Ads Top

Como escrever melhor em 3 simples passos

Você é obcecado por descobrir como escrever melhor?

Existem 3 enormes pedras no sapato dos escritores, redatores, copywriters e empreendedores que escrevem para seu próprio negócio.

1. O medo da página em branco e o bloqueio criativo.

2. A falta de ideias para preencher os espaços em branco com conteúdo relevante e eliminar as distrações.

3. Falta de criatividade para terminar o texto com chave de ouro e leitores satisfeitos.

Se você quer eliminar esses 3 obstáculos do seu caminho e descobrir como escrever melhor, seja para gerar engajamento, ou mais vendas, esse artigo foi escrito especialmente para você.

1. Como escrever melhor sem o temido bloqueio criativo

Imagine tentar construir um prédio sem fazer um projeto antes?

Sem saber como deve ser o resultado final, sem pesquisar referências de outras construções e sem um projeto para definir quantos andares, como será a distribuição dos ambientes, os acabamentos que serão utilizados e por aí vai.

Não sou engenheiro, mas acredito que não seria uma tarefa sequer possível sem esses passos iniciais.

No mínimo, teríamos uma obra que desafia as leis da gravidade ou do bom gosto.

Meu ponto é: ninguém começa a construir nada sem pesquisa ou planejamento, então por que na hora de escrever um texto, uma atividade criativa, seria diferente?

O processo criativo da escrita começa muito antes do papel em branco.

Ou melhor, ele não começa com o papel em branco.

Se você quer saber como escrever melhor, e mais rápido, primeiro deve responder à seguinte pergunta:

“Qual o objetivo que você quer que o leitor alcance após terminar a leitura?”

Para esse artigo, eu defini que o objetivo é que você chegue na última palavra sabendo como escrever melhor.

A mesma promessa que fiz no título.

O “porquê” deve ser a razão por trás da ideia central, que é a tese que seu texto defende.

Ainda usando como exemplo este próprio artigo, a minha ideia central é “o processo da escrita se torna doloroso por causa de 3 problemas principais e para aprender como escrever melhor basta eliminá-los.”

Com base nessa definição, vou fazer uma pesquisa inicial em fontes de inspiração, procurar histórias e dados e no meu próprio banco de ideias para ver se encontro algo que dê suporte à essa big idea.

Logo em seguida, eu começo a resolver a segunda pedra no meu caminho: o conteúdo.

2. Como preencher os espaços em branco com conteúdo relevante

Depois da ideia e do planejamento, chega a hora de colocar a mão na massa.

Vamos voltar ao exemplo do prédio: qual a primeira parte de uma construção?

As fundações e estruturas, tudo que irá sustentar o projeto de pé, assim como vai dar a forma idealizada no projeto.

Você já deve ter percebido que, se deseja descobrir como escrever melhor, terá que investir a maior parte do seu tempo em outras atividades e menos na escrita, certo?

E você também terá que praticar outra habilidade: a da verdadeira empatia e se colocar no lugar do seu leitor.

Pratique a empatia

Antes de começar a digitar palavras no seu editor de texto, responda às seguintes perguntas:

  • O que o leitor gostaria de saber sobre o assunto?
  • Qual o nível de conhecimento que o meu leitor tem sobre o assunto?
  • Quais dúvidas podem aparecer?
  • Quais as objeções ele teria para acreditar nas informações que estou trazendo? Ou na promessa que estou criando para a minha copy?
  • O que ele ainda não entende, mas deve compreender até o final da leitura, para que o objetivo do texto, que nesse caso é “como escrever melhor”, seja alcançado com êxito?

Cuidado com a maldição do conhecimento

Quando conhecemos um conceito, não conseguimos esquecer ou deixar esse conhecimento de lado.⠀ ⠀

Também é impossível lembrar de como era quando você não tinha esse conhecimento à sua disposição.⠀ ⠀

A maldição acontece quando você, por esquecer dos seus tempos de ignorância, assume que todos os outros têm o mesmo nível de conhecimento.⠀ ⠀

E quando decide ensinar, torna o assunto complexo demais.⠀ ⠀

Ao escrever, você precisa se lembrar que nem sempre os seus leitores sabem o que você sabe. E muito menos têm acesso ao que está dentro da sua cabeça.⠀ ⠀

Por isso, escreva com clareza, objetividade e deixe os seus textos muito mais diretos, especialmente se estiver escrevendo para a internet.⠀

Criando a estrutura que vai dar forma às suas palavras

São as respostas acima que vão fazer com que você “desenhe” a estrutura do seu texto e defina os tópicos e subtópicos que precisa abordar para fazer seu leitor ir de A a B, ou seja, aprender como escrever melhor.

Como eu identifiquei os 3 maiores problemas que impedem escritores de escrever melhor, transformei cada um deles em um tópico, como você deve ter percebido.

Os subtópicos são assuntos relacionados que vão complementar a informação importante que deve estar dentro do tópico e servem como pontos de parada ou entrada para dar um ritmo à leitura e um descanso para os olhos.

Imagine só se eu decidisse escrever esse texto sem nenhum tópico ou subtópico e repleto de parágrafos gigantes?

Aposto que você nem sequer estaria lendo essa frase, certo?

Depois da estrutura pronta (você pode criar um mapa mental), é hora de encher os espaços vazios.

Tenha certeza que você está preenchendo os espaços em branco com conteúdos relevantes e não com frases e parágrafos que não precisariam existir.

Ou palavras que são verdadeiras armadilhas, só esperando para fazer seu leitor tropeçar e desistir da caminhada.

Mas não se preocupe em escrever com perfeição nessa etapa, porque é a última parte do processo de escrita que vai levar seu texto do lixo ao luxo.

3. O gran finale: pequenos detalhes, grandes resultados

Escrever é uma arte que uma simples mudança de palavra muda todo sentimento de uma frase.

Por isso a revisão é um processo tão importante e, infelizmente, tão ignorado pelos escritores.

E, se não é ignorado, é feito ao mesmo tempo que escreve, não só causando o bloqueio criativo que você lutou para dominar, quanto impedindo que aquelas ideias mais originais ganhem vida.

Revisão exige lógica e capacidade analítica.

Escrita é criação.

Faça ambas em horários e até dias distintos.

E na hora da revisão, para garantir o encantamento dos leitores, veja o que você pode melhorar:

Linguagem positiva e negativa

Umas das técnicas para dominar a comunicação é o uso da linguagem positiva e negativa.

Veja um exemplo em que você deseja descrever o silêncio dentro de uma igreja.

Escrita positiva: “A igreja estava silenciosa”.

Escrita negativa: “Não havia barulho na igreja”.

Na segunda frase, a primeira coisa que você pensa é sobre o barulho que não estava lá.

Nesse caso, a escrita negativa mais confunde do que ajuda o leitor.

Na escrita positiva, o importante é saber o que aconteceu, onde aconteceu e quem está envolvido.

Porém, você encontrará momentos em que a escrita negativa é mais efetiva do que a positiva.

Vamos supor que são 2 horas da manhã.

Está chovendo torrencialmente.

Sua filha que saiu às 20:00 para uma festa, ainda não voltou.

Quando sua esposa levanta da cama e pergunta sobre ela, o que você responde?

Escrita positiva:

“Ela está na rua”.

Escrita negativa:

“Ela ainda não chegou em casa”.

A escrita negativa é mais usada quando você deseja enfatizar algo ruim, como a preocupação em saber que a filha não voltou apesar do horário e da tempestade.

Não há maneira certa ou errada de construir frases usando a linguagem positiva, ou negativa. Tudo irá depender do foco que você deseja colocar em uma sentença.

O problema oculto da palavra “não”

Quando você pensa na palavra “não” o que aparece na sua cabeça? – Um “X” vermelho? – Nada? – Um fundo preto?

Se eu te disser para NÃO pensar em um elefante rosa, o que você pensa?

Você viu a imagem do elefante rosa na sua cabeça? Imagino que sim.

Esse pequeno exercício revela um problema oculto na palavra “não”.

Dentro de nossa mente, ouvir “não faça isso” pode soar como “faça isso”. Teste dizer “não toque nesse brinquedo!” para uma criança de 7 anos e você entenderá o que estou dizendo.

O que isso significa nos seus textos?

Existem 2 formas da escrita:

  • Forma negativa (usando o “não”).
  • Forma positiva (sem usar o “não”).

A forma negativa seria você escrever “não lembro disso”, enquanto na forma positiva seria “esqueci disso”.

Ao invés de escrever “ele não costuma chegar na hora”, você pode usar “ele chega atrasado”.

Esse é um pequeno truque para você evitar esse problema oculto que temos em processar a palavra “não”.

E, de quebra, economizar algumas palavras no seu texto.

Olhos abertos para os advérbios e adjetivos que nada têm a dizer

Seja sincero(a): você usar advérbios quando bate aquela preguiça de pensar em uma forma de descrever algo?

Aposto que palavras como:

  • Incrivelmente
  • Estupidamente
  • Maravilhosamente
  • Insanamente
  • Infelizmente
  • Perfeitamente
  • Certamente

Fazem parte da sua escrita, não estou certo?

Devo dizer que fazem parte da minha muito mais que eu gostaria.

Ao ler o livro “Sobre Escrita” de Stephen King, onde ele afirma que a estrada para o inferno está pavimentada de advérbios, passei a prestar muito mais atenção a essa minha preguiça textual e, sempre que posso, vou buscar alternativas melhores para substituí-los.

Não é pecado usar advérbios, mas veja como a frase a seguir se torna mais vívida na mente do leitor:

Com advérbio:

“Minha nossa! Seu quarto está incrivelmente desorganizado”.

Trocando-o por uma metáfora:

Minha nossa! Um furacão passou pelo seu quarto?”.

Perceba que o uso do advérbio é um exagero para desorganização. Dessa forma, o escritor está descrevendo o ambiente de uma maneira pobre.

Porém, ao usar uma metáfora, ele pode ignorar a palavra “desorganização”. A imagem de um furacão surge na mente do leitor.

É nessa hora que o escritor ganha sua atenção plena, pois o fez imaginar uma cena.

Essa é uma técnica poderosa por 2 motivos:

1.Seu texto se torna vivo ao ganhar uma imagem clara na cabeça do leitor.

2.Você economiza espaço no texto ao cortar as palavras “incrivelmente” e “desorganizado”.

Outra maneira de escrever melhor, é reduzindo os advérbios no seu texto é escolhendo os verbos “certos”.

Esses verbos reduzem a quantidade de palavras, eliminam advérbios desnecessários e, mais importante, adicionam energia ao seu texto que seus leitores tanto desejam na leitura.

Por exemplo, perceba como trocar o verbo “olhar” por verbos mais fortes é possível comunicar um novo nível de emoções.

Ao invés de:

“Ele olhou para ela de longe”.

Você pode usar:

“Ele enxergou ela de longe”. (Enxergar)

“Ele a admirou de longe”. (Admirar)

“Ele encarou ela de longe”. (Encarar)

“Ele examinou ela de longe”. (Examinar)

“Ele refletiu sobre ela de longe”. (Refletir)

Logo,

  • “Olhar atentamente” vira “examinar”, removendo o advérbio.
  • “Olhar ferozmente” se torna “encarar”.
  • “Olhar de maneira duvidosa” vira “olhar de lado”.

O meu objetivo nesse artigo era ajudar você a descobrir como escrever melhor com simples otimizações no seu processo criativo e na sua escrita em si.

Espero ter fechado esse texto com chave de ouro e ter ajudado você a avançar um milímetro que seja rumo à uma escrita mais poderosa.

Como esse assunto é complexo e leva tempo para dominar, criei o treinamento online Escritor Milionário, que não só vai ensinar muitas outras técnicas para você escrever melhor, mas também como usar essa habilidade para gerar receita.

Se você quer usar o poder da escrita a seu favor, clique aqui para saber como se tornar um Escritor Milionário.

Tema Profissional, Moderno e Poderoso para Seu Site.

Athena

Quero Conhecer o Athena →
Athena

O post Como escrever melhor em 3 simples passos apareceu primeiro em Viver de Blog.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Como escrever melhor em 3 simples passos. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.