Ads Top

E-commerce não é para todos. Ponto!

Sim, me arrisco a dizer que o e-commerce não é para todos. Na verdade eu me arrisco a dizer que empreender não é para todos. E por meio deste conteúdo vou trazer alguns pontos importantes para afirmar esse ponto de vista.

Atualmente existem diversos conteúdos na internet que nos incentivam a querer ter um negócio. Na grande maioria das vezes esses conteúdos expõem muitos pontos positivos para estimular o leitor a realmente aderir à ideia. Porém, é raro vermos materiais que também apresentem todos os desafios que você terá no caminho, como contas, contrações, impostos, demissões, negociações, etc.

É fato que empreender gera muitos benefícios não apenas para quem toca o negócio, mas para o cliente, aos fornecedores e também para as pessoas que trabalharão diretamente na empresa. Por meio de negócios que empregos são gerados e isso contribui para riqueza à nossa sociedade.

É importante também não deixarmos de falar dos desafios. Empreender no Brasil não é uma tarefa fácil, não é para qualquer um. Só quem está à frente de um negócio sabe do que estou falando.

O empreendedor deve saber exatamente o motivo pelo qual está trabalhando em um determinado projeto, quando existe um propósito claro — percorrer o caminho se torna melhor.

Empreender vs administrar um negócio

Existe uma diferença muito grande entre empreender e administrar o negócio. Eu considero empreender como uma atitude, uma ação. É você tentando resolver algum problema por meio do seu serviço/produto em troca de dinheiro, simples assim!

Administrar é saber alocar os recursos disponíveis, pessoas, verba, ferramentas para que se atinja o objetivo da empresa, ela gere lucro e cresça de forma sustentável.

Partindo deste ponto noto que em alguns casos as pessoas não param para avaliar o mais importante: a resolução de problemas! Ou seja, o que você quer resolver para o seu cliente por meio da sua empresa.

E dentro do varejo infelizmente alguns lojistas possuem um grande bloqueio quando o assunto é inovação, principalmente aqueles que sempre operaram o negócio de uma única forma. São os que realmente demonstram resistência às mudanças e também muitas vezes acabam se dando mal.

Um exemplo prático é o que estamos observando atualmente. São empresas que nunca operaram no digital, correndo atrás do prejuízo para se manter de alguma forma ativa, visto que existe um grande impacto em alguns segmentos de mercado. Algumas delas estão há anos no mercado e somente agora aderiram ao e-commerce — precisou um grande problema para tomarem uma atitude.

Planejamento vs ação

Sabemos muito sobre a importância do planejamento, pois é ele que contribui para evitarmos alguns erros e reduzir riscos. Porém existe uma grande diferença entre planejar de forma eficiente e viver só na teoria. O que fará com que o seu cenário mude são as suas microatitudes. Sabe aquele planejamento que você montou? Coloque-o para funcionar!

Não há retorno sem investimento, não há crescimento sem trabalho, e você precisa entender isso! Em 8 anos atuando exclusivamente com e-commerce e varejistas de vários segmentos, posso afirmar que o que diferencia uma empresa de sucesso de outra é a mentalidade de quem toca o negócio e a execução de um bom plano de ação.

Entrando um pouco mais no mundo do e-commerce, já presenciei vários gestores sem noção alguma de como crescer no digital ou até mesmo sem ideia de prazos para o negócio ganhar corpo. E isso faz com que muitas decisões sejam tomadas de forma equivocada, prejudicando o negócio.

E para evitar estes erros é muito importante que o empreendedor continue se atualizando e estudando sobre o seu negócio. Fazer um e-commerce decolar e se manter rentável não é para qualquer um. É um desafio diário e quanto mais capacitado o empreendedor estiver, melhor serão os resultados.

Marketing e vendas

Muitas vezes o marketing é entendido como a etapa promocional e de comunicação do negócio. Se você tem esta ótica, sinto dizer que está enganado.

O marketing eficiente é um processo que envolve várias as etapas. Vai da concepção do produto, canais de distribuição, precificação, comunicação, até que ele chegue no seu destino final, que é o consumidor.

Vale lembrar dos 4Ps do marketing:

  • Produto (ter um bom mix de produto, uma oferta diferenciada que resolva o problema do cliente)
  • Preço (ser competitivo é fundamental, com boas condições de pagamento)
  • Praça (em qual local estará? Como irá distribuir? Quais canais utilizará?)
  • Promoção (qual mídia faz mais sentido para o seu negócio? Qual a comunicação que utilizará?)

Desenvolvimento da estratégia

Dentro da esfera de marketing e vendas é comum vermos empresas que em alguns casos tentam delegar a estratégia de marketing para algum fornecedor. Sinto dizer que isso não é delegável. Os fornecedores podem ajudá-lo na construção trazendo insights valiosos, e até executando etapas que provavelmente não sejam possíveis pela sua equipe. Porém, no desenvolvimento da estratégia é fundamental a participação do gestor.

Pode parecer estranho em um primeiro momento, mas se o processo de marketing envolve etapas como definição de produto, praça, preço e promoção, é fundamental que a estratégia venha de dentro do negócio. Ou seja, você e a sua equipe precisam avaliar os itens necessários, para quando atuarem com algum fornecedor as execuções estejam alinhadas com o objetivo do negócio.

Seleção de fornecedores

Uma das funções que todo empreendedor que atua no e-commerce precisa desenvolver é saber selecionar bons fornecedores. Posso afirmar que boa parte da lucratividade do negócio está relacionada a saber comprar, combinar prazos e realmente fortalecer acordos de parcerias sólidas com os fornecedores estratégicos.

Dentro desse ecossistema, existem:

  • plataformas de e-commerce;
  • intermediadores de pagamentos;
  • fornecedores de ERP;
  • fornecedor logístico;
  • agências;
  • consultorias;
  • e os fornecedores de produtos.

Portanto, é preciso entender quais empresas são fundamentais e realmente contribuem para o seu crescimento.

As empresas que possuem operações eficientes têm um alinhamento transparente com todos os envolvidos. Dessa forma é possível obter acordos específicos que podem ajudar o negócio a ser mais lucrativo — e tudo depende de você tomar boas decisões.

Como mencionei no título desse artigo, o e-commerce não é para todos. Para que ele dê certo, você precisa fazer dar certo. E isso só é possível com planejamento, conhecimento, investimento e execução.

O post E-commerce não é para todos. Ponto! apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre E-commerce não é para todos. Ponto!. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.