Ads Top

Vendas de eletrodomésticos aqueceram o e-commerce em 2020

Em 2020 você comprou pela internet algum eletrodoméstico que ainda não tinha ou trocou por um novo modelo? Se a resposta foi sim, saiba que contribuiu para movimentar um dos segmentos com maior faturamento no e-commerce durante a pandemia.

Os principais portais de notícias e estudos de mercado mostraram que as vendas de eletrodomésticos se mantiveram aquecidas o ano todo — especialmente a partir de março, quando as medidas de distanciamento social ganharam força no Brasil.

De acordo com a Neotrust|Compre&Confie, somente no terceiro trimestre a receita da categoria foi de R$ 4,3 bilhões (aumento de 114,8% em relação ao mesmo período do ano anterior). O tíquete médio para as compras de eletrodomésticos pela internet também cresceu, passando para R$ 1260,20 (26,7% a mais do que em 2019).

Já um levantamento realizado por Neotrust|Movimento Compre&Confie e Clearsale mostra que a categoria de Eletrodomésticos e Ventilação foi a que teve mais vendas na Black Friday e Cyber Monday 2020. De 26 a 30 de novembro, o segmento movimentou R$ 1,47 bilhões (18,99% do total).

A venda desses itens é tão promissora que a indústria vem apostando no formato D2C (direto ao consumidor). Marcas como Brastemp, Consul e Electrolux comercializam os itens de seus catálogos em espaços próprios. Dessa forma, criam ainda mais concorrência com os marketplaces, pois muitas vezes conseguem oferecer preços e descontos atrativos.

Para ganhar vantagem, uma das estratégias que os grandes players vêm adotando é investir em logística — desde unidades de armazenamento/distribuição fora da região Sudeste, até parcerias e frotas próprias. Como é o caso do Mercado Livre, que em 2020 adicionou aeronaves à sua malha de entregas.

Outro diferencial é o sistema de cashback oferecido por marketplaces como Americanas.com, Shoptime.com, Submarino e Magazine Luiza. Mesmo que algumas marcas de eletrodomésticos utilizem essa estratégia, ela é mais atrativa quando os consumidores podem usar o benefício para adquirir mercadorias variadas — não apenas outros itens de eletro.

O que os brasileiros compram

Aparelhos de uso diário, como geladeiras e refrigeradores, foram os best-sellers (37,1%). Foram seguidos pelas subcategorias máquina de lavar/tanquinho (22,9%), fogão (13,2%) e freezer (4%).

Quem compra mais

As mulheres são as principais consumidoras de eletrodomésticos no Brasil. De julho a setembro de 2020, elas foram responsáveis por 54,7% do total de pedidos online. Mas é interessante observar que os homens (45,3%) costumam gastar mais — ou seja, apresentam maior tíquete médio.

É muito importante que os sellers levem esses dados em consideração para seu posicionamento no varejo online. Afinal, homens e mulheres têm relevância muito semelhante para as vendas virtuais — eles adquirindo eletrodomésticos com maior valor agregado, elas comprando em maior volume.

Quanto à localização, a liderança para compra online de eletrodomésticos continua na região Sudeste (61,7%). Entretanto, vale destacar que o Nordeste, que vem ganhando a atenção de sellers e empresas de logística, foi a região que mais cresceu durante muitos momentos do ano.

Expectativas para 2021

É possível que a venda de eletrodomésticos por meio do comércio eletrônico desacelere um pouco no primeiro trimestre de 2021 pelo seguinte motivo: muitas pessoas já compraram. Black Friday > Cyber Monday > Natal: estamos saindo de uma sucessão de datas comerciais fortes, marcadas por grandes ofertas e condições de pagamento diferenciadas.

Além disso, as pessoas costumam comprar presentes no mês de dezembro, pulverizando os gastos em compras menores. Portanto, precisamos considerar que uma fatia significativa dos consumidores vai frear as despesas no início do novo ano.

Se você é varejista de eletrodomésticos, aproveite os primeiros meses de 2021 para focar em um trabalho analítico, estudando critérios que talvez não tenha tido tempo na correria do final de ano. Reveja condições com fornecedores, busque parcerias, avalie o desempenho interno e invista em novidades. Logo, logo vem o Dia das Mães e as vendas retomam o ritmo!

Otimismo para as vendas online

Mesmo que as compras de eletrodomésticos esfriem um pouco, ainda há otimismo para o segmento. Como não há previsão para o fim da pandemia — tampouco para a imunização em massa da população brasileira —, é provável que as medidas de distanciamento social, incluindo trabalho no formato home office, se estendam pelo menos até junho. Isso significa que as pessoas continuarão mais tempo em casa e, consequentemente, equipando seus lares.

Dicas para vender eletrodomésticos em 2021

  • Aposte em um mix de produtos estratégico, focado no que faz mais sucesso entre os clientes do seu nicho de e-commerce;
  • Visto que homens e mulheres são igualmente importantes para as vendas de eletro, faça campanhas de marketing digital voltadas para diversos públicos;
  • Fique de olho nos parceiros que você escolhe. Quais vantagens o marketplace oferece para reduzir custos e tempo da logística? Os fornecedores conseguem facilitar as condições de pagamento?
  • Cartão de crédito, boleto, Pix, PayPal, PicPay… Esteja atento às formas de pagamento utilizadas pelos brasileiros e não fique para trás.
  • Use o bom atendimento pré e pós-venda para surpreender seus clientes positivamente.

Sucesso nos negócios e até a próxima!

O post Vendas de eletrodomésticos aqueceram o e-commerce em 2020 apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Vendas de eletrodomésticos aqueceram o e-commerce em 2020. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.