Ads Top

Como uma boa estratégia de pricing melhora o faturamento do seu e-commerce

Como gerar vendas em um ambiente onde a concorrência pode ser facilmente mapeada? Esse é um dos desafios de muitas empresas que vendem online.

O consumidor está cada vez mais criterioso no momento da pesquisa, e o preço é um dos grandes fatores que o fazem tomar a decisão final. Sendo assim, há uma grande “guerra dos preços” na web que também acaba impactando com mais força no varejo físico.

Por isso, é necessário planejar e executar uma estratégia de pricing, mas não é uma tarefa tão simples. Afinal, se o preço estiver muito alto, gerará impactos na quantidade de vendas. E se estiver muito baixo, influenciará a receita, diminuindo o faturamento.

Como definir, então, o preço que seja competitivo com o mercado e ainda seja lucrativo? Essa estratégia não pode ser definida no “achômetro”. Algumas práticas devem ser implementadas para aplicá-la. São elas:

  • Preço: a definição do valor adequado para a venda de um produto deve levar em conta preço de mercado, valor do custo e das despesas totais.
  • Pesquisa de preços: dentro da pesquisa de preços, é necessário também analisar o preço dos concorrentes. Essa análise dá à empresa a exatidão do seu posicionamento no mercado perante outras empresas.
  • Categorias: a divisão dos produtos por categorias é muito importante, pois facilita a comunicação do seu site com o cliente e ajuda o consumidor a não abandonar sua loja virtual por dificuldade de localizar um produto. Você não pode perder uma venda pela “falta de organização” do seu e-commerce.
  • Níveis de preço: existem algumas opções de definição de preços de acordo com a estratégia que escolher.
    4.1) Preço baixo: aqui você tem a opção de decidir que o seu preço esteja abaixo do preço do seu concorrente de forma recorrente (todos os dias), sem alteração.
    4.2) Preço alto-baixo: nessa estratégia você seleciona um grupo de produtos para abaixar o preço por determinado período de tempo. Logo após, o preço volta ao normal.
    4.3) Preço por volume: aqui você pode optar pela opção do atacado. O valor de venda diminui de acordo com a quantidade de peças que o cliente comprar.
    4.4) Preço sazonal: o preço sazonal anda com a datas comemorativas. O cliente sempre espera um desconto exclusivo para o Dia das Mães, por exemplo. Invista nessa opção.
    4.5) Preço psicológico: esse preço tem o intuito de confundir a percepção do cliente. É mais vantajoso divulgar um preço de R$19,99 a colocar R$20,00. O valor exposto dessa forma fica mais atrativo para o cliente, induzindo-o à compra.
  • Margem de contribuição: o estudo da margem e mostra o quanto de lucro o seu produto vai deixar quando ele é vendido, levando em conta toda a estrutura logística e mercadológica da sua empresa.

    Alguns varejistas têm dificuldade para conseguir traçar essas estratégias, pois não contam com dados confiáveis.

    Muitas vezes, o varejista é induzido pelo mercado a entrar numa guerra de preços, onde duas forças brigam para conquistar uma parte do mercado. Como resultado, há um desequilíbrio dentro do próprio negócio, que acaba sendo sacrificado e sempre abaixa cada vez mais os preços.

    Então, é sempre importante aplicar uma boa estratégia para que seu preço fique competitivo no mercado. Mas isso sem perder o valor do produto, conseguindo manter a margem necessária para o seu negócio dar certo.

    O post Como uma boa estratégia de pricing melhora o faturamento do seu e-commerce apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

    Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Como uma boa estratégia de pricing melhora o faturamento do seu e-commerce. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

    Nenhum comentário:

    Tecnologia do Blogger.