Ads Top

Quebre o seu e-commerce

Provavelmente, você já ouviu que para seu e-commerce ter sucesso você precisa investir em marketing, e é necessário dizer que isso é uma meia verdade.

Meia porque todas as operações, de fato, precisam de investimentos assertivos em marketing, mas se os esforços são todos voltados a ele as chances de investir em vão são enormes.

Uma operação de e-commerce não se basta apenas com marketing e força de vontade, mesmo que muitos quisessem que fosse assim e que vários outros gurus da internet façam essa promessa.

Uma operação de e-commerce não se basta apenas com marketing e força de vontade.

Dentro de um cenário macroeconômico onde as pequenas e médias empresas estão inseridas no Brasil, somado à ilusão de que esforços pontuais e a abertura de um e-commerce é um projeto simples, construímos um número enorme de negócios que fecham entre os dois e cinco anos de empresa.

A verdade é que mesmo aqueles e-commerces que seguem sobrevivendo às adversidades desse mercado, por vezes, ainda não têm a visão clara do que precisa ser feito para estabelecer uma base sólida que permita a projeção de crescimento da operação.

Atualmente, as operações que conseguem atingir altos volumes de lucro, vendas saudáveis e uma boa reputação no mercado são aquelas que têm gestão.

Por definição, gestão é a ciência capaz de gerar os melhores resultados possíveis a partir dos recursos disponíveis da maneira mais eficiente – por eficiente, podemos entender com o menor investimento possível.

E, como você pode pensar, não basta uma gestão superficial, é necessário que ela seja suficientemente capaz de segmentar, “quebrar” o seu e-commerce em partes que recebem atenção individual enquanto seguem interligadas a todas as outras partes, formando um ecossistema sustentável.

Para compreender isso, é necessário se aprofundar nas ações e principais indicadores de cada pilar que sustenta a sua operação de e-commerce, criando uma rotina de análise de dados e de criação de novos planos de ação que mantenham o negócio em crescimento.

Estoque

Em conjunto com a gestão financeira, a gestão de estoque é um dos pontos sensíveis dentro de um e-commerce.
Afinal, ele é capaz de gerar duas situações: venda e faturamento ou o completo oposto.

Sem um estoque sustentável, é impossível que a sua operação siga de maneira saudável. Isso porque vemos com frequência estoques com prateleiras cheias de produtos que os clientes não querem e, da mesma forma, clientes querendo comprar produtos que estão indisponíveis pela alta demanda e falta de ressuprimento.

A virada de chave costuma acontecer quando os empresários começam a ver os itens em suas prateleiras não como produtos, mas como pilha de dinheiro amontoado, perdendo valor a cada dia.

E, ao mesmo tempo, conseguem entender que os produtos de alta rotatividade, ao invés de manterem dinheiro parado, deixam lucro ao serem enviados.

Entender a gestão de estoque como um fator primordial para a saúde financeira e de crescimento de um e-commerce ainda parece ser uma realidade ligeiramente distante, até para operações que vendem em alto volume, e seguem enfrentando esse problema.

O início da solução aqui passa por:

  • Compreender a curva A de produtos;
  • Analisar individualmente cada SKU quanto à demanda média, estoque de segurança e tempo de reposição;
  • Estabelecer uma política de ressuprimento sustentável de acordo com as projeções de demanda média e sazonais.

Gestão financeira

Gerir financeiramente seu negócio é o que vai fazer com que você lucre de verdade.

Ter alto volume de vendas e faturamento não significa que está sobrando dinheiro para o dono do e-commerce, e a maior parte das operações se mantém pagando os custos fixos e variáveis com dificuldade.

Entretanto, ela ainda não se resume apenas a isso. Embora seja uma parte fundamental de qualquer negócio gerar lucro, é por meio da gestão financeira que as vendas serão realizadas de maneira rentável, assim como o planejamento de campanhas e orçamento definido para elas.

Portanto, realizar uma análise financeira que entende o presente, voltar ao passado e fazer projeções são ações que realmente farão com que após a última linha da DRE exista capital.

As análises financeiras devem se manter constantes, por meio de dashboards de vendas que te mantenham atualizado sobre os diversos canais em que seus produtos estão, de maneira que haja a possibilidade de uma resposta rápida em caso de queda brusca.

Com os dados de DRE, os dashboards e o conhecimento das metas do negócio, é possível realizar projeções financeiras como o número de vendas que devem ser realizadas durante promoções e definir, por exemplo, o orçamento de mídia para o período.

Além disso, existem indicadores fundamentais para acompanhar o crescimento do seu negócio, como o EBITDA, Margem de Contribuição, CAC e LTV.

E, caso você não os acompanhe, essa realidade precisa mudar imediatamente.

Plataformas e tecnologias

Depois de algum tempo pagando altas mensalidades de plataformas, você, provavelmente, deve ter percebido que elas sozinhas não realizam nenhuma venda.

As plataformas são tecnologias importantes para a construção da sua loja virtual e devem ser suficientemente boas para atender aos requisitos que seus produtos e negócio têm.

Para a maioria das operações, algumas das plataformas comerciais serão o bastante para criar uma loja virtual responsiva, com um design atrativo e com as usabilidades para a realização de testes A/B.

O que precisa ser frequentemente avaliado nesse ponto são requisitos como velocidade de carregamento, se a plataforma escolhida recebe as atualizações de SEO recentes e estabelecer uma rotina quinzenal de avaliação de categorias, usabilidade e atualização de descrições de produtos e suas imagens/vídeos.

Para as operações que vendem em marketplaces em alto volume e já sofreram com furo de estoque ou lentidão na atualização de preços pela integração por meio de ERP, é fundamental analisar a possibilidade de inserir um hub para uma integração mais segura e que não te faça perder dinheiro.

Logística

Um e-commerce sem padronização, organização e processos internos mapeados tende a ter excesso de trocas e devoluções – o que custa dinheiro – e demoras em processos que também podem ser otimizados, o que também custa dinheiro.

Portanto, se sua operação não está com práticas personalizadas de logística, esse pode ser um dos fatores que fazem com que sua taxa de recompra seja baixa e sua loja não receba tantas indicações quanto poderia.

Estabelecer uma política organizacional de estoque por SKU e processos para o picking e packing é essencial para que o envio seja feito da maneira mais rápida possível. E todos nós sabemos que receber um código de rastreio rapidamente é um dos prazeres dos clientes de e-commerce.

E, mais do que receber o código, receber a encomenda rápido e pelo menor custo possível também gera satisfação com seu cliente.

Por isso, ter uma rotina de busca por novas empresas logísticas que trabalham com entrega na sua região e por todo país, buscando melhores preços e prazos, pode contribuir para aumentar a sua taxa de conversão.

Afinal, você poderá deslocar para a mão do cliente a escolha do melhor preço e prazo dentre as várias opções disponíveis.

Melhorar a sua logística interna e externa contribui para redução de tempo em atividades mecânicas e faz com que você e seus colaboradores possam focar no que realmente importa: buscar por soluções de outros problemas.

Marketing

A maior atenção que uma operação em andamento deve ter em relação ao marketing é entender que o ROI não paga os seus boletos.

Obviamente é importante que seu ROI seja satisfatório a ponto de entendermos que as ações de marketing estão transformando os investimentos em vendas.

Contudo, buscar sempre por uma taxa de retorno mais alta, enquanto o seu lucro não é tão bom quanto poderia, não é a melhor das estratégias.

Além disso, por vezes, mover o olhar das estratégias de atração de tráfego frio para o remarketing e campanhas de e-mail marketing pode trazer bons resultados em vendas por recompra, fomentando sua base de clientes e estreitando o relacionamento com ela.

Ciclo de melhoria contínua

Este talvez seja o grande “trunfo” das operações que conseguem se manter no digital: manter uma gestão completa baseada em melhoria contínua.

Estabelecer um ciclo de melhoria significa manter uma cultura de negócios onde os processos estão claros, com bons KPIs definidos e, então, é possível analisá-los buscando formas de aprimorar a execução e o resultado.

Existem diversas ferramentas ou técnicas para se estabelecer esse ciclo e, mais uma vez, é importante que elas sejam bastante adequadas para o seu negócio a partir da análise da sua gestão.

Independentemente de qual modelo seja escolhido para se implementar, será por meio dele que toda sua operação conseguirá mapear e solucionar gargalos operacionais que, de alguma forma, travaram suas vendas ou o crescimento do seu e-commerce.

Hora de juntar as partes

“Quebrar” o seu e-commerce não quer dizer que as ações em cada um desses “setores” deva ser isolada, mas sim que absolutamente todas as partes constituintes da sua operação merecem atenção profunda e estratégica para que seja possível crescer seu negócio.

Com esse olhar holístico e profundo, executar as ações de diagnóstico e melhoria fica cada vez mais simples e assertivo, poupando seu dinheiro, trabalho mental e facilitando suas vendas e lucro.

Leia também: Como escolher o melhor hub de integração para o seu negócio

O post Quebre o seu e-commerce apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Quebre o seu e-commerce. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.