no rodapé. Assim, o visitante se localiza e navega mais facilmente pela loja.

Então, você já tem várias dicas de como melhorar o UX para conversão no e-commerce. São ações necessárias para conquistar o seu consumidor online, que quer ser bem atendido e encontrar facilmente o que deseja na sua loja.

Leia também: Como o consumidor define uma experiência positiva no e-commerce?

O post Como UX pode ajudar na conversão do e-commerce apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Como UX pode ajudar na conversão do e-commerce. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.