Ads Top

Saiba como o WhatsApp Pay poderá impactar o e-commerce

Os aplicativos de mensagens instantâneas têm sido uma ferramenta muito importante na comunicação entre marcas e clientes. E isso ocorre especialmente com o crescimento do e-commerce e a digitalização das empresas no Brasil. Afinal, funcionalidades como exibição de catálogo e respostas automáticas já são bem conhecidas. Entretanto, uma novidade pode tornar esse tipo de aplicativo ainda mais importante e dinâmico: o pagamento diretamente dentro da plataforma por meio do WhatsApp Pay.

Mercado Pago, PayPal e PagSeguro são alguns dos gateways de pagamento mais populares entre as lojas de e-commerce atualmente. São alternativas interessantes especialmente para quem tem um bom volume de compras em canais mais convencionais, como o site da loja. Em muitas empresas, entretanto, o uso de outras plataformas para o fechamento de vendas já é tendência. Uma pesquisa do Sebrae e da Fundação Getúlio Vargas (FGV), feita no final de 2020, constatou que 70% das empresas utilizam redes sociais, aplicativos ou internet para impulsionar as vendas. Entre elas, 84% indicam o WhatsApp como a principal ferramenta de vendas.

Imagem do aplicativo do WhatsApp Pay na tela do smartphone
A expectativa é de que o serviço de pagamento WhatsApp Pay esteja disponível para as empresas em breve.

O uso frequente do aplicativo para vendas deixa claro que as empresas e lojas online precisam estar atualizadas e inserir esse tipo de ferramenta em suas aplicações do dia a dia, aumentando a chance de sucesso nas transações e na conquista de novos clientes por conta da praticidade e do alinhamento com as novas tecnologias.

Para usar a função de pagamento é necessário cadastrar um cartão pré-pago, de débito ou múltiplos com a função de débito. A partir daí, é preciso criar um PIN de seis dígitos e cadastrar a biometria para a segurança e o controle dos seus pagamentos — além de informar alguns dados pessoais. Para enviar dinheiro ou receber, basta usar as opções “pagar” ou “solicitar”.

Como isso pode impactar o e-commerce

Por enquanto, a transferência de dinheiro pelo WhatsApp Pay só é possível entre CPFs. Ou seja, ainda não há a possibilidade de fazer transações entre CNPJs ou entre CPF e CNPJ, como acontece com o WhatsApp Business. A expectativa, entretanto, é de que o serviço esteja disponível para as empresas em breve.

Com a ferramenta funcionando de forma integral para os lojistas, será possível observar uma evolução na forma de efetuar as transações. Isso porque, dessa forma, a jornada do cliente vai ser realizada completamente dentro do aplicativo, sem a necessidade de encaminhar o cliente para uma plataforma de pagamento externa. Para garantir uma experiência completa ao cliente, basta combinar a opção de pagamento dentro da conversa com o catálogo de produtos da loja, horário de atendimento e mensagens informativas — opções que já estão disponíveis dentro do aplicativo e fazem toda a diferença para o comércio online.

A facilidade nas transações é uma tendência que cresce cada vez mais entre os consumidores (vide o sucesso do pagamento por Pix). Segundo dados do Banco Central do Brasil (BC), apresentados em junho de 2021, o Pix ultrapassou o boleto em março, quando alcançou 393 mil transações. Foram nada menos do que cerca de 25 mil a mais que o tradicional pagamento. Em maio, as transações por Pix chegaram a 649 mil, bem superior a outros meios de pagamentos do BC, como DOC, TED e cheque.

O post Saiba como o WhatsApp Pay poderá impactar o e-commerce apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Saiba como o WhatsApp Pay poderá impactar o e-commerce. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.