Ads Top

Franquias: como incluir as lojas na jornada digital

Segundo dados divulgados pela ABF (Associação Brasileira de Franchising), o setor de franquias já apresenta sinais de recuperação, aproximando-se dos resultados alcançados no período pré-Covid-19.

E, assim como ocorreu em outros segmentos econômicos, esta área também foi impactada pela aceleração da transformação digital.

Ou seja, muitas mudanças que deveriam acontecer no setor nos próximos anos ocorreram nos últimos três meses.

Diante dessa nova realidade, é importante refletir sobre as inovações que devem fazer parte do dia a dia do segmento.

Separei algumas questões que podem ajudar a acelerar o crescimento do setor neste momento. Confira!

A importância do e-commerce para o setor de franquias

A partir da retomada das atividades, a inclusão das lojas franqueadas na jornada digital é um dos caminhos que podem ajudar a elevar o faturamento do setor.

É importante lembrar que as novas soluções tecnológicas — como os aplicativos de venda via WhatsApp e outros serviços de mensagem — têm facilitado bastante a adoção de novos modelos de atuação para as lojas.

A proposta, neste caso, é que as franqueadas possam organizar melhor a gestão da venda multicanal, conseguindo participar também das vendas no ambiente digital.

Novos modelos de atuação para as lojas

Mais do que ter novas oportunidades de interação com o público, o que pesa a favor desse modelo é a possibilidade de incluir os vendedores da loja física na jornada digital.

Assim, eles podem usar a experiência que têm com os produtos, bem como o networking que detêm, para fazer um trabalho mais ativo. A questão principal é: por que esperar o cliente vir até a loja se é possível abordá-lo via outros canais?

O desenvolvimento dessa estratégia, contudo, exige capacitação da equipe. Para o vendedor atuar como um agente de marketing, ele deve ser preparado.

A primeira mudança importante neste sentido é entender que a força de vendas pode ter uma nova função, não baseada simplesmente na venda, e sim no relacionamento estabelecido com o consumidor.

Relação ganha-ganha para franqueadores e franqueados

Para a franqueadora, a vantagem não se traduz apenas em mais faturamento. Ela consegue ter um controle efetivo das negociações, pois todos os processos ficam devidamente registrados, independentemente do canal de interação.

Considerando a realidade das lojas que atuam no modelo de franquias, esta é uma saída para contornar dificuldades como o alto custo para atrair clientes (CAC) e a concentração do fluxo de clientes em alguns horários, o que acaba resultando em momentos de ociosidade do vendedor.

Ao adotar o comércio eletrônico, em especial a venda via WhatsApp, a loja consegue fazer com que o seu time de vendas disponibilize ofertas via esses apps, e tem como gerenciar essas abordagens e o fluxo de comunicação.

Operacionalmente, destaca-se outro benefício importante: o aumento da satisfação do cliente. Isso porque ele pode contar com a assistência do vendedor, o que facilita o processo de compra.

Sob o ponto de vista das franqueadoras, além das melhoras no processo de gestão, é possível ter uma atuação mais ativa para estimular os resultados.

Isso acontece porque o emprego das soluções digitais permite, por exemplo, o envio de mensagens informativas, de incentivo ou de comunicação de campanha.

Quem atua no segmento de franquias sabe como é relevante este apoio por parte das marcas. Afinal, quem investe num negócio desse tipo está interessado, justamente, o know-how da empresa naquele setor, no conhecimento adquirido pela marca.

Neste caso, então, o franqueado é incluído na estratégia digital da marca e o “chão da loja” torna-se mais engajado, uma vez que participa ativamente da venda.

Hora de retomar o crescimento do setor

Num momento de retomada das vendas do setor, essas possibilidades devem ser vistas não apenas como uma oportunidade para aumentar o faturamento.

Devido à aceleração que houve na adesão do público ao comércio eletrônico, investir nesta área tornou-se prioridade até para a sobrevivência das operações.

Durante o período de isolamento social o consumidor brasileiro experimentou a venda online e dificilmente abrirá mão da conveniência de poder comprar no canal de sua preferência.

Iniciativas desse tipo são importantes neste período de retomada das atividades, principalmente se considerarmos a força da área de franquias.

De acordo com os dados da ABF, o faturamento anual do setor é superior a R$ 186 bilhões, considerando as mais de 160 mil unidades espalhadas pelo país, de cerca de 2,8 mil marcas.

Para se ter ideia, o franchising responde hoje no Brasil por aproximadamente 2,7% do PIB e emprega diretamente mais de 1,3 milhão de trabalhadores.

O post Franquias: como incluir as lojas na jornada digital apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Franquias: como incluir as lojas na jornada digital. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.