Ads Top

Em quais pontos o Pix, pagamento instantâneo, vai transformar o e-commerce?

O Pix, pagamento instantâneo do Banco Central, está prestes a ser lançado e já chega cercado de expectativas (positivas) para aumentar o volume de vendas do varejo.

Esse Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI) vai permitir o pagamento e o recebimento de valores de forma imediata, em qualquer horário ou dia da semana.

Para o e-commerce, especificamente, um dos impactos será sentido no seu processo de logística e de envio de mercadorias. Afinal, quanto mais rápido for confirmado o pagamento, mais depressa o produto pode ser enviado ao consumidor.

Mas há vários outros pontos positivos do Pix para o e-commerce, tais como:

  • a possibilidade de oferecer descontos maiores aos clientes que escolherem essa opção de pagamento;
  • uma melhor gestão de estoque e de fluxo de caixa;
  • menos custos com transações de pagamento, entre outros.

Todas essas melhorias tendem a promover experiências melhores tanto para o e-commerce quanto para o consumidor final, gerando mais aproximação e, consequentemente, mais vendas.

Entenda agora todas as mudanças que podem ser gerada nos processos de compra e venda do comércio eletrônico com o Pix, pagamento instantâneo do Bacen.

Os impactos positivos do Pix, pagamento instantâneo, no e-commerce

O Pix, pagamento instantâneo do Banco Central, é uma solução que permite pagar e receber valores de forma imediata.

Essas transações devem ser realizadas por meios eletrônicos, por meio de uma destas opções:

  • QR Code estático ou dinâmico;
  • chave de endereçamento (por exemplo, CPF, CNPJ, e-mail, número de telefone celular);
  • tecnologias de pagamento por aproximação, como a NFC (Near-Field Communication). 

Mas antes de falarmos das vantagens que o Pix, pagamento instantâneo, trará para os e-commerces e demais setores, é importante destacar que essa solução não está sendo lançada como substituta a outras opções.

A ideia é, justamente, que seja uma alternativa a mais de meio de pagamento, tanto no mundo físico quanto no virtual.

Ou seja, a TED (Transferência Eletrônica Disponível), o DOC (Documento de Ordem de Crédito) e o boleto não deixarão de existir, bem como o uso de cheques, cartão de crédito e de débito não devem deixar de ser ofertados aos clientes.

Na verdade, é fundamental lembrar que os meios de pagamentos são um importante diferencial competitivo em todos os setores. Por isso, quanto mais opções são oferecidas, maiores as chances de efetivar as vendas, aumentando assim a lucratividade do negócio.

Em resumo, o Pix, pagamento instantâneo, veio para somar às alternativas já existentes. Porém, traz vantagens e diferenciais que contribuem para que essa solução se destaque das demais. 

Com isso em mente, veja agora as principais vantagens que esse sistema vai trazer para os especialmente para os e-commerces.

Melhora do processo de logística de estoque e de pagamento

Uma das grandes dores do comércio eletrônico está relacionada aos pagamentos realizados por boleto bancário.

O principalmente motivo é que, uma vez que o comprador gera esse documento para posterior conclusão do seu pagamento, o produto fica bloqueado no estoque do lojista. 

Esse procedimento é importante, pois garante que um mesmo item não seja vendido para duas ou mais pessoas ao mesmo tempo, melhorando o controle efetivo do seu estoque.

Porém, um hábito bastante comum consiste no cliente gerar o boleto e não efetivar o pagamento. Esse ato impede que o produto possa ser vendido a outro consumidor até que o boleto expire.

Além disso, ainda há o prazo de compensação desse documento (geralmente 3 dias úteis). Enquanto ele não é concluído, impede o lojista de enviar a compra ao cliente.

Especialmente em períodos de grande volume de vendas, a exemplo das datas comemorativas — Dia das Mães, Dia dos Pais, Black Friday e outras —, isso pode levar a grandes perdas financeiras para o setor.

Ou seja, todos esses pontos geram prejuízos e custos aos varejistas que atuam com comércio eletrônico. No entanto, o Sistema de Pagamentos Instantâneo do Banco Central chega como uma boa maneira de resolver isso.

Ainda que a ideia não seja excluir o boleto como uma das opções de pagamentos oferecida, o primeiro impacto do Pix no e-commerce poderá ser visto na otimização de todo esse processo.

Como os pagamentos e recebimentos serão instantâneos, a retenção do produto até que a compensação do valor aconteça não será mais um problema para o varejista.

Somado a isso, o envio ao cliente poderá ser feito em um prazo de tempo muito menor. Isso porque o pagamento realizado cai imediatamente na conta do e-commerce, permitindo a liberação também imediata do produto. 

Entre os resultados dessa otimização de pagamento e de entrega promovida pelo Pix está a melhora da experiência de compra do cliente, o que contribui para aprimorar e estreitar o seu relacionamento com o e-commerce.

Aprimoramento da estratégia omnichannel

O Estudo Radar 2017 mostrou que taxa média de abandono de carrinhos no comércio eletrônico brasileiro é de 82%. Parte disso se deve ao tempo total de entrega da mercadoria e o custo elevado do frete.

O varejo omnichannel é uma maneira de evitar que os clientes deixem de comprar pelos motivos citados acima.

Como a estratégia une o mundo virtual ao físico, o consumidor tem a opção de comprar online e retirar o seu produto presencialmente, sem gastar com as taxas de entrega nem precisar esperar longos períodos para receber a mercadoria.

Porém, nem todos os e-commerces contam também com uma loja física. Ainda assim, isso não é impedimento para aplicação do conceito omnichannel ao negócio.

Nesse caso, o varejista tem a opção de utilizar um ponto comercial parceiro para entrega dos seus pedidos

O chamado click & collect consiste em compras realizadas em sites e retiradas na loja física da marca. Porém, se estende também para retiradas em quiosques e comércios parceiros.

Há ainda a opção de utilizar os lockers, armários instalados em diferentes pontos que permitem ao cliente retirar o seu produto ali guardado utilizando um QR Code.

No entanto, seja qual for a forma de entrega utilizada dentro da estratégia omnichannel, é preciso ter a confirmação do pagamento para liberação da mercadoria ao cliente, certo?

Nesse ponto, o Pix, pagamento instantâneo, entra como um forte aliado. Ele contribui para que esse processo se torne ainda mais rápido, eficiente e dinâmico.

Melhora do fluxo de caixa

Ao contrário dos outros meios de pagamento, os valores transacionados via Pix entram imediatamente na conta do recebedor.

Essa facilidade é um ponto bastante positivo para a otimização do fluxo de caixa dos e-commerces. Por conta disso, eles podem reduzir sua necessidade de capital de giro e de busca externa de crédito.

Além disso, o processo de recebimento instantâneo também contribui para o processo de conciliação de pagamentos, melhorando a saúde financeira do negócio com um todo.

Redução de custos

O Pix, pagamento instantâneo, também é uma alternativa que gera muito menos custos operacionais aos varejistas.

De acordo com a Instrução Normativa BCB nº 3, de 3 de agosto de 2020, as transações via  Sistema de Pagamentos Instantâneos vão custar às instituições R$ 0,01 a cada 10 transações, independentemente do valor transacionado (não há qualquer cobrança para o pagador).

Aqui, vale lembrar que esse é o custo a ser pago ao Banco Central. Ou seja, as instituições financeiras que oferecem o Pix estão livres para cobrarem as suas próprias taxas sobre esse serviço.

Ainda assim, a proposta é que essa solução seja menos onerosa do que alternativas como a TED e o DOC — que atualmente podem variar entre R$ 8 a R$ 20 por operação.

Atração de novos clientes

Essa redução de custos também pode ser vista como uma maneira de atrair mais clientes para o e-commerce.

Por exemplo, como as taxas pagas pelo varejista com o Pix são menores, há a possibilidade de converter isso em descontos especiais para quem optar por essa forma de pagamento.

Aqui, ambos os envolvidos no processo de venda são, mais uma vez, beneficiados: 

  • o cliente paga menos por um produto e a entrega é feita mais rápida; 
  • o varejista aumenta seu volume de vendas e recebe os valores em menos tempo.

Além disso, o Pix, pagamento instantâneo, é um grande atrativo para a parcela de pessoas que não têm cartão de crédito.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços), em 2019, 50% dos usuários de cartão afirmaram fazer compras via Internet. Desses, 100% citaram a opção crédito como o meio de pagamento utilizado.

Por outro lado, quem não conta com essa solução acaba ficando fora das compras em e-commerces. Por isso, a oferta do Sistema de Pagamentos Instantâneo como mais uma alternativa é uma maneira de atrair esses consumidores.

Pix versus cartões e outras formas de pagamento

Como eu já mencionei, o Pix, pagamento instantâneo do Banco Central, é uma solução repleta de vantagens.

Porém, é bem importante que o e-commerce continue dando atenção aos outros meios de pagamentos.

Como dito anteriormente, esse Sistema de Pagamentos Instantâneos se trata de uma alternativa a mais para o varejo presencial e virtual

Ou seja, a ideia é oferecer mais uma opção de pagamento aos clientes, fator esse que é um importante diferencial competitivo.

E por mais que as taxas praticadas pelo PIX sejam menores do que as dos outros meios de pagamentos online, as demais alternativas não devem ser deixadas de fora.

Os cartões, por exemplo, tiveram os custos para o empreendedor reduzidos ao longo dos anos.

Foram menos 29% entre os anos de 2009 e 2019, segundo a Abecs, o que contribui bastante para a oferta dessa solução:

  • cartão de crédito: de 2,98% para 2,20%
  • cartão de débito: de 1,61% para 1,10%.

Além disso, em pesquisa atualizada referente ao 1º trimestre de 2020, a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços constatou que as compras online representam 29% das transações feitas via cartão de crédito.

Um dos motivos pode ser a possibilidade de parcelamento, condição que não é possível via Pix, por ser similar a um pagamento via débito.

Ou seja, pelo Sistema de Pagamentos Instantâneos do Banco Central o valor da compra deve ser pago integralmente, em uma única vez.

Quanto aos boletos, de acordo com a FEBRABAN, Federação Brasileira de Bancos, 75% dos consumidores online ainda preferem utilizar essa solução como meio de pagamento. Entre os motivos estão a facilidade de emissão e as taxas reduzidas. 

O peso dos pagamentos eletrônicos nesse processo

Uma pesquisa apontou os fatores de sucesso no varejo. Entre eles, os motivos que vão influenciar no processo de vendas no setor estão a comodidade (69%), o tempo de conclusão da compra (61%) e o atendimento prestado ao cliente (44%).

Mas para alcançar esses três quesitos, os meios de pagamento precisam ser incluídos. 

Ainda de acordo com o levantamento, 49% dos 3 mil entrevistados pretendem utilizar novas soluções para pagarem suas compras.

Entre os motivos estão o fato que 50% dos consumidores consideram a tecnologia importante aliada para melhorar sua experiência de compra. 

Baseado nisso, 60,4% informaram que estão utilizando esse recurso para realizarem autoatendimento (o self checkout).

Aqui, vale salientar que a Abecs estima que os meios eletrônicos de pagamento encerrarão 2020 com saldo positivo, e serão responsáveis por transacionar cerca de R$ 1,9 trilhão em todo o Brasil.

Trazendo esses números para dentro do cenário dos e-commerces, podemos citar soluções como os QR Codes e as carteiras digitais (além dos cartões e boletos), como boas alternativas a serem acrescidas para atender a essa nova demanda e, dessa forma, elevar o volume de vendas.

Entenda mais sobre o Pix, pagamento instantâneo do Bacen

O Pix é um sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central que vai permitir o pagamento e o recebimento de valores em até 10 segundos.

As transações podem acontecer a qualquer horário ou dia da semana, ao contrário do que acontece com soluções como a TED e o DOC — que somente podem ser realizadas em dias úteis e demoram até 24 horas para serem efetivadas.

A nova solução ainda beneficia quem recebe via cartão de crédito e de débito que, ainda que possam ser feitas a qualquer tempo, demandam certo período para que o valor caia na conta do recebedor.

Como funciona o Pix

O Pix é uma solução criada para facilitar o processo de pagamento entre diferentes pagadores e recebedores. Assim, ele permite transações:

  • de pessoa para pessoa;
  • entre pessoas e estabelecimentos comerciais, tanto os físicos quanto os virtuais;
  • entre empresas, tais como fornecedores, negócios B2B, etc.;
  • a pagamentos ao governo (impostos, taxas, títulos entre outros);
  • para pagamento de contas públicas, como água e luz.

Para isso, é necessário que ambos os envolvidos no processo tenham uma conta transacional, que pode ser uma conta corrente, conta poupança ou mesmo uma conta de pagamento. 

Porém, é preciso que o prestador de serviço bancário (banco tradicional, instituições financeiras ou instituições de pagamento, a exemplo de algumas fintechs) sejam participantes do Pix.

Vale ressaltar que instituições financeiras (IFs) e instituições de pagamento (IPs) autorizadas pelo Banco Central, incluindo fintechs, com mais de 500 mil contas ativas, são obrigadas a oferecerem o Pix aos seus clientes.

Já IFs e IPs, inclusive as não sujeitas à autorização pelo Bacen, podem oferecer a solução de pagamento de maneira facultativa. 

O Sistema de Pagamentos Instantâneo do Banco Central pode ser utilizado tanto para pagamentos físicos quanto virtuais.

Entre as opções para efetuar o Pix estão:

  • – QR Code estático: pode ser utilizado em inúmeras transações e permite a definição de um valor fixo (ideal para pessoas físicas, prestadores de serviço e pequenos varejistas); 
  • – QR Code dinâmico: usado para uma única transação, possibilita inserir, além do valor, informações pertinentes àquela venda;
  • – chave Pix: que nada mais é do que um “apelido” para identificar as contas, que pode ser o número do CPF ou do CNPJ, endereço de e-mail, número do telefone celular, ou chave aleatória.

Para pagamentos presenciais há ainda a possibilidade de utilizar alguma solução de pagamento por aproximação.

Vantagens do Pix

Previsto para ser lançado em novembro deste ano, o Pix chega como uma alternativa aos meios de pagamento. Ele já está sendo esperado como um importante impulsionador na retomada econômica do varejo após a crise provocada pela pandemia.

Entre os motivos está a redução do tempo para conclusão de compra, que pode ser um incentivo a novas aquisições.

Para as lojas físicas, a opção de pagamento tem mais um atrativo: o sistema permite a realização de saques em dinheiro na rede varejista

Essa alternativa se torna uma boa oportunidade de novos negócios, já que o cliente precisa entrar no estabelecimento comercial para retirar o dinheiro.

No caso dos e-commerces, especificamente, há também a otimização do envio dos produtos, conforme citado anteriormente.

Ou seja, em uma visão geral, o Pix beneficia pagadores, recebedores e o ecossistema de meios de pagamento.

Benefícios para os pagadores

O Sistema de Pagamentos Instantâneo é mais rápido, prático e simples. A solução dispensa o uso de cartões, cédulas de dinheiro, cheques ou maquininhas — e é facilmente integrável a diversos serviços no smartphone (como carteira digital).

Um dos maiores diferenciais para os consumidores é que não há qualquer cobrança de taxa para realização do processo de pagamento, sendo esse um dos maiores incentivos para o seu uso.

Benefícios para os recebedores

Para quem vai receber via Pix, pagamento instantâneo, a exemplo dos e-commerces, a solução reduz o tempo de recebimento das vendas, facilitando também a conciliação de pagamentos e a gestão financeira da empresa.

O checkout também é otimizado: nas compras online diminui o tempo de conclusão, nas físicas reduz filas.

Outro ponto bastante importante a se destacar é que essa alternativa de recebimento é mais barata em relação às demais já existentes. Bem trabalhada, essa redução de custo pode ser convertida para atrair mais clientes.

Benefícios para o ecossistema

O Pix vai ao encontro do processo de digitalização do dinheiro no Brasil. Ao utilizá-lo, é possível reduzir o volume de cédulas em circulação, bem como os custos com novas impressões, transporte, segurança etc. Entenda os impactos da digitalização do dinheiro aqui.

O sistema também contribui para aumentar a competitividade no mercado de meios de pagamento, o que tende a levar à criação de serviços mais baratos e com mais qualidade. 

Além disso, promove a inclusão financeira e aumenta o poder de compra dos consumidores.

A importância do Pix como uma nova opção de pagamento

Uma das vantagens de se trabalhar com um e-commerce é que a loja fica disponível para os clientes 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias ao ano.

No que diz respeito ao recebimento dos valores pagos pelos consumidores desse tipo de comércio, o Pix segue essa mesma linha de funcionamento. Se torna, portanto, um grande aliado na jornada de crescimento desse modelo de negócio.

Com relação a isso, não podemos deixar de citar também a visível ampliação pelo qual esse segmento está passando, momento que foi fortemente impulsionado pela pandemia do novo coronavírus.

A expansão do e-commerce chegou a 40%, o que representa mais de 1,3 milhão de lojas online.

Em volume de vendas, o setor faturou mais de R$ 9,4 bilhões apenas no mês de abril deste ano, um aumento de 81% em relação ao mesmo período de 2019.

Quanto ao número de pedidos, houve um aumento de 98% comparado ao ano passado, sendo 24,5 milhões de compras online.

Dentro dessa nova realidade de digitalização dos comércios, está a necessidade de oferecer aos clientes experiências melhores, mais integradas e completas

Mas para isso, os meios de pagamento devem fazer parte, especialmente com soluções mais rápidas e seguras.

O Pix, pagamento instantâneo, chega para somar à essa proposta, contribuindo para que o e-commerce, assim como os demais varejistas, entreguem ainda mais valor ao seu público.

Entre as diversas vantagens dessa opção de pagamento é que o sistema é altamente benéfico para todos. Ou seja, ganha o lojista que oferecer, ganha o cliente que utilizar.

Porém, não se pode deixar de lados os demais meios de pagamento. Afinal, a ideia é agregar soluções de pagamentos e, dessa forma, conseguir atender parcelas maiores de clientes a cada dia.

O post Em quais pontos o Pix, pagamento instantâneo, vai transformar o e-commerce? apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Em quais pontos o Pix, pagamento instantâneo, vai transformar o e-commerce?. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.