Ads Top

Como organizar a logística do seu e-commerce

Abrir uma loja virtual implica em uma série de ações tanto para trazer visibilidade para os produtos quanto para garantir que a experiência de compra — incluindo a entrega e recebimento dos produtos — seja a melhor possível para os clientes.

Neste sentido, estruturar a logística do seu e-commerce (independente do tamanho) é a melhor maneira de evitar problemas e garantir uma operação fluida e eficiente para o seu negócio.

Mas, como fazer isso? Quais aspectos precisam ser considerados na hora de organizar a logística para e-commerce? Este artigo trará um panorama sobre o assunto. Vamos lá?

A importância da logística para o e-commerce

De acordo com uma pesquisa, as vendas do comércio eletrônico brasileiro somaram R$ 53,4 bilhões só no primeiro semestre de 2021. O número representa um aumento de 31% em relação ao mesmo período em 2020.

Nos seis primeiros meses do ano, foram 42 milhões de pessoas comprando pela internet. Desse total, 6,2 milhões eram novos usuários. Além de crescer entre aqueles que já fazem compras online, o e-commerce brasileiro continua atraindo milhões de novos consumidores.

Em um mercado que apresenta crescimento constante, a logística para e-commerce assume um papel ainda mais importante. Afinal de contas, se o lojista consegue realizar vendas mas enfrenta dificuldade para entregar a encomenda a tempo e nas melhores condições possíveis, o cliente não voltará a fazer negócio.

É por isso que dizemos que uma boa logística desponta como um diferencial competitivo. Questões como preço do frete, modalidades de envio, tempo de entrega, unboxing experience e atendimento pós-venda são pilares fundamentais para o bom andamento do negócio.

Além do mais, processos logísticos otimizados resultam em economia financeira para o empreendedor. Muitas vezes, o lojista percebe que consegue oferecer um serviço ainda melhor e mais barato apenas se analisar outras opções além daquela que já está acostumado a utilizar nas entregas.

Mas por onde começar? Um bom ponto de partida é o estoque.

Otimizando o estoque da sua loja virtual

Já ouviu falar curva ABC de estoque? Trata-se de uma metodologia que divide os produtos do estoque de acordo com sua importância econômica para o negócio. Dessa maneira, os itens podem ser separados em três categorias: A, B e C.

Produtos do tipo A

São aqueles de maior importância, valor ou quantidade para a loja virtual. Correspondem a até 20% dos produtos do estoque e podem movimentar entre 65% e 80% do total de vendas.

Produtos do tipo B

Têm importância, quantidade ou valor intermediário. Podem chegar a até 30% do total de produtos, mas movimentam entre 15% e 25% das vendas.

Produtos do tipo C

São aqueles de menor importância no estoque e que apresentam baixa demanda. Podem chegar a representar até 50% do total de produtos da loja online, mas movimentam entre 5% e 10% do total de vendas.

Fazer a curva ABC de estoque e descobrir quais são os principais produtos da sua loja virtual é fundamental para uma série de análises, muitas delas relacionadas à logística.

Se você sabe que determinado produto tem alta demanda, precisa garantir que nunca vai ficar sem ele no seu estoque. Da mesma maneira, se percebe que um item possui baixa demanda, não há necessidade de gastar muito dinheiro estocando grandes quantidades dele.

Existem softwares no mercado que ajudam o empreendedor a controlar o estoque de sua loja virtual. Caso não disponha de um desses, uma planilha eletrônica constantemente atualizada já ajudará bastante.

Conte com uma rede de fornecedores

Uma das regras de ouro da logística é: nunca dependa só de um fornecedor. Além de correr o risco de prejudicar a operação do seu negócio caso o fornecimento seja interrompido, o lojista ainda pode acabar pagando mais caro por não pesquisar opções.

Mesmo que tenha fornecedores de confiança, sempre analise opções no mercado e mantenha contatos. Em momentos mais críticos que possam requerer ação rápida, ter a quem recorrer pode fazer a diferença.

Imagem de uma pessoa conferindo anotações

A importância logística do frete para e-commerce

Segundo levantamento realizado, 55% dos abandonos de carrinho no e-commerce brasileiro acontecem por causa do preço do frete. Por isso, quando falamos de logística para e-commerce, se atentar ao custo do envio é de suma importância.

O cliente dificilmente vai finalizar a compra se perceber que o preço do frete é equivalente ao custo do produto. O que fazer?

A principal alternativa para o lojista é buscar opções junto às transportadoras para e-commerce. Existem plataformas gratuitas no mercado que facilitam esse processo e permitem a cotação e contratação de fretes com diversas empresas de transporte. Tudo isso de maneira online!

Use tecnologias como essa para fazer a cotação do frete com diversas transportadoras e ofereça ao cliente aquela que for mais vantajosa.

Ofereça modalidades de entrega

Outra vantagem de plataformas de cotação e contratação de fretes é a possibilidade de oferecer ao cliente opções de frete, para que ele possa escolher aquela que melhor atenda suas necessidades. As duas opções de serviço de frete para e-commerce mais populares no mercado são:

Frete econômico

É a modalidade de frete mais barata, porém o prazo de entrega costuma ser maior. A maioria dos clientes prefere essa opção, para economizar no custo do envio.

Frete expresso

É a modalidade de entrega mais rápida, porém o custo é mais elevado. Apesar disso, muitos clientes preferem frete expresso porque precisam do produto o mais rápido possível.

Independentemente do tipo de frete escolhido, se atente ao prazo estipulado para entrega e garanta que o produto será separado, embalado e despachado a tempo. Para evitar problemas, muitos lojistas estipulam um prazo de entrega maior e também separam em sua agenda um ou mais dias da semana para se dedicar exclusivamente a essas tarefas.

Dicas para pagar um frete mais barato

Além de usar plataformas de cotação e contratação de frete para e-commerce, o lojista pode fazer mais algumas coisas para baratear o frete de seu e-commerce:

Atenção ao formato da embalagem

As transportadoras costumam cobrar taxa para envios que não são feitos em embalagens retangulares ou quadradas, por isso tome cuidado. Caixas, envelopes de segurança e sacos são as melhores opções para transportar as encomendas.

Cuidado com o tamanho da embalagem

Outra questão que pode encarecer o frete é o tamanho da embalagem. Pacotes grandes que ultrapassam as dimensões padrão da transportadora podem ser taxados. Use embalagens que tenham o tamanho exato para manter o produto em segurança.

E se o produto é muito grande? Uma dica é dividi-lo em duas embalagens menores e enviar no mesmo frete. Dependendo do tamanho da caixa original, pode sair mais barato assim.

Monte kits

Se o lojista vende produtos baratos e o preço do frete acaba sendo equivalente ao item, uma alternativa é montar kits de produtos. Isso vai dar ao consumidor a sensação de que está levando mais por menos e ainda vai suavizar o impacto do preço do frete, já que será paga apenas uma entrega para receber muito mais produtos.

Nota fiscal e declaração de conteúdo

Nenhum pacote é aceito pelas transportadoras sem que uma nota fiscal ou uma declaração de conteúdo estejam anexadas a ele.

A nota fiscal é um documento fiscal usado para atestar transações comerciais. Até mesmo microempreendedores individuais (MEI) conseguem emitir esse documento, que formaliza a transação perante a Receita Federal.

Já a declaração de conteúdo é uma alternativa que pode ser preenchida e usada em caso de envios sem fins comerciais. Também pode ser usada por MEIs em transações para pessoas físicas.

Rastreio de encomendas é importante para a logística

O rastreio de encomendas é uma parte importante da logística para e-commerce.

Para o lojista, acompanhar o andamento da entrega ajuda a assegurar que tudo está correndo bem e o permite agir rapidamente em caso de problemas.

Para o consumidor, rastrear a encomenda ajuda a diminuir a ansiedade, aumenta a confiança na loja e permite que ele se prepare para receber as compras, evitando tentativas falhas de entrega.

Ao postar a encomenda na transportadora, o lojista recebe um comprovante com um número de rastreio. Esse número deve ser compartilhado com o cliente, que vai poder acompanhar o andamento da entrega.

Muitos marketplaces e plataformas de e-commerce automatizam esse processo, permitindo que o lojista cadastre o código e atualizando o status de entrega automaticamente.

Imagem de uma mulher sorrindo acompanhando anotações

Preste muita atenção na logística reversa

Logística reversa é um processo que acontece quando a encomenda precisa voltar do endereço do cliente até a loja. Isso acontece por uma série de motivos, sobretudo trocas, devoluções e assistência técnica.

Na maioria dos casos, o custo da logística reversa fica por conta do lojista, que precisa gerar a etiqueta de frete para o cliente e orientá-lo sobre como embalar o pacote e enviá-lo.

O empreendedor deve dedicar o mesmo cuidado e atenção à logística reversa que dedica a logística de envio.

Quando precisa devolver ou trocar um produto, o cliente já está frustrado e triste. Se ele não é bem atendido e não tem seu problema resolvido, as chances de ele nunca mais voltar a fazer negócio e ainda espalhar sua experiência negativa para outras pessoas são muito grandes!

Por outro lado, se o atendimento é bom e o problema é resolvido rapidamente, o lojista consegue reverter a situação, manter o cliente e ainda deixar uma impressão positiva. Por isso ter um plano de ação sobre como agir em situações de logística reversa é muito importante!

Registre e revise processos

Nunca subestime o poder de registrar os processos logísticos. Quando o lojista dedica um tempo para traçar toda a jornada logística de seu negócio e identificar oportunidades e melhorias, ele já estará muito à frente de parte dos concorrentes.

Mais do que isso, é preciso voltar sempre a esses processos e checar se eles continuam sendo os melhores possíveis.

Um bom exemplo é o momento de separação e despacho dos pedidos. Inicialmente, pode ser que o lojista tenha estabelecido um dia na semana para fazer isso. Mas esse prazo continua aceitável para a realidade do seu negócio? Seria viável reduzir o tempo entre o recebimento do pedido e a postagem na transportadora? São perguntas que precisam ser constantemente feitas.

O resultado desse cuidado se reflete tanto na boa gestão do negócio quanto na percepção dos clientes de que se trata de uma loja confiável, eficiente e segura. Em tempos onde cada vez mais pessoas estão começando a comprar online, gerar essa imagem positiva junto aos consumidores faz toda a diferença.

O post Como organizar a logística do seu e-commerce apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Como organizar a logística do seu e-commerce. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.