Ads Top

Vendas de Natal: como os serviços financeiros podem diferenciar a sua empresa?

Gestão de estoque, logística de entrega, otimização de sites e de aplicativos etc. São vários os pontos que os varejistas precisam pensar e ajustar para que suas lojas estejam realmente preparadas para as vendas de Natal de 2021.

Nesse trajeto, os serviços financeiros e os meios de pagamentos disponibilizados são dois critérios que requerem atenção redobrada. 

O primeiro motivo para esse cuidado é que opções limitadas de pagamento são a razão para que 8% dos clientes abandonem os seus carrinhos no e-commerce, segundo dados da Moosend, empresa que oferece soluções de e-mail marketing.

O segundo é que contar com uma boa plataforma de pagamento online é essencial para conseguir absorver e gerenciar o alto volume de vendas previsto para o próximo Natal.

Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgados no site IstoÉ, preveem que a temporada de vendas natalinas deste ano deve movimentar R$ 34,3 bilhões para o varejo. Esse montante representa um aumento de 4,3% comparado ao mesmo evento do ano passado.

Aqui, vale lembrar também que o e-commerce vem trilhando por um importante caminho de crescimento desde o início da pandemia, condição que evidenciou e fomentou as compras virtuais.

Dados do MCC-ENET, índice e indicadores do mercado online, apontados em uma matéria no portal CNN Brasil, destacam que as vendas no comércio eletrônico cresceram 13% no primeiro semestre de 2021, gerando um aumento de 24,15% no faturamento do setor.

Ou seja, está mais que evidente quanto é importante e necessário se preparar adequadamente para esse que é um dos maiores eventos, em volume de vendas, para o varejo, concorda?

No que se refere especificamente aos serviços financeiros, o que a sua empresa pode oferecer para se diferenciar dos concorrentes e, com isso, atrair mais clientes e vender mais? 

Confira diferentes sugestões e possibilidades agora, neste artigo!

Qual a importância dos serviços financeiros nas vendas de Natal?

Os serviços financeiros nas vendas de Natal são importantes por duas razões especiais:

  • ajuda a aprimorar a gestão financeira do negócio;
  • possibilita a entrega de diferentes métodos de pagamento aos clientes.

Quanto a esse último motivo, é essencial que os varejistas tenham em mente que quanto maior for o seu leque de meios de pagamento, maiores as chances de fecharem a venda — lembrando aqui que opções limitadas contribuem para que o potencial comprador desista da aquisição, conforme pesquisa citada logo no início deste artigo.

Mas você sabe exatamente o que significa e o que compõe os serviços financeiros? Serviços financeiros são atividades, processos e produtos que têm como objetivo facilitar a gestão financeira de um negócio.

Nesse conjunto de soluções estão incluídas as que têm como foco o gerenciamento financeiro de uma empresa — a exemplo das plataformas de pagamento online —, e os meios de pagamento oferecidos aos clientes da companhia, como boleto bancário, cartão de crédito, cartão de débito, entre outros.

No que se refere ao uso de uma plataforma de pagamento, além de facilitar a gestão, esse tipo de ferramenta contribui para aumentar o poder competitivo da marca

Uma das razões para isso é que esse recurso permite que o lojista absorva e gerencie altos volumes de vendas, assim como o esperado para a temporada de vendas de Natal de 2021.

O que é e como funciona uma plataforma de pagamentos online?

Uma plataforma de pagamento online é uma ferramenta que centraliza, em um único ambiente, todos os métodos de pagamentos oferecidos por uma empresa aos seus clientes.

Dessa forma, o gestor consegue acompanhar e controlar o recebimento de valores provenientes de transações presenciais ou virtuais. Isso quer dizer que, além de facilitar o gerenciamento, uma solução desse tipo também contribui para a omnicanalidade dos meios de pagamento.

Ainda do ponto de vista da gestão financeira do negócio, entre os processos otimizados como o uso de uma plataforma de pagamentos online está o split de pagamento.

O split de pagamento é o recurso que faz a divisão automática dos valores de uma venda entre os envolvidos. Também chamado de split payment, essa solução é bastante utilizada por marketplaces e empresas que têm em sua rede de vendas outros participantes, como fornecedores, sellers etc.

Seguindo essa linha de gestão financeira, plataformas desse modelo também facilitam a conciliação bancária, colaborando para a conferência das movimentações financeiras de modo automatizado, rápido e dinâmico.

Considerando o alto fluxo de vendas esperado para o próximo Natal, a adoção de uma plataforma de pagamentos online é um dos caminhos mais indicados para que os varejistas consigam administrar, sem grandes problemas, os valores recebidos em suas lojas.

Como escolher uma boa plataforma de pagamentos online?

Para escolher uma boa plataforma de pagamento para e-commerce é essencial se atentar a alguns pontos. Entre os principais critérios que precisam ser analisados estão:

  • custos;
  • segurança;
  • facilidade de integração;
  • atendimento e suporte;
  • soluções de gestão financeira adicionais;
  • meios de pagamentos oferecidos;
  • melhora da experiência do cliente.

Custos

Os custos provenientes de taxas e tarifas cobradas pelo uso da plataforma de pagamentos online devem ser compatíveis com os recursos oferecidos. 

Aqui, vale destacar que essa é uma ferramenta que pode ser oferecida tanto por bancos quanto por fintechs, o que tende a influenciar no valor cobrado pela solução.

Na hora de avaliar os gastos pela aquisição desse recurso, considerar a base de cobrança, por exemplo, as taxas são sobre cada transação realizada, cada pagamento recebido etc.

Segurança

Obviamente, pagamentos e segurança devem andar lado a lado, especialmente quando se trata de transações realizadas no mundo virtual.

Por isso, na hora de escolher uma plataforma de pagamento para atender ao seu negócio, atente-se a quais sistemas antifraudes são utilizados, a exemplo de criptografia e dos certificados SSL e PCI DSS.

Facilidade de integração

A integração ao sistema já utilizado, definitivamente, não deve ser um problema. Quanto a isso, o varejista precisa questionar sobre o tempo de implementação da plataforma de pagamentos, como o processo é feito, quem é o responsável por ele, entre outros pontos relacionados.

De modo geral, essas ferramentas são integradas por meio de APIs (Interface de Programação de Aplicação), que são conjuntos de informações e padrões que permitem a comunicação de pontos distintos.

Atendimento e suporte

Uma das características dos e-commerces é serem lojas que funcionam 24 horas por dia, 7 dias da semana, certo? Isso quer dizer que os potenciais clientes desses comércios podem comprar qualquer produto oferecido a hora que desejarem, independentemente de ser horário comercial ou não.

Seguindo esse princípio, é essencial que as soluções utilizadas para a gestão dessas empresas sigam uma linha similar. O que queremos dizer aqui é que é bem importante que a plataforma de pagamentos online escolhida ofereça um bom serviço de suporte, preferencialmente sem interrupções.

Especialmente agora, para as vendas de Natal, que muitos clientes podem usar horários não convencionais para fazer as suas compras, contar com uma boa assistência em serviços financeiros pode fazer toda a diferença.

Esse princípio de compras fora dos horários comerciais é um costume atribuído à Black Friday. Porém, como estamos falando de comércio eletrônico, sabemos que isso pode acontecer em qualquer grande evento de vendas.

Só para se ter uma ideia, um levantamento do Promobit, site colaborativo de promoções, divulgado no portal CNN Brasil, constatou que na Black Friday de 2019 o pico de promoções aconteceu às 21 horas e em 2018, às 23 horas.

A hora mais indicada para disponibilizar ofertas e comprar costuma variar de acordo com o segmento. Por exemplo, para smartphones e tablets o auge costuma acontecer à 1 hora da manhã da sexta-feira de desconto; já para moda feminina, o pico tende a ser às 21 horas da quinta-feira anterior à data. 

Assim, as vendas de Natal podem seguir a mesma linha de abordagem. Por isso, é preciso preparar o e-commerce.

Soluções de gestão financeira adicionais

Uma plataforma de pagamentos online, para ser considerada completa e funcional, precisa oferecer diferentes recursos para aprimoramento da gestão financeira do negócio.

Alguns bons exemplos são soluções de pagamentos recorrentes, split de pagamentos, conciliação bancária e antecipação de recebíveis

Meios de pagamentos oferecidos

Essa ferramenta deve contar com os meios de pagamentos tidos como “básicos” de todo e-commerce, tais como recebimento via cartão de crédito, cartão de débito e boleto bancário.

Porém, ela também precisa estar pronta para a inclusão de métodos emergentes, a exemplo das carteiras digitais, links de pagamento e Pix.

Melhora da experiência do cliente

Por mais que essa solução traga diversas vantagens e facilidades para o varejista, é essencial que a sua adoção também considere a experiência do cliente. Afinal, como dito, a etapa de pagamento pode contribuir para o abandono do carrinho no comércio eletrônico.

Desse modo, um dos critérios que precisa ser analisado é verificar se a plataforma escolhida realmente trará melhorias para a experiência do cliente. Sobre isso, é interessante apresentar um dado da Zendesk, empresa que oferece soluções para vendas e atendimento ao cliente.

De acordo com o relatório denominado “Tendências da experiência do cliente 2021”, 65%

dos consumidores querem comprar de empresas que oferecem transações online fáceis e rápidas. Certamente, a etapa de pagamento está incluída nessa necessidade, concorda?

Assim, checkout transparente e compra com um click (one-click buy) são recursos que merecem ser considerados e oferecidos em um e-commerce, tanto para fomentar as compras durante as vendas de Natal quanto após esse evento.

Quais produtos e serviços financeiros ajudam a diferenciar a sua empresa?

Até aqui, citamos serviços financeiros que têm tudo para melhorar a gestão de um comércio eletrônico durante as vendas natalinas, certo? 

No caso, as sugestões citadas são direcionadas para que o varejista consiga atender ao elevado volume de vendas esperado nesse período, e para que também possa fazer uma gestão otimizada e aprimorada.

Porém, é interessante destacarmos que tudo que foi mencionado até agora é válido para outras datas que elevam o faturamento das lojas, assim como para o gerenciamento do negócio nos demais meses do ano.

Mas, do ponto de vista dos clientes, quais produtos e serviços financeiros podem ser oferecidos para atraí-los, fidelizá-los, melhorar suas experiências de compra e, ao mesmo tempo, destacar a sua loja virtual dos concorrentes? 

Entre as ofertas mais indicadas para este momento estão: 

  • boleto bancário
  • cartão de débito online
  • cartão de crédito próprio
  • carteira digital
  • Pix

Meios de pagamento para oferecer aos clientes durante (e após) o Natal

Boleto bancário

Dados do Opinion Box revelaram que o boleto bancário é utilizado por 15% dos consumidores para pagamento de compras online

Com isso, esse método ocupa o segundo lugar no ranking de preferência do público, perdendo apenas para o cartão de crédito, que recebeu 58% dos apontamentos.

Os motivos pelos quais o boleto bancário continua sendo tão utilizado, por mais que a oferta de meios de pagamentos digitais aumente a cada dia, são diversos. Sobre isso, é possível citar:

  • receio do comprador em digitar dados dos seus cartões nos sites e aplicativos de compra;
  • cartão de crédito com limite baixo;
  • não desejar comprometer o limite do cartão de crédito;
  • não ter cartão de crédito ou outro tipo de relacionamento e produto bancário.

Com isso, oferecer pagamento por boleto bancário é uma forma de suprir essas necessidades e de atender a diferentes camadas de consumidores. Dessa forma, evitará a perda de boas vendas tanto no Natal quanto em outras datas importantes para o setor.

Para oferecer esse meio de pagamento no comércio eletrônico há, basicamente, duas opções:

  • utilizar uma instituição financeira;
  • utilizar uma plataforma de cobrança própria.

A primeira alternativa consiste em se valer dos recursos disponibilizados pelo banco ou fintech na qual o varejista tem conta. Porém, é preciso reforçar que, dessa forma, costuma-se ser necessário gerar boleto por boleto — o que tende a ser um tanto complicado para atendimento de volumes altos de vendas. 

Além disso, o boleto bancário não é personalizado. Portanto, será o nome da instituição financeira que estará em destaque nesse documento de cobrança.

Já utilizando uma plataforma de cobrança própria (a plataforma de pagamentos online já citada) é possível gerar os boletos automaticamente e de maneira personalizada. Ou seja, esse título de cobrança levará o nome da sua empresa, o que confere muito mais credibilidade e confiabilidade aos clientes.

Cartão de débito online

A pesquisa do Opinion Box também constatou que o cartão de débito é a terceira opção dos brasileiros no ranking geral de meios de pagamentos utilizados, com 66% da preferência.

Entretanto, nas compras virtuais, essa solução nem chega a ser mencionada. Entre as razões para a baixa adesão desse método de pagamento no comércio eletrônico está a sensação de insegurança que a função débito transmite para os clientes. 

Nesse caso, parte-se do princípio que, uma vez que a transação financeira é concluída, o valor é debitado automaticamente da conta do pagador. Se houver algum problema com a compra, se torna um tanto complicado reaver a quantia paga. 

Já o cartão de crédito costuma tornar mais fácil processos desse tipo, visto que o valor será pago apenas dias depois da aquisição.

Mas se há todo esse receio por parte dos consumidores, por que vale a pena oferecer a opção de pagamento via cartão de débito durante as vendas natalinas?

Uma das motivações é que novas camadas de segurança, por parte das instituições bancárias e operadoras estão sendo adotadas, como o 3DS 2.0

A outra é que, segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços, Abecs, no segundo trimestre de 2021 foram movimentados R$ 4,2 bilhões em compras não presenciais via cartão de débito.

Isso quer dizer que, mesmo que o cartão de débito online não seja um dos meios de pagamento preferidos de quem faz compra virtual, ele ainda é bastante utilizado pelo público.

Cartão de crédito próprio

Outra boa maneira de diferenciar um comércio eletrônico com a oferta de produtos e serviços financeiros é oferecendo aos clientes um cartão de crédito próprio da empresa.

Como mencionei, o cartão de crédito segue como a solução preferida para compras online. 

De acordo com a Abecs, esse método de pagamento teve crescimento de 49,3% nas compras não presenciais no segundo trimestre de 2021. Na prática, representa R$ 129,5 bilhões movimentados no setor.

Além de atender a preferência do público, a oferta de um cartão de crédito próprio contribui para fidelizar os clientes, principalmente quando o seu uso está atrelado a condições especiais — tais como descontos exclusivos e programas de pontos.

Sobre essa oferta, é possível disponibilizar aos clientes um cartão de crédito que pode ser usado tanto nas lojas da rede quanto em outros estabelecimentos comerciais. Ou, ainda, um cartão private label, para uso apenas nas plataformas de venda da marca.

Carteira digital

O relatório “The Global Payments Report”, da empresa Worldpay from FIS, atuante no setor de tecnologia de pagamentos, apontou que houve um aumento de 6,5% no uso de carteiras digitais para pagamento nos checkouts online.

Conforme constata o levantamento, a tendência é que essa solução represente 51,7% de todos os pagamentos realizados no e-commerce, em todo o mundo, até 2024.

Por aqui, a pesquisa do Opinion Box (que já mencionei) revelou que no ranking geral de meios de pagamentos preferidos do brasileiro, as carteiras digitais são utilizadas por 47% dos entrevistados. Nas compras online esse método ocupa o terceiro lugar, com 8%, logo atrás do boleto bancário.

Pix

E não tem como falar de pagamento durante as compras de Natal sem citar o Pix, concorda? Sobre esse meio de pagamento, uma matéria divulgada no site Mobile Time destacou que a solução já é aceita por mais de 32% dos grandes comércios eletrônicos e companhias O2O, Online-to-Offline.

Informações da empresa de consultoria GMattos, divulgadas no site 6 minutos, do UOL, revelaram que a aceitação do Pix no e-commerce era de 16,9% em janeiro de 2021. Porém, no mês de março do mesmo ano esse percentual subiu para 32,2% e, em julho, para 40,7%.

Já as estatísticas do Banco Central apontam que, em setembro de 2021, 15% das transações via Pix foram do tipo P2B, ou seja, de pessoas para empresas — lembrando que, no início das operações do sistema, essa quantia era de apenas 5%.

Isso quer dizer que os consumidores estão cada dia mais vendo esse sistema como um meio de pagamento para aquisição de produtos e serviços, e não apenas para a transferência de valores entre pessoas.

Sobre o impacto do Pix no e-commerce, é possível notar pontos positivos como:

  • diversificação do público atendido;
  • expansão da oferta de meios de pagamento;
  • aprimoramento da gestão de estoque;
  • incentivo a compras não programadas;
  • otimização no processo de finalização da compra;
  • diminuição de gastos operacionais para os lojistas;
  • melhora na gestão financeira e no fluxo de caixa.

É possível dizer, inclusive, que o Pix, pagamento instantâneo, pode transformar o comércio eletrônico. As vantagens que acabei de citar são uma prova disso.

O que mais você precisa saber sobre serviços financeiros para as vendas de Natal?

Pix, cartões de crédito, cartões de débito, carteiras digitais e boleto bancário são apenas alguns exemplos de métodos de pagamento que podem ser disponibilizados para ajudar nas vendas nesse, e em outros períodos.

A principal ideia com ofertas como essas é melhorar a experiência de compra do cliente e, com isso, incentivá-lo a comprar novamente em outras datas comemorativas e situações.

Vale destacar que a promoção de boas experiências para os consumidores é essencial para fidelizá-los e também para elevar o faturamento do negócio.

Por exemplo, o relatório da Zendesk citado aqui apontou que 75% dos clientes estão dispostos a gastar mais para comprar de empresas que proporcionam experiências satisfatórias.

Portanto, é possível concluir que, quanto mais satisfeitos os compradores estiverem com a companhia com a qual estão se relacionando, mais tendem a gastar com ela.

Também é importante relembrar que uma boa gestão financeira é essencial para o sucesso do e-commerce. E, neste caso, pode ser melhorada com o uso de ferramentas e soluções que otimizem o processo de recebimento e gerenciamento de valores.

Sobre isso, o uso de plataformas de pagamentos é o caminho mais indicado. Além de facilitar a gestão, ferramentas desse tipo facilitam a oferta de diferentes meios de pagamento aos clientes. 

Isso ajuda a atender as necessidades do público, incentivar compras e, consequentemente, a elevar o volume de vendas e de faturamento do comércio eletrônico.

Leia também: Como aumentar a segurança nos meios de pagamentos oferecidos em sua loja?

O post Vendas de Natal: como os serviços financeiros podem diferenciar a sua empresa? apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Vendas de Natal: como os serviços financeiros podem diferenciar a sua empresa?. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.