Ads Top

Como os sistemas de pagamento eletrônico melhoram a experiência

Como sabemos, nos últimos anos a área financeira tem sofrido grandes mudanças, principalmente em relação a Payments, ou seja, meios de pagamento.

A internet e os smartphones ou mobiles reduziram drasticamente a quantidade e popularidade das agências bancárias. A tendência de mercado é cada vez mais focar na experiência do usuário quando o assunto é dinheiro.

O mercado aproveita o crescimento do uso de smartphones no Brasil, assim como o aumento do acesso à internet. Segundo estudos da Ovum TMT Intelligence, a previsão é que em 2021, os pagamentos móveis movimentem em torno de 2,74 trilhões de dólares.

Pagamento Instantâneo

As carteiras digitais vêm ganhando força desde 2018, com o lançamento de tecnologias que permitem o pagamento via celular, como Apple Pay, Samsung Pay e Google Pay.

Essas tecnologias eliminam a chance de problemas de preenchimento de dados, que podem resultar em vazamento de informações. E não limitam seu uso somente a pagamentos pontuais, podendo ser usadas também em assinaturas.

Assim como os aplicativos que permitem pagamento remoto, como Uber, Ifood e outros grandes players que usaram essa tendência para se fortalecer no mercado.

Além disso, alguns acessórios permitem o pagamento independente do mobile, como relógios e pulseiras que tem a tecnologia para realizar transações financeiras.

Experiência do usuário

Percebe-se que a grande tendência do mercado em geral é focar na experiência do usuário, mas isso se fortalece principalmente no meio digital, onde as empresas não têm contato direto com o consumidor.

Os clientes têm mostrado voz ativa e poder de decisão quando o assunto são instituições financeiras, e valorizam as empresas e organizações que levam em conta suas sugestões e críticas.

Isso fortalece a chance das empresas personalizarem completamente a experiência de seu cliente quando usa seu serviço, assim como a oportunidade de gerar valor e fortalecer sua marca com o público.

PIX pelo Banco Central

O PIX é um sistema de transferências monetárias eletrônicas instantâneas, uma novidade na área de Payments brasileira. Na prática, a função do PIX é funcionar como um TED disponível 24h por dia com transferências que caem na hora para o destinatário.

Leia também: O impacto do PIX no e-commerce

O sistema é disponibilizado pelos bancos e estabelecimentos, e a transferência acontece através da Chave PIX, não sendo necessário informar agência ou número de conta.

Também é possível usar QR Codes para as transações, se tratando de um uso exclusivo a cada transação, e o mesmo pode ser personalizado para beneficiar diferentes tipos de empresas, como prestadores de serviço, varejistas, etc.

O PIX também disponibiliza a função de transição por meio de tecnologias de troca de informações através de aproximação, como a tecnologia near-field communication (NFC).

Para se cadastrar, é preciso passar por duas etapas, a Cadastral e a Homologatória. A primeira consiste em seus dados de cadastro, e a segunda em cumprimento de uma série de testes que você pode acessar nesse link.

O Banco Central garante que a rede usada pela ferramenta é segura, e alimenta a competição entre meios de pagamento, gerando serviços com maior qualidade e menor custo.

Crescimento de Fintechs na área de Payments

Segundo estudos do Distrito Fintech Report divulgados em 2020, as Fintechs de Meios de Pagamento representam 16,4 do mercado brasileiro, e em sua maioria estão concentradas no Sudeste, representando 70% do total.

Atualmente, seu público alvo consiste em modelos de negócio que atendem a outras empresas, representando 55,8% de atuantes no mercado B2B, e 28,4% no mercado B2C.

Entre elas, o estudo aponta algumas que estão tendo crescimento avançado, como Rebel, Olovia, Warren, Geru, Vindi, Pagar.me, Bcredi, BizCapital, idwall, Konduto, SmartMEI e Bom Pra Crédito.

Assim como as que compõem grande fatia do mercado e se estabeleceram como grandes players, como Nubank, Ebanxs, Stone, PagSeguro, Neon, C6 Bank, PicPay, Creditas e Weel.

O setor se mostra competitivo na área de meios de pagamento, o que aumenta a competitividade do mercado, e consequentemente o maior beneficiado será o consumidor final.

Portanto, podemos concluir que o mercado de payments ainda vai crescer exponencialmente durante os próximos anos, e a tendência das empresas é focar seus produtos e serviços, acima de tudo, na experiência do consumidor.

O post Como os sistemas de pagamento eletrônico melhoram a experiência apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Como os sistemas de pagamento eletrônico melhoram a experiência. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.