Ads Top

Social commerce: como vender nas redes sociais

A popularização da internet trouxe uma nova maneira de consumo que, ao longo dos anos, se expandiu através do surgimento das redes sociais. Ela não apenas transformou a maneira como as pessoas se relacionam entre si, mas também como elas se relacionam com as marcas.

O social commerce surgiu, então, como um novo formato de venda e da necessidade de as empresas se aproximarem dos clientes, tornando-se uma das estratégias de negócio mais revolucionárias do momento, sobretudo para os varejistas. O conceito é bastante simples e o próprio nome já sugere: vender produtos e/ou serviços diretamente pelas redes sociais.

O social commerce surgiu porque empresas precisavam se aproximar de clientes, e hoje é uma das estratégias de vendas mais revolucionárias.

Principais redes sociais para se trabalhar com social commerce

Dentre os canais digitais, ao contrário do que muitos pensam, o Instagram e o Facebook não são os únicos eficientes quando se fala na estratégia de s-commerce – embora sejam os mais conhecidos e utilizados pelos varejistas e consumidores.

Veja abaixo as principais redes sociais para se trabalhar com social commerce:

WhatsApp

O WhatsApp deixou de ser apenas uma ferramenta de mensagens para se tornar um canal de compras. Tanto que o aplicativo passou a contar com uma aba dedicada à compra de produtos. De acordo com o estudo oferecido pela Infobip, plataforma global de comunicação omnichannel, e realizado pela Opinion Box (empresa de pesquisas) em parceria com o site de notícias Mobile Time, mais de 80% dos brasileiros usam o app para falar com as marcas.

Instagram

O Instagram é, com certeza, a rede social mais utilizada e intuitiva em termos de experiência de compra. Além disso, o recurso de compras do aplicativo foi construído de maneira que os consumidores podem levar um “shopping digital” consigo o tempo todo. Ou seja, a oportunidade de realizar uma compra está – literalmente – a um mero clique de distância.

Segundo o estudo realizado ano passado pela Nuvemshop (e publicado na 6ª edição do NuvemCommerce), aproximadamente 87% das vendas dos entrevistados correspondem ao Instagram, destacando sua importância na estratégia dos lojistas. Sendo que 57% afirmam utilizar o Instagram Shopping, recurso que possibilita a experiência de comprar sem sair do app.

Facebook

Quem acredita que o Facebook “morreu” está muito enganado. Ele continua sendo parte essencial da estratégia de marketing e é um canal indispensável para estabelecer proximidade com o público e identificar quem está interessado em adquirir seu produto e/ou serviço.

A abordagem atual do Facebook em relação ao social commerce é baseada em seu marketplace, tendo mais de um bilhão de usuários ativos, conectando vendedores e compradores no Brasil e ao redor do mundo. Além do mais, aproximadamente 250 milhões de pessoas interagem com lojistas virtuais, comprovando todo o potencial dessa plataforma.

TikTok

Por meio de vídeos curtos e descontraídos, as empresas estão atraindo novos clientes e fidelizando os antigos, assim como expandindo o reconhecimento de marca através da rede.

Além disso, o marketing de influenciadores está fortemente relacionado ao social commerce dentro do TikTok, uma vez que os consumidores levam bastante em consideração a opinião deles antes de realizar uma compra, da mesma forma que acontece no Instagram.

Pinterest

O Pinterest é uma rede social criada com enfoque principal no compartilhamento de imagens.

Porém, diferentemente do vizinho Instagram, a organização do conteúdo possibilita que os usuários criem uma espécie de “quadro de inspirações”. Usar essa plataforma para vender é uma maneira estratégica de atingir um novo mercado e aumentar as possibilidades de conversão.

Com mais de 442 milhões de usuários em todo o mundo, estima-se que aproximadamente 77% dos usuários ativos tenham contato com novos produtos ou marcas através dos pins no Pinterest.

Atualmente, as empresas estão buscando cada vez mais alcançar seus clientes onde quer que eles estejam. E as redes sociais são realmente imprescindíveis nesse sentido. Uma vez que, graças às suas proporções gigantescas e à influência que exercem em nosso dia a dia, esses canais mudaram a forma como as pessoas compram e também interagem com as empresas.

Afinal, os consumidores passaram a usar as redes sociais para pesquisar ofertas, tirar dúvidas, buscar opiniões e, consequentemente, se sentirem confiantes para realizar a compra. As redes se tornaram as novas vitrines das marcas. Tudo é validado por elas. Antes de efetuar a compra, como dito acima, os clientes já tiveram um contato prévio com a empresa ou foram impactados por algum anúncio. E só então tomam a decisão de adquirir um produto/serviço.

Leia também: No Brasil, social commerce deve crescer 44,9% em 2022, chegando a US$ 2.218,6 mi

O post Social commerce: como vender nas redes sociais apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Social commerce: como vender nas redes sociais. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.