Ads Top

Core Web Vitals: o que você precisa fazer para ter um site de 1 segundo

Ao entrar em uma loja, é comum percebermos que cada detalhe foi pensado para deixar essa experiência mais agradável: desde a decoração que remete às características da marca, à disposição dos produtos a serem vendidos para facilitar a compra e até mesmo o cheiro do ambiente pode fazer com que esse momento seja mais positivo.

Deixando a vida offline para analisar o ambiente digital, é fácil estabelecer um paralelo e chegar à conclusão de que, em um site ou e-commerce, o objetivo é o mesmo, de proporcionar uma boa experiência a prospects e clientes. E para quem ainda não está convencido da importância que o melhor caminho para alcançar melhores resultados por meio de um site é criando um ambiente propício à uma excelente navegação, quando falamos do complexo universo online, encontramos outro fator que reforça essa necessidade: o Core Web Vitals.

Uma boa experiência para o cliente em um site significa conseguir acessá-lo facilmente, com rapidez, encontrar respostas para suas dúvidas e poder realizar com tranquilidade o que se deseja. Agora, como alcançar e medir esses sinais?

Foi neste contexto que o Google, maior mecanismo de busca online em funcionamento hoje, criou o Core Web Vitals – iniciativa que mede a experiência em uma página e apresenta recomendações essenciais para melhorá-la.

O que são os Core Web Vitals?

Antes de mais nada, é importante entender os motivos que levam o Google a voltar seus esforços e atenção para o Core Web Vitals. E a resposta é simples: assim como uma empresa precisa atender às necessidades de seus clientes, o buscador também tem este como seu principal objetivo.

Essa missão para o Google está diretamente ligada em filtrar e oferecer em seu índice os sites que apresentem as melhores experiências para esse usuário. Para se ter como parâmetro, entendendo a importância dessas diretrizes, de acordo com dados do próprio Google, quando um determinado site segue as recomendações do Core Web Vitals, há 24% menos chances de ser abandonado por um cliente.

Ele considera que, um cliente que navega em um site, não quer perder tempo algum e, é capaz de desistir de acessá-lo na primeira demora ou assim que surge um pequeno obstáculo.

É para esse usuário que os Web Vitals orientam as métricas de construção de experiência de uma página. Assim, para que a melhor usabilidade possível seja alcançada, os Web Vitals giram em torno da velocidade de carregamento, interatividade e estabilidade do site. Ao respeitar esses três pilares, o site está dando um importante passo para os resultados positivos do seu negócio, ao garantir ao cliente um acesso seguro, rápido e assertivo.

Entendendo a importância dada pelo Google às recomendações sugeridas dentro do Core Web Vitals, é fundamental compreender também a relação direta entre a usabilidade e experiência proporcionada por um site com a assertividade da estratégia de SEO do mesmo. Segundo dados da Website Hosting Ratin, estima-se que exista 1,83 bilhão de websites no mundo. Um número impressionante e que reforça o grande desafio enfrentado pelo Google de ranquear determinados domínios e conteúdos de acordo com seus critérios, incluindo as boas práticas do Web Vitals.

Veja quais são os web vitals, as “principais métricas da internet”

Como você já viu, as Core Web Vitals avaliam a experiência do usuário em um site por meio da análise de velocidade, estabilidade visual e interatividade. Entre os parâmetros elencados para mensurar a usabilidade do site, alguns estão entre os principais:

Largest Contentful Paint (LCP)

Responsável por mensurar o carregamento do principal elemento do site, que pode ser uma imagem, vídeo ou o maior texto, por exemplo. A recomendação do Google é que o LCP aconteça em até 2,5 segundos. Entre 2,5 e 4 segundos de LCP, a página precisa de ajustes, sendo que, com mais de 4 segundos, é muito provável que se esteja perdendo visitas e clientes de acordo com o buscador.

Cumulative Layout Shift (CLS)

Todo usuário já deve ter experimentado clicar em um botão de um site, mas assim que os outros elementos da página são carregados, a posição desse botão é modificada – e o cliente acaba direcionado para um local diferente do que desejava. A situação vivenciada exprime a instabilidade visual de determinado portal. Para que isso ocorra entre os limites aceitáveis de estabilidade visual, o ideal é que o CLS se mantenha abaixo de 0,1. De 0,1 a 2,5, o Google considera tolerável. Acima desse número, já é indicada uma revisão estrutural da página.

First Input Delay (FID)

Essa métrica verifica a interatividade de um site, desde o contato até o início de uma resposta para essa interação. Um bom FID marca até 100 milissegundos. Um resultado entre 100 e 300 milissegundos demonstra que a página precisa de ajustes. Uma resposta acima de 300 milissegundos significa que há muitas chances de o usuário desistir do seu site.

Como ter um site de 1 segundo

Para cada métrica de Core Web Vitals, há alguns passos a serem executados, todas com foco em melhorar a experiência do usuário. É importante saber que o Google tem as próprias diretrizes de forma aprofundada, fonte que deve ser priorizada ao consultar o passo a passo técnico para a implementação de cada melhoria estrutural.

Para cada pilar considerado dentro do Core Web Vitals, alguns fatores acabam por refletir mais rapidamente e de forma mais direta para que os resultados sejam observados de maneira evidente pelo usuário.

LCP

O tempo de resposta para carregar o elemento principal do site é afetado por uma série de elementos, como tempo de servidor e JavaScript e CSS de bloqueio de renderização. Algumas formas de otimizá-lo são:

  • Utilizar CDN;
  • Ativar o cache;
  • Otimizar o servidor;
  • Remover códigos que não são essenciais.

Caso seja necessário se aprofundar nessa métrica e garantir os melhores resultados, o Google disponibilizou a cartilha Optimize LCP, com todas as informações a respeito.

CLS

Já a estabilidade da página pode ser melhorada quando se dá atenção, principalmente, para o carregamento de fontes, vídeos e imagens. Para melhorar a métrica observada pelo Google, alguns pontos a serem implementados são:

  • Utilizar API de carregamento de fontes;
  • Definir espaços para anúncios;
  • Inserir width e height para imagens e vídeos.

O Google disponibilizou também um guia de estabilidade de página.

FID

Enquanto isso, para melhorar o tempo de resposta de um site demora para responder à interação do usuário, a indicação é conferir de que maneira o Javascript analisa e executa na página. Algumas recomendações para isso são dividir JavaScripts pesados em tarefas menores e reduzir o tempo de execução do JavaScript.

O Google também criou um guia chamado Optimize FID.

Como medir os Core Web Vitals

Para toda melhoria implementada existe a expectativa de um reflexo positivo e não é diferente com o Core Web Vitals. Quanto mais adequado aos Core Web Vitals, mais competitivo será o seu site. No entanto, para acompanhar o desempenho do site de acordo com as diretrizes do Google e usabilidade para os usuários, a mensuração é fundamental.

O buscador também se preocupou em oferecer meios para que seja possível medir cada um dos pilares elencados por ele, disponibilizando ferramentas desenvolvidas utilizando a própria base de dados do Google – todas gratuitas.

Entre as principais é possível citar a PageSpeed Insights, que sugere melhorias voltadas para a velocidade do site, a Web Vitals, uma extensão do Google Chrome que oferece feedback em tempo real com dados de laboratório para o site que está sendo acessado pelo cliente, além da Biblioteca JavaScript – para quem domina programação, o site disponibiliza dados em código aberto para serem usados como provedor de análise e suporte para métricas personalizadas.

Por fim, é importante sempre lembrar que o conteúdo de um site é exatamente o que o cliente busca, sempre. No entanto, ele sozinho não será suficiente para atrair e prender a atenção deste usuário entre tantas possibilidades de sites que alinham o conteúdo com a experiência positiva exigida pelo Google e pelo cliente. Em um universo digital com mais de um bilhão de sites — com um número crescente a cada dia — aquele que estiver de acordo com o Core Web Vitals automaticamente estará alinhado também com as expectativas de boa navegação esperadas pelo cliente, saindo na frente no ranking do Google e na preferência dos usuários.

O post Core Web Vitals: o que você precisa fazer para ter um site de 1 segundo apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Core Web Vitals: o que você precisa fazer para ter um site de 1 segundo. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.