Ads Top

Core Web Vitals: como essa atualização impacta o seu e-commerce?

O Google anunciou a incorporação de um conjunto de métricas para priorizar sites que oferecem uma boa experiência ao usuário. Para as lojas virtuais, isso significa novas diretrizes para aumentar seu alcance e a satisfação dos consumidores online.

As novidades estão relacionadas à velocidade e estabilidade que os sites têm para responder às interações dos usuários. Acompanhe e entenda neste post tudo sobre o Core Web Vitals.

O que é Core Web Vitals?

O Core Web Vitals é o conjunto de métricas que foram incorporadas ao Google em maio de 2020. Elas têm o objetivo de medir a qualidade dos sites e priorizar a visibilidade daqueles que oferecem boas experiências aos usuários do buscador.

Core Web Vitals, em uma tradução para o português, ficaria como “Sinais Vitais para a Web”. As métricas (ou sinais) incorporadas ao Google foram:

  • Largest Contentful Paint — Maior Renderização de Conteúdo — (LCP);
  • First Input Delay — Atraso de Primeira Entrada — (FID);
  • Cumulative Layout Shift — Mudança de Layout Acumulativa — (CLS).

As três métricas fazem parte de uma nova atualização do Google, denominada de Page Experience Update — Atualização de Experiência de Página —, que entrou em vigor em 2021.

Como funcionam as métricas do Core Web Vitals?

O objetivo por trás das métricas que analisam a experiência do usuário é fazer com que os sites oferecem a melhor usabilidade possível.

Para otimizar os principais aspectos envolvidos nessa experiência, foram elaboradas as métricas do Core Web Vitals. Confira agora como cada uma delas funciona.

Largest Contentful Paint (LCP)

O LCP, ou Largest Contentful Paint, é a métrica que mede a velocidade de carregamento de uma página para o usuário. Ou seja, é o tempo que leva entre a entrada do usuário no site e a renderização dos elementos centrais da primeira página.

O Google avalia que o ideal para garantir uma experiência satisfatória ao usuário seja manter o tempo de LPC abaixo de 2,5 segundos. Entre 2,5 e 4 segundos, é recomendado fazer ajustes para reduzir o tempo. Acima de 4 segundos, o tempo de carregamento já é considerável inconveniente e prejudica a experiência do usuário.

First Input Delay (FID)

FID ou Atraso de Primeira Entrada mede o tempo de resposta à primeira interação do usuário com a página. Ou seja, é o tempo que leva entre a primeira interação do usuário (como um clique) até o processamento que o site faz dessa interação.

O ideal é que o tempo de FID seja de no máximo 100 milissegundos, ou seja, um tempo imperceptível para os usuários. Dessa forma, é possível explorar os elementos assim que a página conclui seu carregamento. Um FID acima de 300 milissegundos já é considerado uma experiência não tão satisfatória.

Cumulative Layout Shift (CLS)

O CLS ou Mudança de Layout Acumulativa é a métrica que mede a frequência das mudanças inesperadas que acontecem no layout de uma página.

As mudanças no layout acontecem enquanto o usuário está interagindo com a página. Por exemplo, quando você entra em um site e, depois de alguns segundos, surge um número de pop-ups na tela ou quando os botões do site mudam de posição. Essas situações podem fazer com que você clique onde não queria e acabe mudando de página por conta disso.

Isso pode acontecer devido a vários fatores. Por exemplo, quando as imagens do site não têm um tamanho definido e carregam de forma assíncrona. Esse e outros problemas de configuração prejudicam a experiência da página.

Quais são as outras métricas que avaliam a experiência na página?

O Google não usa apenas as métricas incorporadas com o Core Web Vitals para avaliar a experiência do usuário na página. Com a atualização, as novas métricas se juntaram a outras que já faziam parte do algoritmo do buscador.

O LCP, FID e CLS se juntaram às seguintes métricas: compatibilidade com dispositivos móveis, navegação segura, uso do protocolo HTTPS e intersticiais não intrusivos (pop-ups). Todas elas, por sua vez, fazem parte dos fatores de ranqueamento que o Google utiliza para organizar os sites nas páginas de resultado de busca.

Isso significa que uma loja virtual precisa estar alinhada às métricas que avaliam a experiência na página e aos demais fatores de ranqueamento se quiser ganhar visibilidade no Google de forma orgânica.

Abaixo, conheça melhor as outras métricas que avaliam a experiência na página.

Compatibilidade com dispositivos móveis

A quantidade de buscas realizadas no Google via smartphone aumentou de forma significativa nos últimos anos, o que levou o buscador a priorizar desde 2015 sites mobile-friendy, ou seja, amigáveis aos dispositivos móveis.

Trata-se de sites que não prejudicam a experiência de usuários que realizam o acesso por dispositivos móveis. Essas plataformas adaptam seus elementos à tela do usuário de forma automática — independentemente de qual dispositivo for utilizado.

Navegação segura

A navegação segura é outra métrica que o Google utiliza para avaliar a experiência da página. Isso significa que o site não apresenta problemas para a segurança dos usuários, como malware e phishing.

Ao detectar algum problema na segurança, o Google emite um aviso para o usuário informando o risco. Além disso, o buscador passa a não priorizar o site no ranqueamento nas páginas de resultados.

Uso do protocolo HTTPS

Sites que têm a sigla “HTTPS” na barra de endereço garantem uma navegação protegida para o usuário. Trata-se de uma camada de proteção que garante a comunicação criptografada entre o computador do usuário e o servidor.

Logo, os sites que não têm a conexão via HTTPS não garantem o máximo de segurança dos usuários e, consequentemente, são penalizados pelo Google.

Intersticiais não intrusivos (pop-ups)

Intersticiais intrusivos parece um nome complicado, mas o termo se refere aos anúncios que surgem assim que o usuário entra em um site. Eles também são chamados de “pop-ups”.

Nem todos os tipos de pop-ups são penalizados pelo Google. As penalizações ocorrem geralmente quando os anúncios estão presentes de forma excessiva e bloqueiam o conteúdo da página.

Qual é o impacto do Core Web Vital no e-commerce?

O Google analisou milhões de páginas para entender como o Core Web Vitals afeta a experiência dos usuários e, consequentemente, a performance dos sites.

Confira abaixo quais são os principais impactos.

Chance de abandono das páginas

Alguns dados recentes divulgados pelo Google relevam que as lojas virtuais que priorizam as diretrizes das novas métricas podem diminuir em 24% a chance de os consumidores abandonarem suas páginas.

Para administradores que acompanham os resultados do site pelo Google Analytics, isso significa uma diminuição drástica na taxa de rejeição, que mede o percentual de usuários que acessaram o site, mas saíram antes de interagirem com algum elemento.

Ranqueamento e tráfego orgânico

Com a atualização Core Web Vitals, as métricas LCP, FID e CLS passaram a fazer parte dos fatores do Google que interferem de forma direita na classificação dos sites em páginas de resultados e no destaque que eles adquirem por meio do Google.

Portanto, os sites que não priorizam as recomendações referentes à experiência do usuário tendem a perder ainda mais posições no ranqueamento e sofrer penalizações do Google.

Jornada do consumidor

As métricas do Core Web Vitals ajudam os lojistas virtuais a se prepararem para uma jornada de compra que coloca a experiência do usuário no centro.

Os consumidores online não têm muito tempo para perder e querem acessar logo o conteúdo. Qualquer obstáculo nesse processo aumenta o risco de abandono de página. Não à toa, a taxa de rejeição é um dos grandes desafios de um e-commerce.

Como preparar o e-commerce para o Core Web Vitals?

Algumas medidas para melhorar a pontuação nas métricas de Core Web Vitals têm características mais técnicas. Por isso, pode ser necessária a ajuda de um profissional para aplicá-las se você não está tão familiarizado com programação e SEO técnico.

Contudo, também existem medidas que qualquer administrador de sites pode colocar em prática. Quer saber quais são todas elas? A seguir, vamos entender melhor as principais técnicas para preparar uma loja virtual para o Core Web Vitals.

Analise a performance do seu e-commerce

Primeiro de tudo, é preciso testar o site e acompanhar seu desempenho para saber em quais requisitos ele mais necessita de ajustes. Para avaliar as métricas do Core Web Vitals, existem uma série de ferramentas que podem ser úteis para você.

A principal delas é o Google Search Console (GSC), uma plataforma gratuita do Google que está disponível para todos os administradores de sites. O GSC emite um relatório específico que avalia as métricas LCP, FID e CLS com base no desempenho de um site.

Outra ferramenta é o Web Vitals que, na verdade, é uma extensão do Google Chrome para determinar em tempo real as páginas de um site com melhor desempenho.

Se você está procurando uma ferramenta tão completa quanto o Google Search Console, uma opção é o PageSpeed Insights. Além de medir a velocidade das páginas, a ferramenta oferece relatórios sobre as métricas do Core Web Vitals, entre outros recursos.

Melhore o tempo de resposta do servidor

O processamento das imagens na tela depende do tempo que leva para o navegador comunicar o conteúdo para o servidor do site. Se esse tempo for longo, é bem provável que as métricas do Core Web Vitals sejam afetadas.

Para otimizar o tempo de resposta, é preciso, por exemplo, evitar servidores compartilhados e armazenar em cachê o conteúdo de páginas HTML.

Saiba como diminuir o tempo de carregamento do site

Sites com baixa velocidade de carregamento estão entre os maiores problemas enfrentados pelos consumidores online. Quando isso acontece, é inevitável que eles abandonem imediatamente o site para buscar o que precisam em outro lugar.

Existe uma série de medidas que ajudam a diminuir o tempo de carregamento do site. Por exemplo, você pode comprimir as imagens que estão presentes nas páginas para evitar uma lentidão desnecessária.

Outra medida é reduzir os recursos de arquivos JavaScript e CSS para remover caracteres desnecessários em seu código, como recuo, quebras de linha e espaços em brancos. Fazendo isso, o carregamento da página pode ganhar mais agilidade.

Chegamos ao final do nosso guia e esperamos que você tenha entendido o impacto do Core Web Vitals para as lojas virtuais. Como vimos, todos saem ganhando com as novas métricas incorporadas ao Google. Para os consumidores, fica mais fácil encontrar o que desejam. Para os lojistas, há o ganho de tráfego, ranqueamento e autoridade no segmento.

O post Core Web Vitals: como essa atualização impacta o seu e-commerce? apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Core Web Vitals: como essa atualização impacta o seu e-commerce?. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.