Ads Top

Como montar um curso online: os 4 Cs que levam ao sucesso

Se você tem uma, ou várias ideias para montar um curso online, mas ainda não sabe por onde começar, você chegou no artigo certo.

Os consumidores compram cursos online pela praticidade e rapidez no aprendizado, mas também pelo que você pode trazer de melhoria na vida dele.

E, quando estudamos através de um material extremamente útil, didático original e transformador, sentimos o desejo de passar a informação adiante para que outras pessoas também tenham acesso.

Para deixar os seus alunos com a sensação de que fizeram uma boa escolha, você precisa conhecer os 4 Cs do sucesso antes de montar o seu curso online.

1. Conhecimento: o que tenho para ensinar

Você não precisa ter experiência como professor ou de um diploma na sua área de atuação para montar um curso online.

No entanto, precisa de um nível de conhecimento e prática acima do seu público-alvo.

Para identificar com clareza qual seria o melhor tema para seu curso, responda às seguintes perguntas:

  • Qual ou quais atividades você realiza sem esforço e sem perceber o tempo passar?
  • Pelo quê você é constantemente elogiado(a)?
  • Você tem um jeito melhor, mais rápido, mais barato ou diferente de fazer algo que todo mundo faz?
  • Existe algo que você conseguiu realizar e que muitas pessoas desejam, mas ainda não conseguiram, como emagrecer, ter um relacionamento saudável, perder o medo de falar em público, etc.

As pessoas compram cursos onlines não pelo conhecimento, mas pela mudança que aquela informação organizada e direcionada pode trazer para sua vida.

2.Concorrência: não existe nicho saturado

Não acredito em nichos de mercado saturados, seja em 5, seja em 10 anos, sempre haverá espaço para quem é muito bom em:

Se você entende e define seu diferencial, você consegue fincar sua bandeira no nicho que desejar. E por fincar a bandeira, nem digo que você precisa ser o melhor do mercado, apenas que você tem algo que ninguém mais tem.

Na época que montei o Viver de Blog, em 2013,  já existiam outros blogs de marketing digital e eu vi que teria que ir contra a maré para não ser apenas mais um.

Enquanto os outros blogs falavam sobre ganhar dinheiro na internet dormindo e usando cores chamativas, como amarelo e vermelho, decidi criar artigos gigantes, oferecendo gratuitamente todo o meu conhecimento, sem vender nada, apenas pedindo para as pessoas se cadastrarem na minha lista de emails.

Tudo foi pensado para construir uma relação de longo prazo com a audiência, o que trouxe muitos frutos depois quando eu lancei meu primeiro produto digital da área de marketing, o Blog Memorável.

Você pode até atuar em um mercado gigante, como em um dos 3 macro nichos do mercado digital:

  • Saúde e emagrecimento
  • Relacionamentos
  • Finanças

Mas se você for ultra-específico, resolver uma dor única, você pode atuar com sucesso. Veja como descobrir a fatia ideal para ocupar no seu mercado como o Índice PVL.

O Índice PVL

Esse é um índice para você descobrir qual é a sua ramificação de mercado ideal.

P = Paixão V = Valor L = Lucratividade E em cada uma dessa 3 categorias, você dá uma nota de 0 a 10 e calcula a soma de todos.

P (Paixão) é o quanto você adora esse tipo de mercado e o cliente ideal nele.

V (Valor) é o quanto esse tipo de mercado valoriza seu trabalho.

L (Lucratividade) é o quão rentável é trabalhar nesse tipo de ramificação de mercado.

Imagine o gigante mercado de fotografia.

Existem profissionais de fotografia para:

  • casamentos
  • foto jornalismo
  • fotos corporativas
  • e álbuns de família

Qual ramificação teria o melhor índice PVL para você?

Basta fazer a conta do somatório P+V+L para cada um desses segmentos e PRONTO!

Você tem um método prático de encontrar a sua ramificação perfeita de mercado. E sempre irão existir oportunidades para quem estuda seu mercado e seus clientes e sabe se posicionar bem.

O próximo passo agora é identificar a persona daquele segmento de mercado.

3.Clientes: perguntar antes de criar

A melhor forma de identificar as maiores necessidades dos seus clientes é conversando com eles.

A vantagem de entregar produtos mais personalizados e caros, como mentorias, consultorias, serviços e treinamentos presenciais, antes de montar um curso online, é justamente a possibilidade de estar mais próximo do cliente.

Aos poucos, você vai identificando problemas em comum e assim consegue criar um produto “mais padronizado”, que atenda às necessidades de muito mais pessoas.

Se esse não é seu caso, você pode procurar informações nessas fontes:

  • Pesquisa com a audiência.
  • Caixa de perguntas ou mensagens que você recebe pelo Instagram.
  • Comentários nas suas mídias digitais.
  • Dúvidas frequentes dos clientes.

E o que você deve perguntar:

  • O que deixa eles acordados a noite?
  • Do que eles têm medo?
  • O que tira eles do sério?
  • Quem tira eles do sério?
  • Quais são as maiores frustrações diárias deles?
  • Qual o maior sonho dela?
  • Por qual motivo não realiza o sonho?
  • Como é o dia-a-dia comum deles?
  • Onde eles buscam informações?
  • Qual é a emoção dominante no dia-a-dia deles?
  • Qual é a ÚNICA coisa que eles admiram acima de tudo?

Assim  você tem um entendimento mais profundo de quem é realmente sua audiência e como se comunicar com ela.

Depois de toda essa pesquisa e estudo inicial, faça uma lista com as 30 dores da sua audiência.

Das 30 dores relacionadas, escolha uma, e apenas uma, que você acredita que seja a principal.

Mais fácil vender para quem tem um problema precisando de uma solução do que convencer o público que ele tem um problema que precisa ser solucionado por você.

4.Conteúdo: o caminho até à vitória

O principal desafio ao montar um curso online não está na parte da entrega, mas sim da venda.

Se você passa 3 meses criando o curso, transformando em uma verdadeira experiência educacional, mas só para para pensar no marketing depois que tudo está pronto, você corre sérios riscos de não vender absolutamente nada.

Sempre faça o marketing antes de pensar na entrega, para que você possa garantir que todo esse tempo que você vai investir montando um curso online seja bem recompensado no final.

Quando você vende um curso que ainda não está finalizado, tem a vantagem de ir fazendo melhorias conforme vai recebendo feedbacks dos próprios alunos.

Claro que não estou dizendo para você vender uma ideia ou uma ilusão.

Aqui na VDB, quando vamos vender um curso online novo, já criamos e gravamos no mínimo dois módulos completos para que os alunos tenham o conteúdo à sua disposição assim que entram na área de membros.

E, ao longo do processo, vamos criando e gravando os outros módulos, geralmente com entregas semanais e sempre ouvindo o feedback dos alunos para fazer melhorias no processo.

Como montar um curso online: grade curricular

O processo de entrega de um curso nem sempre é igual.

Não existe regra, mas nós fazemos assim na Viver de Blog:

Começo com uma ideia clara do conteúdo central e de apoio que quero entregar durante as aulas. Ou seja, qual o caminho lógico que o aluno precisa percorrer e quais habilidades ele precisa aprender para sair do seu estado atual e chegar ao estado de transformação que vou vender no marketing do curso.

Os módulos funcionam como peças de Lego, encaixando nessa jornada para construir o caminho que o aluno vai percorrer.

Vou usar como exemplo o Escritor Milionário, um dos nossos cursos mais vendidos, que tem o objetivo de ensinar pessoas a viverem da própria escrita.

Para que o aluno alcance esse objetivo, defini os principais pilares que ele precisaria aprender para alcançar esse resultado, e separei em 10 módulos:

  • Módulo 1: O Mundo Extraordinário da Escrita.
  • Módulo 2: O Sistema do Escritor Milionário.
  • Módulo 3: O Método I.D.E.I.A.
  • Módulo 4: Como Escrever Rápido.
  • Módulo 5: Como Ganhar a Atenção das Pessoas.
  • Módulo 6: Elementos da Escrita.
  • Módulo 7: Técnicas de Escrita.
  • Módulo 8: Revisão e Edição.
  • Módulo 9: Storytelling.
  • Módulo 10: Como Escrever Para Vender.

Sempre indo do macro para o micro, da árvore para a floresta, depois de definir os módulos, começo a ver quantas e, quais aulas o curso online precisa ter para que, mais uma vez, o aluno cumpra o objetivo principal.

Ainda usando o exemplo do Escritor Milionário, as aulas do Módulo 1, que é um módulo introdutório, são essas:

  • Aula #1: Ponto Zero: o início da sua jornada para se tornar um Escritor Milionário.
  • Aula #2: Como criar sua loja criativa e lucrativa de ideias.
  • Aula #3: Os únicos 2 tipos de escritores (por favor, não seja o primeiro).
  • Aula #4: Como entrar na mente da sua audiência e escrever o que eles desejam.
  • Aula #5: Micro Sprint: Melhore sua escrita em apenas 5 minutos por dia.

Depois, tudo isso vira uma planilha ou um quadro no Trello, com os nomes dos módulos, as aulas e dentro de cada aula, uso o mapa mental ou roteiro para estruturar o conteúdo de cada aula.

Formato ideal de conteúdos para cursos online

Suas aulas podem ser:

  • Vídeos onde você aparece.
  • Com Screencast (formato de apresentação).
  • Vídeos com mapa mental (como fazemos nos nossos cursos).
  • Texto.
  • Aulas ao vivo.

Mas prática é fundamental para o aprendizado, principalmente em cursos online, onde as pessoas tendem a desistir no caminho. Se você criar exercícios que possam ser aplicados a projetos de trabalho reais, é provável que as pessoas sejam incentivadas a gastar tempo para finalizar as tarefas.

Você também pode apostar em materiais complementares, como:

  • Planilhas.
  • Quadros no Trello.
  • Apostilas complementares em texto e imagens.
  • Apostilas de exercícios.
  • Áudios das aulas para baixar.
  • Gamificação.

Para onde vai todo esse conteúdo?

Além da transformação fraca e do conteúdo ruim, existem outras coisas que acabam com a paciência dos seus alunos, resultando em desistências e pedidos de reembolso:

  • Quedas frequentes no servidor onde seu curso online está hospedado.
  • Problemas com login e senha.
  • Falta de suporte ao cliente, tanto para problemas técnicos, quanto resposta de dúvidas.
  • Plataforma confusa e aulas espalhadas sem nenhuma ordem lógica.
  • Dificuldade de navegar entre as aulas.
  • Falta de materiais complementares, como exercícios, transcrições ou resumos em PDF e áudios.
  • Falta de um cronograma de aulas.
  • A impossibilidade de avaliar a qualidade da aula.

Como você pode perceber são erros bobos, mas que comprometem toda a experiência dos seus alunos e do seu negócio digital também.

Muitas vezes você vê a taxa de cancelamento só aumentando, e acredita que o problema está no conteúdo, ou que você atraiu o público errado.

Sem pensar que o motivo pode ser a plataforma EAD que você usa.

Se você não quer ver todo o trabalho que teve para montar seu curso online, conheça o Apollo, a plataforma EAD da Viver de Blog, pensada para trazer a melhor experiência para os seus alunos.

O post Como montar um curso online: os 4 Cs que levam ao sucesso apareceu primeiro em Viver de Blog.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Como montar um curso online: os 4 Cs que levam ao sucesso. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.