Ads Top

Mapa mental: o que é, como usar e 6 ferramentas para criar o seu

Você já ouviu sobre o conceito de mapa mental? Ele é muito popular entre estudantes pré-vestibular e concurseiros, sabe por quê?

Mapas mentais são modelos de ferramentas utilizadas para decorar um conteúdo.  Eles otimizam a memorização das pessoas, com o uso de figuras, representação visuais, simplificação de ideias e organização de conteúdo.

A utilização dos mapas mentais pode trazer muitos benefícios para sua rotina. Por isso, hoje vamos explicar como surgiu, qual o conceito e como você pode usufruir desses benefícios.

Qual o conceito de mapa mental?

Mapa mental é um dispositivo da gestão da informação, que serve para simplificar, selecionar e reduzir ao relevante uma ideia. Facilitando assim, a organização, análise e a interpretação de dados. Como consequência, aumentando a aprendizagem.

Sabe aquele resumo de conteúdo que você fazia no tempo da escola ou da faculdade, cheio de frases grifadas a marca texto?

Então, essa é a representação de um mapa mental. Basicamente, é uma folha de resumo, que te dá uma visão geral sobre um tema. Essa folha usará de recursos visuais, como cores, setas e formas de destaque para facilitar a memorização.

Os mapas mentais se tornam materiais de fácil acessibilidade. Eles podem ser produzidos a mão, ou também via programas específicos e aplicativos. A seguir uma imagem ilustrativa de um mapa mental:

Saiba mais:  Dicas de livros sobre o tema mapa mental

A origem do mapa mental

O mapa da mente ou mapa mental, como é mais popularmente conhecido, surgiu no estudo da psicologia. Idealizado pelo psicólogo Tony Buzan, que direcionou os estudos para a gestão da informação.

O Objetivo de Tony era ajudar as pessoas a potencializar o uso do órgão mais poderoso do nosso sistema, o cérebro. E, com isso, transformar nossa memória em um HD para salvar informações.

Logo, o mapa mental tem sua criação embasada no estudo científico. Já foi testado e aprovados e milhares de pessoas utilizam-se dessa facilidade.

O estudo de Tony constatou que os registros lineares de informações, não eram muito eficazes no aprendizado. Com isso, ele selecionou algumas palavras-chaves de conteúdos importantes.

Essas palavras chaves se tornaram o centro da informação, que depois ganhou ramificações com anotações complementares. Finalmente essas anotações ganharam cores que classificavam os conteúdos.

E assim surgiu o primeiro mapa mental.

Como criar o seu mapa mental?

Se você é uma pessoa criativa, com habilidades manuais, poderá criar seu mapa manualmente. Para isso você precisa separar materiais como: folha em branco, lápis, canetas, canetinhas, lápis de cor, régua e borracha.

Se essa não for a sua praia e você acha que não conseguirá organizar informações de maneira eficiente. Tudo bem! Adiante indicaremos aplicativos ou softwares que irão ajudar a fazer o seu mapa mental, de acordo com suas necessidades.

Com os meios de produção explicados, vamos aos elementos que devem contém um mapa mental:

1. Título

Bem ao centro da folha você deve desenhar uma forma de sua preferência (elipse ou retângulo, por exemplo). Dentro dessa forma você colocará o seu título, ou seja, a ideia principal do seu mapa.

A ideia principal deverá explicar a razão de ser daquele desenho. E dessa primeira informação que irão ramificar todas as demais.

Para escrever seu título, concentre-se em questões como: Qual o objetivo desse estudo? O que devo aprender ou memorizar?

2. Primeira classe de ramificações

Da imagem central, você deverá desenhar setas ou linhas que puxarão as primeiras ramificações do tema. Mas atenção!

Antes de começar a desenhar, utilize um rascunho que levante os principais pontos relevantes relacionados ao título. Leia com atenção o que anotou e então filtre o que considera os mais importantes.

Além disso, antes de passar suas principais ramificações ao desenho, você precisa analisar outros elementos:

Cores: cada cor utilizada deve representar ou comunicar algo em seu desenho. Você pode até rascunhar uma legenda com as cores, para não se perder durante o processo de construção do seu mapa.

Formatos: assim como as cores, os formatos também deve estar associais a uma ideia do seu estudo. Exemplo, se meu estudo principal for números, os pares podem ser representados por um quadrado e os ímpares por um círculo.

Setas: ao desenhar as setas ou linhas que serão responsáveis por conectar os temas, vale a penas utilizar diferentes tipos. Variedade nos desenhos pode ajudar no processo de memorização.

A ideia de utilizar diferentes formatos e cores, é justamente para auxiliar na memorização. Para quando pensar mentalmente no desenho que fez, você consiga lembrar do conteúdo anotado naquela determinada cor ou forma.

3. Próximas classes de ramificações

Como no passo anterior, continue desenhando linhas originarias da primeira ramificação. Assim você vai organizando mais conteúdo de forma a hierarquizar as informações.

A quantidade de níveis ou de ramificações fica a sua escolha, você pode desenhar quantas achar necessário. O importante é lembrar que ao criar mapas mentais, você está sintetizando um conteúdo em busca da sua memorização.

Mapa mental: Ferramentas de criação

Se a ideia de desenhar manualmente um mapa mental mais te assustou do que causou empolgação, não fique nervoso.  Vamos indicar aqui uma lista de ferramentas que irão fazer o “trabalho sujo” para você.

 1. Canva: o Canva sempre aparece por aqui, pois ele é uma ferramenta bem completa. No quesito mapa mental, ele arrasa e dá um ar bem profissional ao seu. E o melhor, totalmente free.

2. Coggle: o site é bem intuitivo, apesar de não estar todo em português, você pode usar essa ferramenta com facilidade.

3. Lucidchart: o “Luci” como o chamamos carinhosamente aqui na empresa, é muito fácil de ser usado. Utilizamos essa ferramenta há um bom tempo. Uma facilidade dela é que mais pessoas podem acessar seu mapa e editálo. Ideal para trabalhos em equipe.

4. MindMup: essa é outra opção que já testamos, existe uma versão grátis com um design bem alegre.

5. Endeavor e o mapa mental para empreendedores: essa é uma iniciativa nacional. Você pode fazer o download da ferramenta em seu computador, sem pagar nada!

6. Word: sim e por que não? O Word não é uma ferramenta específica para criação de mapas mentais. Porém, é uma ferramenta muito conhecida e que normalmente já estamos familiarizados. Então a dica aqui é: se você não tem o dom para o desenho e achou as demais opções complicadas, poderá optar por uma ferramenta já do seu domínio.

Onde usar mapas mentais?

Você pode criar seus mapas para usá-los de diversas formas, não apenas nos seus estudos teóricos. No mundo corporativo um mapa mental pode ser aplicado em:

  1. Organizar rotina:  você pode hierarquizar as prioridades da sua rotina em um mapa mental. Associando atividades que se relacionam ou que impactam uma a outra. Com isso fica muito mais fácil recordar diariamente o que precisa ser feito.
  2. Identificar oportunidades: mapear o mercado que deseja explorar, levantar e pontos de estudo em busca de oportunidades.
  3. Planejar vendas: hierarquizar ações de vendas, desenhar ações específicas por pontos de vendas, organizar metas por ação levantada.
  4. Planejar seu RH: hierarquizar valores e habilidades desejadas em seu pessoal, organizar o processo de recrutamento e seleção. Definir o passo a passo no processo de contratação e formalização de um colaborador.
  5. Planejamento estratégico: esse provavelmente será um mapa bem longo. Porém as cores e formas ajudarão as equipes envolvidas a se localizarem dentro do mapa. Você pode utilizá-lo para definir persona, organizar ações, hierarquizar áreas. Fazer mapa estratégico, pode ser uma ótima prévia para elaborar seu plano de negócio.

Todas essas dicas são para que saiba por onde começar ao criar um mapa que seja ideal para você. Então, agora é só levantar quais são os seus objetivos, desenhar um mapa para organizar suas ideias e, principalmente, ajudar seu cérebro a absorver tudo.

Claro que nosso foco aqui foi mostrar a utilidade dos mapas mentais no universo corporativo. Mas eles podem ser criados também em outras esferas de sua vida, como organizar sua próxima festa de aniversário, por exemplo. Quem aqui já faz uso dessa ferramenta milagrosa? Deixa um “EU” aqui nos comentários.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Mapa mental: o que é, como usar e 6 ferramentas para criar o seu. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.