Ads Top

A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo

A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo

Você já parou pra pensar por que tantas empresas ficam obcecadas com a otimização de mecanismos de pesquisa? Bem, é simples… Se você criar uma estratégia de SEO bem pensada desde o primeiro dia, você vai praticamente receber tráfego grátis a partir desse ponto.

Hoje, eu vou te mostrar como configurar o “SEO On-Page” do seu site da maneira certa, de modo que sua estratégia geral de SEO opere com a máxima eficiência durante a vida útil do seu site.

O Que é SEO On-Page?

Em um primeiro momento, o termo “SEO On-Page” soa muito vago para a maioria das pessoas. Eu sei porque foi o que aconteceu comigo quando o ouvi pela primeira vez. No mundo da otimização de mecanismos de pesquisa, existem três atividades principais que podem ajudar seu site a obter mais tráfego e visibilidade nas páginas de resultados dos mecanismos de pesquisa:

  1. Atrair outros sites para linkarem para o seu (o que chamamos de “link building“);
  2. Criar conteúdo (como blog posts, páginas, vídeos e infográficos);
  3. Otimizar o código, o conteúdo, a estrutura, as meta tags e outros elementos “on-page” do seu site, para que sejam “amigáveis ​​aos mecanismos de pesquisa”.

Hoje vamos nos aprofundar no terceiro tópico.

Por Que o SEO On-Page é Importante?

Bom, existem vários motivos. Vamos aos porquês…

Ele aumenta a eficiência do SEO do seu site de forma geral.

Se você gastar toda a sua energia e orçamento fazendo link building, mas ignorar o SEO on-page, terá um retorno menor para a sua “reserva destinada ao SEO”.

Apesar do link building ajudar seu site a subir nos motores de busca, um SEO on-page bem feito pode te fazer converter mais nas páginas de resultados (por ter title tags e meta descriptions devidamente elaboradas) e até mesmo, te ajudar a ganhar essas brigas pela primeira página do Google.

Sem contar que, dessa forma, você também ajuda o seu link building a ser o mais bem-sucedido possível, concorda?

Você pode fazer uma só vez e nunca mais gastar dinheiro com isso.

Em tese, se você criar seu site e implementar os elementos corretos de SEO on-page (como H1, title tags e estrutura do site), você não vai precisar ficar otimizando ele continuamente. À medida que o site cresce, o SEO on-page cresce junto.

Ele irá garantir que seu tráfego seja mais direcionado e relevante.

Este é um benefício muito significativo. Se você tomar uma decisão consciente de prestar atenção em seu SEO on-page, consequentemente, obterá um tráfego mais direcionado e relevante. No entanto, quando você o ignora, acaba recebendo um tráfego de qualidade inferior.

É totalmente white hat (seguro).

Contanto que você não tente enviar spam de palavras-chave (falarei sobre isso mais tarde), a otimização on-page é de longe a forma mais segura de otimização de mecanismos de pesquisa – pois você não corre o risco de ser penalizado pelos motores de busca.

Imagine só, seu site pode ser banido do Google, Yahoo e Bing. A maioria dos sites que foram excluídos, estavam comprando links para tentar burlar o sistema. Se você deseja manter uma estratégia de SEO 100% segura, foque somente no SEO on-page e na criação de conteúdo.

Ele contribui para uma boa usabilidade.

Quando você é cuidadoso com o seu SEO on-page, seu site se torna lógico, tanto para visitantes humanos quanto para os mecanismos de pesquisa. Alguns dos principais fatores para um bom SEO on-page incluem cortar conteúdo duplicado, simplificar as páginas e fazer uma arquitetura de site intuitiva.

Uma boa usabilidade é um ótimo caminho para que as pessoas gostem do seu site, o que, por sua vez, pode trazer backlinks e menções sociais.

Dito isso, vamos à receita…

1. Defina a Palavra-Chave Pela Qual Você Deseja Ser Conhecido

Note que eu não disse “rankeado”.

O SEO é uma estratégia de longo prazo. Portanto, esqueça a a ideia de que você vai rankear da noite para o dia. Em vez disso, foque em sua estratégia de marketing e prepare-se para pesquisar os fundamentos…

Nós precisaremos mergulhar fundo no propósito da sua empresa. Normalmente, as pessoas têm uma ideia da palavra-chave “forte” para a qual desejam rankear, achando que, se conseguirem ficar em primeiro lugar no Google para esse termo, isso irá trazer muito tráfego. Porém, muitas vezes, essa palavra-chave não corresponde ao core business da empresa.

Minha sugestão aqui é, rever a sua proposta única de valor (PUV). Existem palavras-chave em sua PUV que você pode tentar segmentar? Faz sentido usar essas palavras?

Considere o seguinte: se a sua PUV está bem definida e uma pessoa comum consegue entender o que você faz em um segundo, a otimização para essa palavra-chave provavelmente é uma ideia muito boa. 🙂

Além disso, se o termo não for muito popular, fica ainda mais fácil de rankear.

Eu gosto da title tag da página inicial do SEOmoz (que é o principal termo para que eles sejam “conhecidos”):

SEOmoz Title TagEles fazem software de SEO (a PUV deles). Como esse não é um mercado tão grande, acaba sendo muito mais fácil rankear para o termo “software de SEO” em vez de “SEO”.

É claro que você vai querer receber mais tráfego orgânico de mais palavras-chave, mas falaremos disso mais tarde. No entanto, é realmente importante para a sua estratégia geral de SEO, restringir seu foco a um termo central que descreva o que sua empresa faz e usar isso como ponto de partida.

O termo principal é o que você usará na title tag da sua página inicial e na tag H1. Lembre-se de jamais acrescentar mais palavras-chave em qualquer um desses elementos. Há uma razão muito importante para isso…

2. Canibalização de Palavras-Chave e Arquitetura do Site

Aqui, você provavelmente vai precisar de um pedaço de papel ou uma planilha.

Você deve organizar suas páginas por assunto e categorias. Se seu site for pequeno, não precisa se preocupar tanto com as categorias. Na verdade, ter uma arquitetura plana é melhor do que tentar criar categorias para um site com menos de 50 páginas.

Cada página do seu site, deve ter como foco uma palavra-chave específica para a qual você deseja obter tráfego. A maneira mais fácil de explicar isso é:

  • A palavra-chave da sua página inicial deve refletir sua PUV.
  • Todas as outras páginas de produtos ou serviços devem usar palavras-chave que descrevam o assunto do qual elas tratam.
  • Considere usar os nomes dos fundadores como palavras-chave na sua página “sobre”.

Liste todas as páginas possíveis em seu site e veja se a palavra-chave que você deseja segmentar corresponde ao assunto da página.

keyword to webpage match up

Este é um exemplo, com um site hipotético, de como você deve atribuir palavras-chave para cada URL.

Se perceber que está repetindo as mesmas palavras-chave em várias páginas, cuidado… Você pode estar entrando no mundo sombrio da canibalização de palavras-chave. Isso ocorre quando você otimiza várias páginas para a mesma palavra-chave. O problema é que isso soa confuso para os motores de busca e, você acaba forçando-os a escolher qual página é mais importante para aquela palavra-chave específica. Isso enfraquece sua capacidade de receber tráfego para essa palavra-chave.

E por esse motivo, é essencial observar de perto a arquitetura do seu site.

A seguir, vamos ver como otimizar cada uma dessas páginas…

3. Title Tags e Tags H1

O elemento mais importante de qualquer página em termos de SEO é a title tag. Você pode encontrá-la pressionando Ctrl + U (CMD + Option + U / CMD + U no Mac) em seu navegador e procurando por <title> no código:

SEOmoz title tag

A primeira palavra da sua title tag deve ser a palavra-chave que você escolheu para essa página específica. Em seguida, você pode adicionar o nome da sua marca.

Basicamente, você está ajustando a arquitetura do seu site da forma correta.

Se fizer sentido, repita essa palavra-chave na tag H1 no corpo da página. Isso dá um toque a mais de SEO nessa palavra-chave para a qual você está tentando rankear. Lembre-se de usar apenas uma tag H1 por página.

Como resultado, cada URL terá uma palavra-chave atribuída a ela, e a mesma, será usada na title tag e na tag H1. Em nenhum lugar do seu site você deve repetir a mesma palavra-chave em outra title tag ou tag H1.

overall matchup

Aqui estão algumas regras simples que você deve seguir para obter o máximo de sua tag H1:

  • Use apenas uma tag H1 por página.
  • Tente colocar a palavra-chave principal da página na tag H1.
  • Use o texto da tag H1 exclusivamente para cada página (não repita o mesmo texto em outras páginas).

4. Linkagem Interna

Sabia que você pode usar o poder do mecanismo de pesquisa do seu próprio site para impulsionar suas outras páginas? Para isso, basta simplesmente linkar para outras páginas a partir do seu conteúdo.

Por exemplo, se você mencionar um serviço gratuito em uma de suas páginas de serviço, pode inserir um link para a página apropriada. A Wikipédia funciona assim:

Wikipedia internal linking example

Isso parece super óbvio, né? No entanto, muita gente ignora essa tática de SEO. Aposto que, se você navegar pelo seu próprio site agora mesmo, vai encontrar diversos locais onde os links podem ser inseridos.

É fundamental mostrar aos motores de busca as palavras-chave que são vitais para o seu negócio, na forma de texto âncora (essa é a base do “link building”). Portanto, não deixe de configurar seus links internos.

Mas calma, não se iluda achando que você vai “ganhar mais pontos” criando um monte de links internos para tentar aumentar o poder de SEO das suas páginas. Os mecanismos de busca estão de olho no “spam”, e isso pode prejudicar seus esforços. A conclusão que chegamos é: se faz sentido criar um link, então o faça.

5. Meta Descriptions

SEOmoz Meta Description Tag

As meta descriptions não vão te ajudar a rankear nas SERPs. No entanto, elas são INCRIVELMENTE importantes em termos de marketing para mecanismos de busca.

Meta description é o texto que os buscadores usam para descrever seu link ao exibir os resultados. Portanto, o que você escreve lá não deve ser negligenciado. O texto será lido pelas pessoas que estão fazendo pesquisas – por isso, é hora de vestir seu chapéu de copywriter.

Meta Description in SERP

Se você parar para pensar, vai perceber que as pessoas nem sempre escolhem o primeiro resultado da busca no Google. Na verdade, elas os leem e escolhem aquele que mais corresponde às suas intenções de busca.

Portanto, a forma como você apresenta sua meta description é muito importante para a sua taxa de cliques. Minha sugestão é: seja breve, inclua uma CTA, insira sua palavra-chave na descrição e dê um motivo convincente para o usuário clicar em seu link (tente corresponder às suas intenções, sempre que possível).

Não duplique suas meta descriptions. Se você acidentalmente fizer isso, o Google irá considerar como um erro no Search Console.

Quer descobrir se tem meta descriptions duplicadas? Você pode verificar isso facilmente, abrindo o Ubersuggest, colando sua URL e clicando em “buscar”.

Encontre a opção “Auditoria do Site”, na barra lateral esquerda, e clique nela. Você verá o seguinte:

Bom, aqui você pode ver que o site tem uma “ótima” pontuação de SEO on-page. Mas não pare por aí. Role para baixo até ver “Principais Problemas de SEO”.

Se houver alguma meta description duplicada, você a encontrará aqui. Além disso, você também pode ver as páginas que estão sem meta description, o que pode ser igualmente prejudicial para a sua taxa de cliques.

6. Meta Keywords

Meta Keyword Tag

Bom, essa tag de “palavra-chave” não é mais tão importante desde o final dos anos 1990, portanto, não se preocupe em usá-la. Mas, caso você queira, basta adicionar uma palavra-chave. O Google não olha para isso.*

Um grande motivo pelo qual sou contra elas, é que as pessoas que as usam tendem a SEMPRE fazer excesso de palavra-chave em sua meta keyword.

Meta Keyword Spam

Esse é um exemplo de excesso de palavras-chave. Não faça isso.

O que isso mostra, é que você está fazendo spam nos mecanismos de busca. Mas não se esqueça que o Google faz revisões humanas de tempos em tempos, então, não pense que pessoas reais não estão olhando.

* Aparentemente, o Google está passando a recomendar novos sites que incluam uma meta keyword – o que deixa o mundo do SEO perplexo…

7. Tags H2

H2 Heading

As heading tags H2 também têm sua importância no SEO on-page. Embora não sejam tão poderosas quanto as H1, elas também devem ser usadas.

Eu percebo que muitos sites ignoram totalmente as tags H2 e vão direto para as H3. Não faça isso. Use-as como devem ser usadas ​​– em uma divisão lógica para cabeçalhos de página. Lembre-se de que você pode estilizar as tags H2 da maneira que quiser em suas folhas de estilo, portanto, não há necessidade de pular H2s se o estilo for uma preocupação.

A principal diferença entre as tags H1 e H2, em termos de SEO, é que você pode usá-las mais de uma vez. Eu, particularmente, não me preocupo muito em colocar palavras-chave em H2, apenas uso o texto que vem naturalmente e faz sentido para esses subtítulos. A questão é que os mecanismos de busca, terão uma ideia melhor do que a página trata se você se limitar a uma linguagem relevante para os títulos H2.

8. Verifique se há Conteúdo Duplicado

Se o seu site costuma criar URLs diferentes com o mesmo conteúdo, então você tem um problema em mãos.

Veja bem, muita gente usa sistemas de gerenciamento de conteúdo (como WordPress, Drupal e Joomla) para tornar a manutenção e a expansão de seus sites mais fácil. Só que, muitas vezes, esses sistemas acabam criando conteúdo duplicado. Pode ser difícil detectar, mas existem algumas maneiras de farejar isso:

  • Use http://www.xml-sitemaps.com/ e crie um arquivo de sitemap. O sitemap que eles geram para você, pode mostrar todos os tipos de URLs que você nem sabia que existiam. Verifique-as para ter certeza de que não há conteúdo duplicado nelas.
  • O Google Search Console vai te informar sobre o conteúdo duplicado – geralmente por meio de alertas para title tag e meta description duplicadas.

Michael Gray tem um ótimo vídeo que mostra como se prevenir do conteúdo duplicado que o WordPress costuma criar por padrão:

A maneira mais fácil de resolver problemas de conteúdo duplicado é usando uma canonical tag.

canonical meta tag

Basta colocar essa tag no cabeçalho de qualquer página que esteja criando conteúdo duplicado. Na canonical tag, cole a URL da página original – que deve ser a única que será “exposta”. Isso fará com que os buscadores ignorem as páginas com conteúdo duplicado.

Você também pode:

  • Remover fisicamente o conteúdo duplicado do seu site (se possível).
    • Colocar uma meta tag “no index” no cabeçalho do conteúdo duplicado.
    • Bloquear o conteúdo duplicado no arquivo robots.txt do seu site.

9. Problemas de Redirecionamento na Página Inicial

Um dos erros mais clássicos de conteúdo duplicado é quando você duplica o conteúdo da sua página inicial.

“Mas por que raios alguém faria isso? É ridículo!”

É, você pode até pensar assim, mas há uma chance de você mesmo estar fazendo isso sem perceber. Veja como verificar:

Digite o nome do seu domínio na barra de URL, mas digite: http://www.yourdomainname.com

Em seguida, digite: http://yourdomainname.com.

Algum deles voltou para o outro nome de domínio? Se nenhum dos dois for “redirecionado”, você está cometendo o grande pecado do conteúdo duplicado. Basicamente, você tem dois domínios com o mesmo conteúdo da página inicial.

E ainda pode haver um terceiro (ou, se preferir, um link triplicado): http://yourdomainname.com/index.php

E um quarto! http://www.yourdomainname.com/index.php

(Obviamente, se o seu site não estiver rodando em php, a extensão do arquivo de índice dependerá da tecnologia que você está usando: .html, .php, .asp, .cfm).

O que você precisa fazer, é usar o Redirect 301 para apontar todas essas variações possíveis para a URL da página inicial que você deseja.

Existe uma maneira fácil de corrigir isso no Search Console. Abra as configurações e, na seção “domínio preferido”, você pode informar ao Google se prefere que seu site seja mostrado com o “www” ou sem ele.

preferred domain

Mesmo que você defina o domínio de sua preferência no Google Search Console, talvez queira corrigir esse problema de qualquer maneira. Aqui, se faz necessário um bom trabalho de webmaster e seu problema está resolvido.

Em seguida, você precisa decidir qual variação da URL da sua página inicial deseja promover. A maioria das pessoas escolhe a versão sem o “www”, por ser mais curta, menos redundante e mais apresentável.

É importante escolher um, porque à medida que você promover seu nome de domínio (seja em sua assinatura de email, links de guest post, diretórios, etc.), as pessoas começarão a linkar para aquele que você promove mais. Como os redirecionamentos 301 preservam 90% do seu link juice, o ideal, é que as pessoas apontem para a URL correta que NÃO redireciona para manter esses outros 10%.

10. Palavras-Chave em Negrito

Colocar sua palavra-chave em negrito nas páginas não faz tanta diferença no SEO. Não há muito o que falar sobre essa dica. Apenas lembre-se de:

  • Colocar a palavra-chave em negrito apenas uma vez (e não sempre que ela aparecer na página)
  • Focar somente em uma palavra-chave. Não faça isso em várias palavras.

11. O Atributo Nofollow

nofollow attribute

Nofollow é um atributo que você pode colocar em seu link âncora que diz ao Google para não seguir para a página cujo link está apontando. Lembre-se, sempre que você linkar para outra página, esse link de referência está dando à URL do destinatário um pequeno impulso de SEO – isso é o que nós, profissionais do SEO, chamamos de “link juice”.

Sim, em alguns casos, você pode NÃO querer fornecer a URL de um destinatário, por motivos como:

  • Às vezes, usar muito o link juice, pode diluir o poder efetivo da página de referência.
  • Direcionar links para sites ou páginas com spam, pode prejudicar a credibilidade do seu próprio site.

Sendo assim, você pode pensar no atributo nofollow como um plug de “link juice”.

Anos atrás, os profissionais de SEO eram super obcecados em aprender o poder do atributo nofollow. Já vi, inclusive, pessoas criarem planilhas para calcular o poder do link juice.

A intenção original desse atributo, era evitar spam nos comentários. Mas não demorou muito para que os profissionais de SEO, percebessem que poderiam usar tags nofollow para “configurar” onde o link juice poderia fluir pelo site.

Eu não aconselho toda essa obsessão com nofollows. Basta olhar o exemplo da Wikipédia. Ninguém lá fica tentando usar nofollows para melhorar o SEO do site, contudo, ele ocupa o primeiro lugar para mais termos do que qualquer outro site no planeta.

Normalmente, faz sentido você incluir nofollow em sua política de privacidade e nas páginas jurídicas. Fora isso, se você não quiser que o Google veja suas páginas, basta colocá-las no arquivo robots.txt.

O único lugar em que eu realmente recomendo usar o atributo nofollow, é em suas seções de comentários. Você não vai querer que encham seu site de spam com links para cassinos online e outras partes decadentes da internet.

12. Alt Tags de Imagem

an alt tag

Tudo o que essa tag faz, é dizer aos buscadores do que se tratam as imagens (já que eles não têm olhos). Isso não somente os ajuda a entender sobre o que é a sua página, como também os informa que você pode ter um conteúdo melhor e mais rico do que apenas uma página em texto simples.

Essa tag pode ser muito poderosa para fins de SEO, dependendo do mercado em que você atua. Se você possui um ecommerce, deve prestar muita atenção nessa tag.

Basta inserir em suas alt tags o texto que descreve o que é a imagem. Tente evitar a duplicação de conteúdo. Se você tem um ecommerce, descreva a imagem e também adicione números de modelo.

13. Redirecionamento 301

Os redirecionamentos 301 são muito úteis para se ter em seu arsenal de SEO. Na verdade, é fundamental que você os conheça. Eles permitem que você diga aos mecanismos de pesquisa, para onde o conteúdo antigo foi movido.

A razão pela qual isso é tão sério, é porque em algum momento você pode fazer uma reformulação do site e sua estrutura de links pode mudar. Portanto, todo o seu conteúdo “antigo” estará localizado em outro lugar. Os redirecionamentos 301 permitem que você informe facilmente aos buscadores, como o Google, onde o conteúdo pode ser encontrado.

Caso contrário, o Google encontrará suas páginas “404 Not Found”!

Há um segundo motivo para usar redirecionamentos 301. Com o tempo, outros sites serão gradualmente linkados ao seu conteúdo. Se você mover seu conteúdo e não configurar redirecionamentos 301, quando as pessoas clicarem nesses links, elas também encontrarão páginas de erro 404.

E isso me leva à minha super dica final de SEO on-page…

Não Deixe que Joguem Fora o seu Conteúdo Antigo

Eu sei que pode parecer total amadorismo, mas pasme: em organizações maiores, isso acontece o tempo todo. Alguém decide que é hora de fazer um update no site, reformulando-o com um novo visual e conteúdo atualizado.

As intenções são boas e eu certamente recomendo fazer updates e reformulações de sites – mas por favor, não jogue fora esse conteúdo fiel que tem te trazido bons resultados ano após ano!

Pense no seguinte: uma das melhores coisas sobre criar conteúdo (especialmente conteúdo textual) é que, uma vez criado e colocado em seu site, ele é essencialmente uma peça de marketing, que pode:

  • Ajudar a marca
  • Gerar leads
  • Aumentar o número de assinantes
  • Vender produtos

PARA SEMPRE!

Você paga uma vez (o custo da criação de conteúdo) – e nunca mais terá que “gastar” dinheiro com isso novamente. A menos que seja Pay-Per-Click, em que cada clique representa uma determinada quantia de dinheiro.

Suas páginas têm um ROI teórico infinito ao longo do tempo. E desde que o Google se tornou o principal mecanismo de busca, isso é verdade até hoje. (Claro, se você fechar uma loja ou for penalizado pelos buscadores, esse ROI desaparecerá).

Portanto, crie um sistema para garantir que ninguém vai jogar o seu conteúdo no lixo. Pense que um dia, uma nova equipe de web designers pode ser chamada, criar um novo site e destruir o antigo – agora imagine você descobrindo que todo o seu conteúdo antigo (e tráfego) se foi. Todo esse trabalho indo pelo ralo. 🙁

Existem centenas de ferramentas de SEO que podem te ajudar na auditoria do seu site. Essas ferramentas, irão verificar seu site com base em um checklist, e fornecerão recomendações sobre o que deve ser corrigido. Você pode até desenvolver seu próprio auditor de site automatizado, com APIs como DataForSEO, SEMrush e Raven.

Um update ou reformulação de site, é um momento crítico para você saber como usar os redirecionamentos 301. Certifique-se de que todo o conteúdo antigo seja redirecionado corretamente para os novos locais. Felizmente, você pode manter a estrutura da URL original no lugar e preservar o conteúdo antigo, simplesmente aplicando o novo design ao modelo do seu site.

Conclusão

No mundo ideal, o SEO on-page deve ser configurado no momento em que você está projetando seu site. No entanto, geralmente, é muito mais fácil de implementá-lo ao longo da criação do site.

Então, vá em frente e faça uma auditoria do seu SEO on-page. Isso pode te ajudar a encontrar as opções mais fáceis e que te trarão os melhores resultados!

Tem dúvidas? Sugestões? Observações? Sinta-se à vontade para deixar um comentário abaixo…

Sobre o autor: Sean Work é o ex-diretor de marketing da KISSmetrics. Você pode segui-lo no twitter @seanvwork.

The post A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo appeared first on Neil Patel.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre A Receita do SEO On-Page para um Inbound Marketing Altamente Efetivo. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.