Ads Top

2022 marcará a evolução do varejo para operações omnichannel

Os gastos do consumidor nas lojas caíram, a inflação disparou e vários outros fatores que se desenvolveram sob a pandemia estão contribuindo para uma mudança radical nas operações de varejo.

Como utilizar o omnichannel para consolidar a marca e elevar a experiência do cliente

O varejo que quer saltar para compras modernas precisará revisar suas operações para dominar uma cadeia de suprimentos omnichannel eficaz.

Redefinindo vitrines

O papel da loja física foi definitivamente redefinido. Uma série de marcas anteriormente apenas online já construíram locais físicos com sua plataforma de comércio eletrônico em mente.

Os varejistas tradicionais de lojas físicas com presença no comércio eletrônico terão que começar a gravitar em direção a repensar os locais das lojas que fornecem estoque para pessoas que desejam comprar pessoalmente. Mas também é o seu novo centro de distribuição.

Conforme previsto no ano passado, em 2021, as marcas lançaram novas tecnologias e estratégias para manter os clientes engajados. Muitos também tentaram preencher a lacuna entre o online e a loja física para espelhar a facilidade do digital em espaços físicos de varejo – uma tendência que deve continuar.

Varejo híbrido para compradores híbridos

Nos últimos dois anos, os consumidores se tornaram cada vez mais dependentes das tecnologias digitais para mantê-los conectados às suas necessidades diárias – o varejo não é exceção.

Em última análise, isso significa que os varejistas estão aprimorando as experiências dos clientes ao mesclar a conexão emocional da loja física com a conveniência do online.

As empresas de produtos de consumo e varejo que desejam saltar para a via rápida das compras modernas precisarão revisar suas operações para dominar os sete blocos de construção de uma cadeia de suprimentos omnichannel eficaz (Mckinsey).

O primeiro bloco de construção é uma estratégia de cadeia de suprimentos centrada no cliente.

O segundo bloco é o ecossistema de rede e cadeia de suprimentos do futuro. A mudança para o omnichannel está forçando as empresas de produtos de consumo a repensar o ecossistema da cadeia de suprimentos em que estão operando. Os players precisam escolher a combinação certa de centros de distribuição (CDs), novos tipos de nós, e parceiros nas suas aspirações de serviço ao consumidor em cada canal.

Logo, o terceiro bloco da mudança para omnichannel envolve um aumento na complexidade operacional; as operações omnichannel envolvem vários canais de vendas, vários nós de rede e um estoque descentralizado. Enquanto isso, os clientes esperam poder acessar os produtos certos nos lugares certos e em tempo real.

O quarto bloco do cumprimento omnichannel: operações de nós. A mudança no volume das compras nas lojas para o comércio eletrônico força as empresas de produtos de consumo a reavaliar suas redes de atendimento, que são parte integrante de suas cadeias de suprimentos.

Então, o quinto bloco do cumprimento omnichannel: gerenciamento de transporte e LSP. O transporte e a gestão de prestadores de serviços logísticos (LSP) também são significativamente mais complexos para empresas com múltiplos canais de atendimento, devido às diferentes exigências de cada canal. Os pedidos de empresas físicas de produtos de consumo geralmente podem ser reservados com antecedência e entregues por caminhão. Os serviços de comércio eletrônico, por outro lado, devem processar um grande número de pedidos individuais em curto prazo, usando meios de transporte como Correios. Os players omnichannel precisam garantir que possam fornecer um serviço confiável e rápido a todos os clientes, garantindo custos de transporte competitivos.

O sexto bloco é de modelo operacional e gerenciamento de mudanças. Para obter todos os benefícios do omnichannel, as empresas devem realizar uma transformação completa de seus modelos operacionais, incluindo um redesenho de processos, estruturas, mentalidades, capacidades e gerenciamento de desempenho. Esse bloco de construção é fundamental para garantir que a empresa – e seu pessoal – possa capturar todo o potencial da cadeia de suprimentos e oferecer valor excepcional ao cliente.

Por fim, digitalização e automação de processos. A tecnologia e as estratégias eficazes de dados e análises que incorporam os parceiros certos são os principais facilitadores de uma cadeia de suprimentos omnichannel. Os jogadores precisam garantir que tenham o software e as ferramentas para capturar os dados necessários e aproveitá-los de maneira estratégica.

Leia também: Três dicas para implementar o omnichannel no varejo online

O post 2022 marcará a evolução do varejo para operações omnichannel apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre 2022 marcará a evolução do varejo para operações omnichannel. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.