Ads Top

6 dicas para quem está abrindo um e-commerce em tempos de coronavírus

Infelizmente, não se fala de outra coisa além de Covid-19, conhecido popularmente como coronavírus. A pandemia se tornou global rapidamente e, quase que na mesma velocidade, foi necessário adotar estratégias e planejamentos que se moldassem às limitações que o vírus nos trouxe devido à sua forma extremamente veloz e simples de se manifestar.

A começar pelo isolamento social, ou a tão falada quarentena, imposta pelo governo com a intenção de conter a propagação da doença em níveis extremos — que já foi uma realidade na China, por exemplo, primeiro país onde a pandemia se alastrou. Por conta disso, o contexto econômico brasileiro seguiu um novo rumo, até então incerto e inseguro. Porém, mesmo nesse momento crítico, o cenário nos faz buscar alternativas para driblar os obstáculos e acreditar que com muito trabalho, criatividade e diferenciais, superaremos este período de instabilidades.

Apesar do período exigir que comércios e pequenos negócios considerados não-essenciais fossem fechados, a maioria das empresas adotou o formato home office de trabalho. Dessa forma não encerrarem suas atividades por completo e até surgiram aqueles que iniciaram suas atividades de e-commerce e/ou delivery, para não perderem vendas e nem sofrerem financeiramente.

Então, para aqueles que estão começando agora com as vendas online e não fazem a menor ideia de como transformar o comércio em um sucesso também no mundo virtual, aqui vão algumas dicas de ouro:

1 – Otimize a experiência do usuário

É importante testar a experiência do usuário para aumentar as vendas no e-commerce — para não acontecer o famoso “muitos entraram no site, mas não finalizaram a compra”.

Se o seu site tem um tempo de carregamento longo ou muitos passos para finalizar o checkout, o cliente pode desistir de comprar. Faça testes na sua loja e veja em quais pontos você pode aprimorar a experiência do comprador.

2 – SEO: fortaleça o tráfego orgânico

Se você quer trazer mais clientes interessados na compra, otimização de SEO é indispensável. Esse processo envolve mudanças nos títulos, descrições e categorias da loja. Consequentemente, faz com que seu conteúdo seja mais facilmente encontrado nos motores de busca do Google, por exemplo.

3 – Invista em mídia paga

Além do tráfego orgânico, é possível obter resultados mais rápidos e investindo em mídia paga. Com campanhas de Google Ads e Facebook Ads, você pode impactar seu cliente nos momentos certos da jornada de compra. Por isso trata-se de uma estratégia eficaz para aumentar as vendas no e-commerce.

4 – Crie uma estratégia de marketing digital

Como as pessoas vão comprar na sua loja se ainda não conhecem ou não sentem confiança na sua marca? É nesse ponto que o trabalho de marketing digital pode ajudar!

Criar conteúdo nas redes sociais, enviar e-mail marketing para seus clientes e manter o site atualizado com banners atrativos, por exemplo, são ações que ajudam a construir relacionamento com seu público. É importante divulgar as vantagens, promoções e mostrar os motivos de a sua loja ser a melhor opção de escolha para a compra!

5 – Ações de fidelização de clientes

Quem já comprou na sua loja não pode ficar esquecido! Portanto, é importante aplicar uma estratégia de fidelização de clientes. Nesse caso, garanta um excelente atendimento pós-venda e continue enviando e-mail para manter um ponto de contato com seu público. Você pode recomendar produtos relacionados ao interesse do cliente ou até mesmo oferecer um cupom de desconto exclusivo para estimular a recompra.

6 – Dentro dos marketplaces

Além disso, uma das principais dúvidas de quem está começando a vender em marketplaces é também um dos pontos mais importantes do comércio: o repasse de pagamentos. Diferente de uma loja física, em que é possível contar com a receita das vendas de imediato, nos marketplaces existem datas específicas para os recebimentos. Em determinados casos, o tempo de espera até que os valores estejam disponíveis pode passar de 30 dias. Para isso, é importante conhecer os prazos de pagamento dos principais marketplaces do país.

A conciliação financeira, além de te colocar “na contramão da crise”, controlando as vendas e recebimentos, também compensa possíveis perdas — e garante a saúde econômica da empresa e o auxílio necessário para a gestão dos resultados. Por sorte, atualmente existem softwares especializados na conciliação de repasses de pagamentos em marketplaces disponíveis no mercado. Por serem automatizados, são mais seguros e menos propensos a erros.

E agora, está pronto para começar sua loja online?

O post 6 dicas para quem está abrindo um e-commerce em tempos de coronavírus apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre 6 dicas para quem está abrindo um e-commerce em tempos de coronavírus. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.