8 fatores cruciais para ranquear conteúdo no Google em 2020

Aparecer nas primeiras posições na busca do Google não é um trabalho fácil. É preciso entender como o algoritmo Hummingbird funciona e otimizar seus conteúdos com técnicas de SEO.

O Google tem mais de 200 fatores de ranqueamento, mas você sabe quais são realmente importantes para atrair mais tráfego orgânico para seu site ou blog? Confira os elementos essenciais para ranquear melhor:

1 – Velocidade de carregamento

O Google está sempre em busca de aprimorar a experiência do usuário, por isso mostrará primeiro os sites que carregam mais rápido.

Para saber a velocidade de carregamento da sua página, use o Page Speed Insights, ferramenta gratuita do Google, ou a Test My Site, para versões mobile. Se o tempo de resposta for acima de 3 segundos, considere fazer otimizações em imagens e na programação.

2 – Responsividade

O Google vai ranquear melhor os sites compatíveis com dispositivos móveis porque as pessoas estão usando mais o celular para navegar na internet.

Segundo o Wolfgang Digital’s KPI Report 2019, 53% do tráfego na web têm origem em dispositivos móveis, seguido por desktop (37%) e tablet (10%).

Entretanto, ter um site amigável para mobile não é suficiente. É importante que o redimensionamento seja inteligente para caber automaticamente na tela do dispositivo, que as fontes utilizadas sejam em tamanho que facilite a leitura e que o conteúdo não seja ocultado por anúncios ou popups complicados de fechar.

3 – Autoridade da página e do domínio

A autoridade da página e do domínio é uma combinação de conteúdo de qualidade, links internos e backlinks. É medida em uma escala de 0 a 100, e quanto maior a nota mais chances o conteúdo tem de aparecer nas primeiras páginas de resultados de pesquisa.

A nota é calculada com base no total de links externos e na qualidade dos sites que apontam para o seu blog.

Utilize a ferramenta Open Site Explorer, da Moz, para verificar a autoridade do site. É só inserir a URL para receber um relatório completo.

4 – Conteúdo otimizado

O algoritmo do Google se baseia em palavras-chave, por isso o seu trabalho de conteúdo deve estar centrado nelas.

Mas só elas não bastam. É importante incluir termos relacionados às buscas que as pessoas fazem. Essa forma de construção de conteúdo (palavras-chave + termos complementares) vai ajudar o Google a saber quais resultados devem ser exibidos para a intenção de busca do usuário.

O tamanho do texto importa? Sim! O Google se interessa mais por conteúdos de qualidade e extensos, na casa das 2 mil palavras, mas isso não é regra. Se a resposta à dúvida da persona puder ser dada em menos caracteres, não tente esticar o texto.

Veja mais dicas para otimizar conteúdos para SEO:

Vídeos

Inclua vídeos na sua estratégia de conteúdo, pois 43% dos entrevistados pela Hubspot afirmaram querer ver mais materiais nesse formato.

Google Featured Snippet

O Google vem cada vez mais exibindo uma espécie de caixa com parte do texto como resultado de uma busca. É a chamada “posição zero”, ocupada geralmente por listas, receitas, tutoriais e tabelas. Para conseguir esse lugar, você precisará responder perguntas, formatar corretamente os títulos, fazer listas ou tabelas.

Palavra-chave em título e meta-descrição

A palavra-chave precisa aparecer no título dos posts, que é o lugar onde o Google procura primeiro para eleger o conteúdo mais adequado para a busca. Utilize H2 e H3 nos subtítulos para hierarquizar o conteúdo.

Escreva uma meta-descrição para atrair os leitores. Seja criativo e persuasivo para convencer o usuário de que o seu material é o que ele procura.

5 – Links

Construa um conteúdo com links internos e externos e desenhe uma estratégia para conseguir backlinks de sites de qualidade.

Usar links internos nos conteúdos é uma forma de unir páginas para o Google e os visitantes, tornando-as valiosas. Ao fazer links para outros conteúdos do blog, você acaba permitindo que o leitor encontre a sua outra página, fazendo com que elas apareçam nas melhores posições dos resultados.

6 – Compartilhamentos

Embora o Google afirme que o compartilhamento social não é um fator direto de ranqueamento, é inegável que boa parte das páginas que estão no topo dos resultados tem grande número de compartilhamentos. Dessa forma, os sinais sociais ajudam, mesmo que indiretamente, a ficar entre os primeiros.

7 – Certificados de segurança

Sites seguros, com certificado SSL e HTTPS, obtêm melhor posicionamento. O Google afirma que a segurança está entre suas prioridades, por isso os algoritmos valorizam páginas que usam conexões seguras e criptografadas.

8 – Usabilidade

A usabilidade tem a ver com a experiência do usuário dentro do site. Esse fator de ranqueamento é medido por três índices: visualizações de página, taxa de rejeição e tempo de permanência.

Visualizações de página

Número de vezes que uma página foi acessada. A cada vez que um mesmo usuário entra, é contada uma nova visualização.

Rejeição

Quando um usuário entra na página e sai em seguida, sem clicar em lugar algum.

Permanência

Tempo médio que os usuários ficam em uma página específica. Este indicador está bastante ligado à experiência do usuário.

A criação de conteúdo na web é um exercício de criatividade, qualidade de texto e do emprego das técnicas certas de SEO para fazer com o que o leitor encontre o seu material.

O post 8 fatores cruciais para ranquear conteúdo no Google em 2020 apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre 8 fatores cruciais para ranquear conteúdo no Google em 2020. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Guia da Pesquisa de Palavras-Chave

5 desafios enfrentados pelos CIOS neste momento

Como excluir conta do Facebook: passo-a-passo