Ads Top

SEO: saiba usar o Google orgânico como estratégia para vender mais

Vender mais é, inquestionavelmente, um dos principais objetivos de todo lojista. Mas, como você bem sabe, tornar isso viável não é tão simples. Além do mercado ser bastante competitivo e a concorrência ampla, é fundamental atrair os consumidores e dar visibilidade à sua loja. Afinal, sem esses dois últimos elementos não será possível gerar mais vendas. Sendo assim, já que estamos falando especificamente do comércio eletrônico, nada melhor do que utilizar o Google orgânico como estratégia — a fim de aumentar o tráfego do seu e-commerce e, de quebra, vender mais. Por isso, neste artigo você poderá conferir a importância do SEO e entenderá como práticas simples podem possibilitar que o faturamento da sua loja cresça.

Bilhões de pessoas espalhadas pelo mundo utilizam os motores de busca, diariamente, para realizar pesquisas na web, com diversas finalidades distintas. Dentre todos os mecanismos de busca, o mais utilizado mundialmente é o Google, com mais de 92% da fatia. Como comportamento recorrente dos usuários, é comum que os sites mais acessados sejam àqueles que estão entre os primeiros no resultado de busca. Para você ter uma ideia, 30% dos cliques se concentram nos três primeiros links orgânicos, além disso, apenas, 0,78% das pessoas clicam em algum link da segunda página dos resultados. Esses dados são a prova viva de que a sua loja necessita estar entre as primeiras no Google.

Para conquistar um bom posicionamento nos motores de busca, há duas maneiras diferentes: investir em anúncios no Google AdWords ou em boas práticas do Google orgânico — isto é, que não necessita ser pago. As duas táticas são excelentes, mas para finalidades distintas. Se você precisa ter resposta rápida em relação ao aumento do tráfego na loja, a mídia paga será a melhor solução. No entanto, para obter resultados efetivos e duradouros, nada melhor do que optar pelo Google orgânico. Ademais, é importante ressaltar que os usuários dão mais credibilidade ao sites que não aparecem como anúncio nos resultados de uma busca.

O que é SEO?

Se você já ouviu falar em SEO, mas não sabe o significado do termo, é provável que esteja se questionando o que ele tem a ver com Google orgânico. Na verdade, os dois conceitos estão diretamente relacionados. SEO é a sigla para o termo em inglês Search Engine Optimization, que significa Otimização para Motores de Busca. Ele engloba uma série de técnicas, pautada naquilo que o Google considera como boas práticas, a fim de que os sites conquistem relevância e bons posicionamentos nos resultados de busca.

Todas as otimizações realizadas são orgânicas, portanto, não necessitam ser pagas. Consequentemente, o ROI — ou seja, o Retorno sobre o Investimento — acaba sendo maior comparado aos anúncios feitos no Google AdWords, simplesmente porque o acesso de um consumidor à sua loja não resultará em custos para você. Porém, é válido ressaltar que o SEO não traz resultados a curto prazo, e sim, a médio e longo prazo. Logo, dependendo da sua estratégia e objetivo, o ideal é conciliar a mídia paga com essas otimizações.

Dentre as técnicas de SEO, pode-se destacar: desenvolvimento de conteúdos com palavras-chave relevantes, de acordo com pesquisa prévia; otimização dos filtros e imagens; aprimoramentos na categorização da loja; uso de URLs amigáveis etc. Para isso, é necessário contar com profissionais devidamente especializados em SEO, que tenham a expertise necessária para garantir bons resultados.

A operação dos motores de busca e os critérios do Google

Antes de aplicar melhorias em sua loja virtual com o propósito de conquistar autoridade nos motores de busca e obter um posicionamento melhor nos resultados, é fundamental compreender como eles operam e o que o Google considera como boas práticas na hora do ranqueamento. Geralmente, os resultados de uma busca são a resposta de três etapas principais: crawling, indexação e ranqueamento.

No crawling, os robôs do mecanismo de busca rastreiam todos os conteúdos presentes na web. Em seguida, na indexação, as páginas que foram localizadas vão para o índice do buscador, onde são organizadas de acordo as palavras-chave, o seu tempo de carregamento etc. Depois, assim que um usuário faz uma pesquisa, ocorre o ranqueamento onde as páginas são ordenadas segundo a relevância concedida pelo motor de busca. As duas primeiras etapas acontecem a todo instante, apenas o ranqueamento ocorre no momento da pesquisa.

Tenha em mente que o principal objetivo do Google é oferecer uma experiência satisfatória e eficaz aos usuários, através dos seus resultados de pesquisa. Seguindo esse propósito, o seu algoritmo apresenta diversos critérios — que são atualizados com frequência —, responsáveis por determinar a autoridade e a relevância de uma determinada página na hora de exibir o resultado. O tempo de carregamento do site, se é mobile-friendly ou não e a presença de conteúdos com extensão apropriada e contendo palavras-chave suficientes — sem excesso — são exemplos de fatores que influenciam no ranqueamento de um e-commerce.

5 fatores que contribuem para conquistar um bom ranqueamento na busca orgânica

Se você já tem loja virtual há mais de três anos e entende que o seu faturamento pode crescer por meio do Google orgânico, se atente às dicas a seguir. Confira cinco práticas fundamentais para que o seu e-commerce fique entre os primeiros no resultado de busca. Entenda que ao realizá-las agora, você garantirá excelentes resultados lá na frente. O contrário do investimento em mídia paga que deixa de atrair usuários a partir do momento que a campanha é encerrada.

1 – Conte com boas descrições de produtos

A presença de bons conteúdos descrevendo os seus produtos, além de ser uma estratégia interessante para que os consumidores conheçam os seus diferenciais e não deixem de comprar o item por causa de eventuais dúvidas, também é um fator importante para os mecanismos de busca. Desenvolva conteúdos claros e relevantes para os usuários, dividido em tópicos e contendo palavras-chave — ou keywords — relacionadas ao produto ou categoria, ao seu segmento e àquilo que o seu público costuma pesquisar.

Entenda que palavra-chave é a maneira como as pessoas pesquisam nos buscadores. Ferramentas, como Google Search Console, Google Trends e Ubersuggest podem te auxiliar na pesquisa de keywords. Essa simples medida contribuirá tanto para o posicionamento da sua loja nos resultados de busca quanto para a experiência proporcionada aos consumidores.

2 – Se atente ao tempo de carregamento da sua loja virtual

O tempo de carregamento do seu e-commerce também é um elemento que merece bastante atenção. Primeiro, porque o algoritmo do Google tende a penalizar sites que demoram para carregar, colocando-os em posicionamentos ruins. E segundo, porque os usuários desistem de acessar uma loja se ela apresentar lentidão. Existem registros de que 53% dos visitantes que navegam um site em dispositivos móveis, o abandonam caso ele leve mais de 3 segundos para carregar.

Para que isso não aconteça com o seu e-commerce, existem algumas práticas importantes, como: contar com um layout responsivo — ou seja, que se adapte às telas dos dispositivos móveis; otimize as imagens para formatos compactados e que não percam a qualidade; faça o carregamento tardio das imagens — técnica conhecida como lazy load; e minifique os códigos HTML, CSS e Javascript. Por meio dessas dicas, você garantirá que a sua loja tenha um carregamento mais rápido.

3 – Nomeie as fotos de produtos e banners da forma correta

Nomear as fotos e banners do site, da maneira correta, é uma das técnicas utilizadas para otimizar imagens em práticas de SEO. Seu nome precisa conter a palavra-chave relacionada àquilo que está sendo retratado. Apesar do algoritmo do Google ter uma inteligência incrível para compreender textos, ele não possui essa mesma habilidade com as imagens. Por isso, é de suma importância nomear os arquivos corretamente antes mesmo de colocá-los na loja.

4 – Utilize Urls amigáveis

Primeiramente, é importante que você entenda que URL é a sigla para o termo em inglês Uniform Resource Locator, que significa Localizador Uniforme de Recursos. Na prática, ela se refere ao endereço de um site. Portanto, quando se fala em URLs amigáveis, é o mesmo que dizer que elas apresentam fácil compreensão e identificação, são pequenas e não possuem caracteres confusos. Além delas fazerem total diferença no ranqueamento da loja nos motores de busca, também são mais atrativas aos usuários.

5 – Invista em Link building

O Link Building engloba diversas táticas, cuja finalidade é obter links que apontam para a sua loja em sites parceiros. Sem dúvidas, uma excelente maneira de aumentar o tráfego orgânico do seu e-commerce, por meio de usuários que originam desses sites. Isso sem mencionar que o Google entenderá que a loja tem relevância e, consequentemente, irá posicioná-la bem nos resultados de busca. Mas existem alguns cuidados que você precisa tomar para que o seu e-commerce não seja penalizado ao invés de ser beneficiado. Tenha em mente que o site parceiro não pode ter origem duvidosa e precisa ter autoridade, qualidade e relação com o seu negócio.

Agora é com você! Por meio dessas práticas, a sua loja obterá faturamentos ainda maiores com o aumento do tráfego orgânico. Coloque-as em prática e se surpreenda os resultados!

O post SEO: saiba usar o Google orgânico como estratégia para vender mais apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre SEO: saiba usar o Google orgânico como estratégia para vender mais. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.