Ads Top

Negócios de valor: ser pequeno, mas agir com a inteligência das grandes empresas

Mesmo antes do início da pandemia, o incentivo para a valorização de pequenos negócios já existia, ganhava espaço e, aos poucos, ia chamando a atenção dos consumidores. Com a expansão do novo coronavírus e as restrições aos comércios físicos, pequenas empresas tiveram uma necessidade ainda maior desse tipo de estímulo.

A Pesquisa do uso de ferramentas digitais pelo Consumidor, realizada pela Deloitte, em parceria com o Facebook, em julho de 2020, revelou que 48% das pessoas que começaram a comprar de pequenas empresas afirmaram optar por isso pois estavam preocupadas com a sobrevivência do empreendimento ou da comunidade local.

De fato, com a chegada da pandemia, os pequenos negócios foram os que mais enfrentaram dificuldades, daí a importância do incentivo. Mas a busca por conscientização de comprar dos pequenos vai muito além de ajudar a empresa a sobreviver. Isso porque, apesar de não serem grandes, os pequenos negócios geram 54% dos empregos formais no país, segundo o Sebrae.

Além disso, ainda de acordo com o Sebrae, os pequenos negócios são responsáveis por 1/3 do PIB (Produto Interno Bruto) do país, assim como pela contratação formal de mais da metade da mão de obra brasileira. Ou seja, são os pequenos negócios que geram emprego e renda para a maior parte da população.

Portanto, é preciso deixar claro aos clientes que quando eles elegem um pequeno negócio para fazer as compras, ajudam a fortalecer diferentes segmentos da economia. Por isso, esses empreendimentos podem ser chamados de negócios de valor.

Oportunidade das grandes

O que se vê em pequenos negócios são grandes sonhos de empreendedores e empreendedoras que desejam, por meio de seu trabalho, melhorar a sua situação financeira e proporcionar mais qualidade de vida para seus clientes e comunidade.

Contudo, muitas vezes proprietários de pequenos e-commerces não imaginam que podem não apenas se inspirar, mas também agir com a inteligência de uma grande empresa. Aqui, não estou falando de encerrar processos manuais ou o contato personalizado com os clientes – característica essencial e muito valorizada nos pequenos negócios.

Quando falo sobre inteligência das grandes empresas, proponho que microempreendedores utilizem de artifícios que são elogiados pelos consumidores das gigantes do varejo, como a entrega rápida, por exemplo.

Diante de tantos problemas que todos enfrentamos no dia a dia, o que menos queremos é que a entrega de uma compra feita em uma loja nossa seja realizada com atraso ou que ocorra alguma intercorrência no meio do caminho que possa dificultar a chegada do produto ao consumidor.

E a busca pela entrega rápida está diretamente ligada à preocupação com a satisfação do cliente. Portanto, empresas que se atentam para a agilidade no envio, consequentemente, conquistam o contentamento de seus consumidores.

O legado do isolamento nos negócios

Não há dúvidas de que as restrições tão necessárias durante o período pandêmico que enfrentamos catalisou o uso da inovação nos negócios.

A busca por alternativas de contato com os clientes e de melhores serviços incentivou o uso de recursos tecnológicos. E essa procura por melhorias trouxe uma mudança no cenário tanto das grandes quanto das pequenas empresas.

As novas operações tecnológicas, que antes pareciam acessíveis apenas para as grandes varejistas, se democratizaram e atualmente também estão no escopo de pequenos negócios que buscam por melhorias.

De acordo com o Serasa Experian, especialista em análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios, a inovação é extremamente importante para pequenas empresas e traz inúmeros benefícios. Entre eles estão o aumento da produtividade, a possibilidade de competir com concorrentes, maior valor agregado aos produtos e serviços e também mais satisfação dos clientes.

Para conseguir tais mudanças, uma das tecnologias indicadas pelo Serasa é a otimização de processos. Com a implementação de soluções tecnológicas que há algum tempo já eram utilizadas por grandes empresas, hoje, pequenos negócios também podem contar com as vantagens geradas por ferramentas tecnológicas.

Na otimização de processos, as inovações podem facilitar o gerenciamento de estoque, apontando alertas em relação à reposição e à validade, por exemplo. A gestão de envios também pode ser feita por meio de recursos tecnológicos disponíveis para pequenos negócios. Assim como a gestão financeira, o acompanhamento com relatório de dados de vendas e até o gerenciamento do processo de produção.

Leia também: Covid-19: o impacto da pandemia no comportamento de compra online

Essas ferramentas de controle e melhorias têm sido um dos importantes legados deixados pelo período de isolamento para pequenos negócios. E assim contribuído para o desenvolvimento dessas empresas.

Ofereça o que o cliente deseja

Um estudo recente, conduzido pelo Google, mostrou quais fatores mais influenciam os consumidores brasileiros a realizar compras on-line. Na compra de bens duráveis no Brasil, por exemplo, dentre as 13 maiores influências estão:

  • a entrega rápida
  • as devoluções simples
  • o envio gratuito

A pesquisa, que foi realizada em quatro países, Brasil, Estados Unidos, Índia e Reino Unido, apresentou como uma de suas principais considerações finais a importância de oferecer entregas mais rápidas.

A proposta é que os insights apresentados no estudo sejam colocados em prática, independentemente do tamanho do negócio, uma vez que a maioria dos consumidores procura prazos de entrega cada vez mais ágeis.

E esse é justamente o ponto que pequenos negócios devem investir a fim de conquistar os clientes.

Atualmente há empresas de logística inteligente, como a +Envios, que proporcionam às empresas parceiras as mesmas opções de serviços de envio de produtos que grandes empresas usufruem, e por um ótimo custo-benefício.

Essas empresas de soluções logística oferecem coleta gratuita e personalizada, tracking da mercadoria, gestão completa do envio, logística reversa inteligente, integração de pedidos e até desembaraço de cargas, solucionando atrasos e imprevistos.

Desta forma, é possível que pequenas empresas também tenham um trabalho de inteligência logística, e consigam fidelizar seu público pelo bom atendimento no pós-venda. Além disso, esses pequenos empreendedores ainda poderão otimizar o tempo ações para fazer a empresa crescer.

O post Negócios de valor: ser pequeno, mas agir com a inteligência das grandes empresas apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Negócios de valor: ser pequeno, mas agir com a inteligência das grandes empresas. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.