Ads Top

Plataforma de e-commerce: como fazer a migração de forma segura

Migrar a loja para uma nova plataforma de e-commerce costuma ser uma das maiores dores de cabeça dos empreendedores. Vários são os relatos de trabalhos mal executados, dados perdidos no meio do processo, horas ou dias de site fora do ar (e consequentes prejuízos).

E tem muita gente precisando de uma plataforma nova. Segundo a 4ª Pesquisa Nacional de Varejo Online, feita pelo Sebrae em parceria com o E-Commerce Brasil em 2018, 20% dos varejistas planejavam trocar de serviço nos próximos dois anos.

Apesar de saber que a migração é uma tarefa complexa, existem formas de diminuir a margem de insucesso dessa operação. Aqui, vamos citar algumas dicas para você não se perder neste momento.

Planeje a migração com antecedência

A plataforma de e-commerce não é como um produto comum, que pode ser substituído por um similar da concorrência a toque de caixa. Cada sistema tem a sua própria forma de armazenar dados e fazer integrações com ERP, marketplaces, softwares de logística ou de CRM, entre outros.

Por isso, uma eventual troca precisa ser preparada com antecedência. Geralmente, vários meses, dependendo do tamanho do seu e-commerce e das funcionalidades do serviço que seu site vai contratar.

O primeiro passo é identificar quando você precisa trocar de fornecedor. Para isso, é preciso ficar atento aos recados que a própria loja online está passando.

Ela costuma apresentar muita instabilidade? Você percebe que a atual estrutura não comporta a proporção que a sua loja está tomando? Sua equipe quer colocar na prática novas ideias, mas o software não permite esse crescimento? Os funcionários têm muito trabalho para fazer um processo que deveria ser rápido?

Esses são alguns indícios que mostram que há necessidade de migrar a sua plataforma de e-commerce. O preço, claro, é outro fator fundamental na equação.

Por isso, a partir do momento em que você perceber um descompasso entre a sua operação e a estrutura por trás dela, pode estar na hora de promover mudanças.

Mas, como eu disse mais acima, existem vários fatores que precisam ser analisados e planejados em uma migração. Quanto mais apressada a alteração for, maior a chance de erros cruciais aparecerem depois, trazendo prejuízo.

Cuide dos seus dados com carinho

Um desses fatores é a sua base de dados. E não se trata “apenas” dos contatos dos seus clientes, mas de uma série de informações importantes:

  • Histórico de compras
  • Dados contábeis e fiscais
  • Descrições de produtos
  • Fotos e vídeos
  • Informações sobre consumidores (CPF, e-mail, telefone)

Lembrando que a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que deve entrar em vigor após a pandemia do novo coronavírus ser controlada, obriga as empresas a tratar os dados dos internautas e armazená-los de maneira segura.

Por isso, faça um backup de todas as informações importantes para o seu negócio antes de migrar a plataforma de e-commerce. Isso garante que, mesmo com eventuais problemas técnicos lá na frente (e eles podem acontecer), você terá as informações salvas em outro lugar.

Como cada software tem a sua própria dinâmica para realizar backups, então confira no manual do seu fornecedor ou entre em contato com a equipe de atendimento dele para saber os detalhes do processo.

Integrações

É normal o lojista fazer uma série de integrações entre serviços de terceiros e a própria plataforma de e-commerce.

Softwares e APIs de logística (como os Correios, empresas de gerenciamento de frete ou transportadoras particulares), marketplaces, ERP e CRM são alguns dos exemplos de importantes integrações feitas em um site.

Portanto, antes de fechar negócio, é preciso ter certeza que a nova plataforma oferece integração com os serviços que você já contrata. Mas também vale a pena conferir quais outras empresas são contempladas, caso você queira integrar sua plataforma a outros fornecedores no futuro.

Consultar o outro lado também é importante: converse com as equipes de atendimento de todas as soluções integradas à sua plataforma atual para saber qual o nível de suporte oferecido e se será possível manter, pelo menos, as mesmas funcionalidades da sua loja hoje.

Teste sua nova plataforma de e-commerce

Você já orçou os fornecedores, fez o backup de todos os dados importantes da sua operação (incluindo a base de clientes) e já sabe que será possível seguir com todas as integrações atuais. Agora, começa a fase de testes.

“Ué Bruno, mas não é só passar as informações de uma plataforma para a outra?”

Infelizmente, não.

Para ficar mais fácil a comparação, podemos muito bem pensar na migração como uma mudança de casa. No dia em que os seus pertences são transferidos para o novo apartamento, geralmente um monte de imprevistos acontecem.

O carreto acaba demorando demais para descarregar as caixas. Alguém esqueceu um item importante na casa antiga. Talvez, algo tenha se quebrado no caminho.

Sem contar que sempre existe margem para surpresas que a gente não esperava. O rack da sala que ficou maior do que a parede ou uma dificuldade pra fazer a geladeira passar pela porta.

O mesmo vale para a migração da plataforma de e-commerce. Por mais bem planejada que ela tenho sido, invariavelmente o layout pode precisar de adaptação, uma funcionalidade pode não estar trabalhando corretamente ou algo atrapalha a velocidade do site.

Por isso, crie um ambiente de testes em que você e sua equipe possam analisar a performance na “nova casa” e fazer as alterações necessárias antes de colocar a loja no ar. Imagine se o cliente entrasse no site e se deparasse com todos os erros ao mesmo tempo? Não vamos correr esse risco, não é?

Da mesma forma, é altamente recomendável não lançar a nova plataforma em uma data comemorativa, como Dia das Mães ou Dia das Crianças (por favor, Black Friday nem pensar). Escolha um dia com tráfego menor e monitore os resultados. Assim, quando um evento desses chegar, a sua loja já estará preparada para vender!

Dica bônus: atualize seu “endereço”

Quando nos mudamos de casa, precisamos informar o endereço novo para que eventuais encomendas ou correspondências não cheguem ao lugar errado. O mesmo vale para o seu e-commerce.

Em muitos casos, será necessário fazer o famoso “Redirect 301”, que nada mais é do que informar aos robôs de pesquisa e aos browsers que um endereço mudou permanentemente de endereço.

Isso é bom tanto para o cliente, que vai conseguir acessar URLs antigas sem dificuldades, quanto para a loja, que não vai sofrer com perdas no SEO e ranqueamento no Google.

O post Plataforma de e-commerce: como fazer a migração de forma segura apareceu primeiro em E-Commerce Brasil.

Na próxima semana farei mais um review com depoimento e resenha sobre Plataforma de e-commerce: como fazer a migração de forma segura. Espero ter ajudado a esclarecer o que é, como usar, se funciona e se vale a pena mesmo. Se você tiver alguma dúvida ou quiser adicionar algum comentário deixe abaixo.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.