Ads Top

Marketing Cultural: O Que É e Como Fazer (+3 Exemplos)

marketing cultural

Não faltam boas razões para conhecer e investir no marketing cultural

Essa estratégia pode ser tudo o que uma empresa precisa para se diferenciar dos concorrentes e sair na frente para conquistar seu público.

Muito além de aumentar as vendas, tem por objetivo gerar impacto positivo na sociedade.

Ou seja, é algo que os clientes estão cobrando cada vez mais das marcas hoje em dia.

Mas se permita ver a questão um pouco além.

Já ouviu aquele ditado popular que diz que de nada adianta fazer sempre as mesmas coisas, esperando resultados diferentes?

Quando aplicado ao mundo empresarial, pode ser entendido como diversificar as ações de marketing.

E o marketing cultural entra justamente aí como uma oportunidade excelente de fazer diferente.

O mais bacana é que não vai beneficiar apenas a sua empresa, mas servir para abraçar uma causa ainda maior.

O que inclui artistas, produtores e comunidades que talvez não pudessem viver a mesma experiência sem a sua ajuda.

Consegue perceber como é uma ideia imperdível e que tem tudo para gerar bons frutos?

Se a resposta é positiva e está animado para saber mais, continue lendo.

O que é marketing cultural?

Marketing cultural é uma estratégia que ajuda a humanizar a marca e, assim, a conquistar o coração de uma audiência ainda maior, aumentando sua visibilidade no mercado.

Pode também ser definido como um conjunto de estratégias que usam a cultura para agregar valor à marca.

Assim, é usado tanto para divulgar produtos ou serviços quanto para aumentar a sua visibilidade.

O marketing cultural parte do princípio que a geração de lucro vem como consequência natural do seu impacto positivo na sociedade.

Então, é uma estratégia com um papel social bastante interessante.

Também acredito que, hoje em dia, é uma das formas mais conhecidas para se fortalecer o branding.

Para comprovar isso, ainda neste conteúdo, vou mostrar alguns exemplos que vão te fazer entender, na prática, como isso acontece.

Mas, voltando ao conceito de marketing cultural, ele diz muito sobre posicionamento, mas não apenas isso.

É como um atalho para ampliar a competitividade, deixar a concorrência para trás e também uma forma de se aproximar ainda mais do público-alvo.

É capaz de transformar sua marca em uma opção de entretenimento para os consumidores, o que gera um grande diferencial de mercado.

Com o uso do marketing cultural, você pode cativar seu público, aproximar ele da marca e ainda por cima mostrar sua responsabilidade social.

Afinal, é uma iniciativa que ajuda a transformar vidas.

Como funciona o marketing cultural

equipe marketing cultural

Em termos práticos, o marketing cultural pode acontecer de quatro formas distintas:

  1. Marketing cultural de fim
  2. Marketing cultural de agente
  3. Marketing cultural de meio
  4. Marketing cultural misto

Cada uma dessas formas possui suas particularidades.

Explico melhor sobre quais são elas agora mesmo para que possa fazer a melhor escolha de acordo com os objetivos da sua empresa:

1. Marketing cultural de fim

Com foco em cultura, o marketing cultural de fim começa com a criação do produto ou serviço e vai até o trabalho de marketing realizado sobre ele.

Por isso mesmo, embora seja “de fim” é o primeiro dos tipos de marketing cultural.

2. Marketing cultural de agente

Como o nome leva crer, o marketing cultural de agente não é tocado pelo dono da empresa e sim por um especialista em cultura.

Pode ser ele um produtor cultural ou uma agência de marketing cultural, por exemplo.

O trabalho desse profissional é, justamente, analisar o mercado e identificar as melhores oportunidades de ações com as quais a marca possa ser associada.

3. Marketing cultural de meio

O marketing cultural de meio se baseia no patrocínio de ações culturais e pode ser usado em diferentes tipos de promoção cultural.

4. Marketing cultural misto

Já o marketing cultural misto se baseia na ideia de duas ou mais empresas que, juntas, vão patrocinar um mesmo projeto cultural.

Assim sendo, elas podem apoiar tanto o próprio negócio quanto as outras partes envolvidas.

No entanto, o desafio se torna fazer com que uma empresa não se destaque mais do que a outra.

Por que investir em marketing cultural?

Investir em marketing cultural é uma forma de gerar uma série de benefícios para a sua marca.

É sucesso na certa, quando bem planejado – é claro.

Listo a seguir quatro bons motivos para considerar a ideia de incluir essa estratégia em seu mix de comunicação.

1. Oferecer vantagem competitiva

Com a grande competitividade do mercado hoje em dia, o marketing cultural funciona como uma forma de sair na frente.

Representa um diferencial competitivo, aproximando a empresa de possíveis novos clientes antes que os concorrentes cheguem até eles.

E mais: funciona como uma opção de entretenimento para o seu público.

Um ponto valioso para a sua marca.

2. Contribuir com a cultura local

Como a cultura também inclui padrões de comportamento, costumes e crenças, é certo dizer que no mercado existem consumidores de diversos grupos culturais.

Logo, cabe à sua marca entender em quais desses grupos estão aqueles que fazem parte de seu público-alvo.

Esse é o primeiro passo para que possa usar o marketing cultural a seu favor.

Afinal, cá entre nós, nada mais eficiente do que despertar a sensação de pertencimento e fazer com que o seu público se sinta abraçado pela sua empresa, não é mesmo?

Quem não gosta da sensação de se sentir em casa?

Lembre-se desse detalhe ao montar seu plano de marketing cultural, pois as chances de obter sucesso em sua empreitada serão muito maiores.

3. Trazer um diferencial para os jovens

O público jovem gosta muito de participar de experiências culturais que envolvem criatividade e inovação.

Então, desenvolver estratégias de marketing cultural também é uma oportunidade para conquistar o conhecimento desse público.

Vale lembrar, mais uma vez, o quanto é importante conhecer seus gostos, necessidades e preferências para planejar as ações culturais mais relevantes para eles.

Não sabe por onde começar?

Leia meu artigo com tudo sobre personas para entender melhor o seu público.

4. Agregar o fortalecimento da imagem à responsabilidade social

Demonstrar preocupação com temáticas sociais é uma forma de dizer ao mercado que a marca se importa em gerar impacto positivo no mundo.

E isso vai muito além de se limitar a desenvolver produtos ou serviços que atendam às necessidades dos consumidores.

É gerar valor à marca e à vida de outras pessoas em uma relação de ganha-ganha.

Sua empresa ganha, o artista ganha, o produtor cultural ganha, os trabalhadores envolvidos ganham e a comunidade ganha.

Todo mundo fica feliz e, como já é de se imaginar, o seu público também.

Como fazer marketing cultural em 5 passos

marketing cultural

Tem interesse em gerar resultados positivos para a sua empresa e, principalmente, em deixar sua marca no mundo (ou pelo menos na comunidade mais próxima)?

Separei algumas dicas úteis sobre como fazer marketing cultural.

Confira!

Defina seu público-alvo

Assim como acontece em qualquer estratégia, no plano de marketing cultural o primeiro passo é definir o público-alvo.

Isto é, a fatia da sua audiência que você deseja impactar com a sua ação cultural.

Para isso, será preciso analisar os comportamentos, conhecimentos e costumes das pessoas que fazem parte dela.

Defina o modelo (fim, meio, agente ou misto)

O próximo passo, então, é escolher a categoria pela qual deseja optar para dar início às estratégias de marketing cultural que tem em mente.

É importante lembrar que, seja qual for o modelo escolhido, será preciso estabelecer uma conexão com a sua empresa.

Procure deixar claro para o seu público como a marca pode ajudar a resolver às questões sociais envolvidas nessas ações.

Produza conteúdo

Agora, é só produzir conteúdo lembrando, claro, que você vai transformar a sua marca em uma forma de entretenimento para pessoas que acompanham sua empresa.

Associar sua marca a um projeto cultural pode servir, inclusive, como oportunidade para ampliar resultados.

Você pode, por exemplo, oferecer amostras de produtos ou serviços, fazer ações exclusivas com convidados especiais, mostrar que os artistas usam seus produtos, entre várias outras possibilidades.

O que manda é a criatividade.

Divulgue sua campanha

Depois que o conteúdo está pronto, basta seguir para a divulgação nos canais que essas pessoas acessam.

Isso porque, por mais óbvio que pareça: sim, elas precisam consumir o que você produziu.

Portanto, tenha o cuidado de estar onde elas também estão para estreitar os laços.

Essa é uma resposta que você encontra na definição das personas, como comentei antes.

Analise os resultados

Como toda estratégia de marketing, o marketing cultural também deve ser mensurado para a identificação de melhorias e oportunidades.

É o momento de olhar para as métricas mais importantes para o seu negócio, sem esquecer da mídia espontânea gerada com a ação.

Exemplo de empresas que investem em marketing cultural

app banco itau

Nada melhor do que relembrar os trabalhos realizados por grandes players do mercado para se inspirar ao criar suas próprias estratégias de marketing cultural.

Concorda?

Aqui vão três exemplos!

Coca-Cola

Como não poderia deixar de ser, o primeiro exemplo que eu trago aqui é ninguém mais, ninguém menos que a marca de refrigerantes mais consumida no mundo.

Muito mais do que criar propagandas movidas à felicidade de adquirir o produto, a Coca-Cola faz investimentos recorrentes em eventos culturais.

Exemplos mais conhecidos são a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos.

Mas há apoio também a iniciativas locais.

Para citar um lugar específico, no Amazonas, a marca já apoiou o Amazonas Film Festival e o tradicional Festival Folclórico de Parintins.

Banco Itaú

Outro gigante do mercado, o Banco Itaú se preocupa tanto em cumprir sua missão de contribuir para o desenvolvimento sustentável que investe pesadamente em cultura.

Já criou, inclusive, uma área exclusiva para tratar desse tipo de ação: o Itaú Cultural.

Segundo informações do site da empresa, já foram investidos R$ 157 milhões em 323 projetos.

Isso porque, o Itaú acredita que a cultura é essencial para promover uma transformação social no país.

Ambev

Conhecida como uma das maiores cervejarias do Brasil, a Ambev também trabalha muito bem suas estratégias de marketing cultural.

Uma de suas marcas, a Skol, incentiva a apresentação de artistas locais com o projeto Skol Beats, enquanto outras impactam até na área esportiva.

A Stella Artois, por exemplo, patrocina o torneio mais antigo de tênis do país, o Brasil Open de Tênis.

E quem não concorda que esporte é cultura?

Marketing cultural e a Lei de Incentivo Fiscal

Outra vantagem de trabalhar estratégias de marketing cultural e que nem todo mundo sabe diz respeito ao abatimento nos impostos das empresas.

Isso mesmo: apoiar ou patrocinar projetos culturais pode gerar uma determinada porcentagem de renúncia sobre os impostos devidos ao governo federal.

É o que acontece quando uma organização decide patrocinar um determinado projeto, artista ou evento que tem características semelhantes aos seus.

Uma empresa pode fazer isso ao usar, por exemplo, a antiga Lei Rouanet: Lei Federal de Incentivo à Cultura.

Com a renúncia de 4% do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) devido ao governo federal, é possível patrocinar projetos culturais de seu interesse.

Todas as empresas tributadas em Lucro Real podem ter acesso a essa vantagem.

A oportunidade existe também para as pessoas jurídicas e pessoas físicas que fazem declaração completa à Receita Federal. Nesse caso, elas podem destinar até 6% do Imposto de Renda devido.

É uma ótima forma de melhorar a imagem do negócio, engajar clientes, incentivar a cultura no Brasil e transformar vidas.

Conclusão

E você, ficou interessado em começar a trabalhar estratégias de marketing cultural em sua empresa?

Pois vale a pena relembrar que investir em projetos culturais também é uma forma de reduzir a desigualdade no acesso à cultura.

Todos saem ganhando.

Para não ter dúvidas, reforço os benefícios que o marketing cultural pode trazer para o seu negócio.

Aqui vai uma pequena lista:

  • Agrega valor à marca
  • Aproxima a empresa do público
  • Contribui com a cultura local
  • Diferencia a empresa dos concorrentes
  • Fideliza clientes
  • Humaniza o negócio
  • Melhora a comunicação e a imagem institucional da empresa sem custos extras
  • Promovem a identificação do público com conteúdo relevante e também a sensação de pertencimento
  • É uma forma de construir relações ainda mais duradouras com os clientes
  • Pode contribuir com a redução do custo de aquisição de clientes e também a taxa de churn
  • Reforça o papel da empresa perante a sociedade
  • Melhora o relacionamento da empresa com outras esferas do governo.

Este conteúdo sobre marketing cultural foi útil para você?

Então, me conte nos comentários o que pensa em fazer daqui para frente ou compartilhe alguma experiência cultural que já tenha visto e curtido.

Como imagina o marketing cultural inserido na rotina da empresa?

The post Marketing Cultural: O Que É e Como Fazer (+3 Exemplos) appeared first on Neil Patel.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Marketing Cultural: O Que É e Como Fazer (+3 Exemplos). Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.