Ads Top

Mercado Pet: como o e-commerce B2B pode potencializar o setor

Ninguém pode negar que os pets saltaram do jardim da casa para a cama e o sofá dos seus donos. A humanização dos animais de estimação contribuiu (e muito) para que o mercado pet se tornasse um dos maiores no mundo. Para termos uma ideia, o faturamento das vendas do varejo pet no mundo foi de US$ 145,8 bilhões em 2020, um crescimento de 11% em relação aos US$ 131,1 bilhões de 2019. Os números foram compilados pelo Instituto Pet Brasil.

Se no mercado B2C o e-commerce tem papel fundamental para que os produtos cheguem mais rápido e em regiões antes inalcançáveis, no B2B esse cenário também tem sido promissor. Isso porque cada vez mais a indústria tem buscado ingressar no mundo virtual, apostando nesta nova forma de se relacionar e de fomentar novos outros de vendas.

Um canal de vendas B2B no segmento pet permite que vendas online e através de representantes coexistam e potencializem o negócio, ao invés de limitá-lo. Dessa forma, somando as forças e peculiaridades de um e outro (sem nenhuma limitação geográfica, com rapidez na entrega e facilitadores para os fretes), as expectativas de crescimento só aumentam.

O mesmo serve para as categorias de importador, distribuidor e atacadista. Afinal, muitas empresas desse segmento apenas distribuem multi-marcas de produtos para pet, e não necessariamente produzem os mesmos. As dores dessas empresas se assemelham bastante às das indústrias — ou seja, também precisam gerenciar de maneira simplificada as diversas variáveis envolvidas no processo de venda.

Para quem pretende entrar nesse mercado de venda entre empresas, seja indústria, importador, distribuidor ou atacadista, é preciso mais do que conhecimento na área, mas investimento em uma ferramenta que atue com expertise nos detalhes desse tipo de negócios. Veja bem, a própria formatação da loja costuma ser diferente do que encontramos no comércio eletrônico voltado ao consumidor final. É o caso da política de negócios, por exemplo.

Com a tecnologia aplicada da maneira certa, processos como as tabelas de preços adequadas ao perfil da indústria, além de todos os enlaces que envolvem os métodos de pagamento, se tornam viáveis e simples. Além desta flexibilização potencializada pela inovação, um sistema bem definido é capaz de considerar o cálculo de impostos incidentes sobre as operações levando em consideração as necessidades e leis de cada região.

Isso porque o cálculo realizado por um sistema especializado em e-commerce B2B trata da questão tributária de modo automatizado e preciso. Por que isso é tão importante? Quanto menos processos internos sua empresa tiver, menos ajustes serão necessários. No fim das contas, isso promoverá agilidade, redução de custos, ganho de tempo, etc.

Mas, o que seria esse sistema especializado capaz de proporcionar movimento ao mercado pet B2B? Estou falando de uma ferramenta robusta, flexível e versátil, que atenda qualquer operação independente do porte ou segmento. Sim, possui recursos especializados para cada modelo de negócio, seja para vender para outras empresas, vender em marketplaces ou se tornar um marketplace.

Na prática, a integração de API’s com mais de ERP’s, a gestão de catálogo, estoque, preços, pedidos, políticas comerciais, frete, CRM e mais tudo que esse modelo de negócio exige deve estar alinhado e funcionando bem. Isso requer extensões, recursos especializados, relatórios, além de processos que administrem as transações e acompanhem os resultados através de um dashboard completo e intuitivo. Incluo nessa lista de prioridades a necessidade de uma gestão de frete descomplicada. Sem contar, claro, uma série de detalhes que envolvem:

  • formas de pagamento disponíveis;
  • políticas de preço por canal de vendas;
  • condições especiais para revendedores;
  • e sistema de recuperação de vendas.

Embora seja um segmento desafiador, o mercado pet é extremamente resistente às crises econômicas, se mantendo sempre entre os três primeiros setores com mais faturamento no mundo. A concorrência é grande, seja para B2C ou B2B. Porém, quem já entendeu a importância da transformação digital para potencializar seu modelo de negócio terá lugar garantido hoje, amanhã e sempre.

O post Mercado Pet: como o e-commerce B2B pode potencializar o setor apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Mercado Pet: como o e-commerce B2B pode potencializar o setor. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.